Maria Leal

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Platéia vazia.jpg Please STOP the music!

Este artigo trata de cantores, bandas ou músicas cantadas muito, mas MUITO mal.

Maria Leal
Nascimento 1969
Nacionalidade Tuga
Ocupação cantora

Maria, que depois do divórcio (sim, houve gente parva o suficiente para criar a coragem de se casar com ela!) já não é mais Leal (implicando que ela já tenha o sido), é uma farsante que se passa por empresária e cantora invocada directamente dos poços do inferno por Cristina Ferreira.

História

Maria, que na verdade se chama Elisabete, nasceu em 1969 naquele local do inferno onde, de acordo com o Alcorão, as bruxas são condenadas a passar a eternidade, aparecendo no plano terreno pela primeira vez em Lisboa, em um local chamado Pena, um nome próprio dado que este é o único sentimento que ela desperta nas pessoas, sendo mais um motivo para que a cidade seja odiada por todos a norte do Mondego. Logo após o nascimento, mudou-se para Braga, onde foi expulsa da cidade aos quatro anos por ser considerada a reencarnação do anticristo pela arquidiocese local, sendo obrigada a voltar para Lisboa, onde passou o resto da vida. Aos 22 anos de idade, finalmente começou a não apenas trabalhar, como também estudar, sendo que seu trabalho se resumia a montar as montras de uma loja de roupas na Caparica, o que, de acordo com ela, era um ganda emprego devido à sua paixão (não correspondida) pela moda. O negócio, incrivelmente, teve sucesso, e Maria conseguiu abrir a própria loja de roupas após completar os ensinos. Mais tarde, a loja se expandiria para Elvas, onde Maria ficou exilada por dois anos após os lisboetas não terem conseguido catapultá-la para o outro lado da fronteira. A casa onde Maria passou os dois anos de exílio em Elvas foi tombada como património cultural do município, e por tombada, leia-se demolida devido à vergonha causada à reputação da cidade.

Percurso "musical"

Mas tudo mudaria em 2015, quando ela foi chamada pela produção de um reality show chamado A Quinta para terminar um relacionamento com um dos competidores, que logo após foi submetido a um teste de sanidade mental. Após esta aparição relâmpago, atraiu a atenção de um produtor musical que estava em busca de mais um meme para viralizar na internet, acabando por produzir um álbum para Maria, que nunca foi lançado devido a um acesso de vergonha que o produtor teve na última hora. O plano realmente alcançou seu objetivo quando a maior pescadora de desgraças da TV portuguesa invocou Maria Leal para tocar em seu programa, sendo recebida com toda a má vontade do universo pelos portugueses. Ainda assim, conseguiu atrair atenção o suficiente para gravar mais singles e lançar oficialmente um álbum, que foi tão bem (mal) recebido que fez com que pessoas fossem iludidas a nível de pagar mil euros pra ver uma imbecil cantar mal por meia hora.


Vida pessoal

Este engodo de artista, milagrosamente, conseguiu se casar quatro vezes, curiosamente sempre com homens com idade para serem seus filhos, e, ainda mais milagrosamente, conseguiu parir cinco filhos. Recentemente, um dos filhos de Maria declarou que ser filho dela foi um fardo psicológico tão grande que fez com que ele abandonasse o mundo exterior e entrasse em um isolamento social cuja única atividade é criar artigos na Desciclopédia. Em seu último casamento, conseguiu ludibriar o filho de um artista, gastando toda a fortuna que ele havia herdado do pai em cirurgias plásticas e tentativas de parecer menos feia que fracassaram miseravelmente. Após isto, teve um relacionamento de quinze dias com um cantor de casas de alterne, que terminou com uma troca de acusações por audiência na CMTV e a morte (ou não) misteriosa deste pouco tempo depois.