Capitão N

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
30970048.jpg >Este artigo é coisa de NERD, portanto, seja bem-vindo._

>Aqui aborda coisas que você pode se interessar, como RPG e computadores. Mas caso você seja um valentão, não leia este artigo!_


Capitão N é uma série animada cringe sobre vídeo-games, produzida pela Pênis Dic por volta do final dos anos 80. Mais uma vez tentando desgraçar a cabeça do brasileiro, a Rede Globosta fez questão de ser a única emissora do mundo todo a exibir a série fora dos EUA (onde a série foi exibida por algum canal de TV Aberta que recebe em média 2 pontos de audiência por dia).

Por que caralhos essa merda existe?[editar]

A série não se passou de uma estratégia mal arquitetada da Nintendo para vender mais jogos além de Mario e Zelda. Só isso.

Sinopse[editar]

Capitão N
EUA
1980 e Walkman • Cor • 30 minutos de puro retardo mental
Direção Algum nerd cara
Gênero Propaganda forçada
Produtora Desciclopédia Séries Dic

Em um mundo que é descrito como "Mundo dos Games" o paraíso de todo nerd, vive Lana, uma princesa que não, não é a Peach que conta com a proteção de uma versão questionável de Simon Belmont, de uma versão drogada do MegaMan tão drogada que ele é verde e de uma versão razoavelmente normal de Pit.

O mundo está sendo atacado por uma vilã escrota de Metroid, e Lana faz com que um nerd garoto seja teletransportado para o Mundo dos Games, onde ele é encarregado de proteger o mundo, e logo passa a viver nele (na verdade, no final do episódio piloto, ele recebe a chance de voltar para a casa, porém, decide ficar no Mundo dos Games pelo simples fato de ter que levar o lixo para fora. Que belo exemplo que a série dá pras crianças, hein? "Nunca faça as tarefas domésticas, jogue vídeo-games!").

Essa desgraça ganhou outras 2 temporadas. É, acredite se quiser, acredite se quiser.... (sem contar que a animação foi ficando cada vez mais horrenda com o passar de cada temporada).

Análise[editar]

Este artigo é um monte de bosta.
O autor devia estar cheirando gatinhos.
Ajude este artigo chicoteando-o em forma.