Desnotícias:Mais um acidente aéreo envolvendo time de futebol, uau!

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(dif) ← Edição anterior | ver versão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

Palmas Futebol e Regatas finalmente tendo visibilidade, viva!

Nada mais do que começar a semana com uma porcaria dessas, eu estou falando da cagada aérea em uma pista de pouso particular na puta que pariu reserva indígena hoje mesmo (24), onde morreram quatro ruins de bola, o presidente do clube (puta cargo, não?) e o piloto. A assessoria do clube informou que estavam viajando os atletas Lucas Praxedes, Guilherme Noé se ele se salvou de uma enchente, por que não disso?, Ranule e Marcus Molinari. Além dos quatro arrombados, tiveram o azar de perder a porra do presidente do time Lucas Meira e o piloto, Wagner Machado (acho que esse último ninguém liga).

O time até então apenas conhecidos pelos indígenas e caboclos que torciam pra ele estava indo para a Capital Texana, onde iam dar um espetáculo (ou eles levarem um espetáculo) em outro time de fundo de quintal chamado Vila Nova pela Copa Verde. O jogo estava marcado para as 4 da tarde da segundona. O avião teve o azar de tropeçar no ar e cair momentos após sair do asfalto, no cu do mundo em Luzimangues, ao sul de uma das poucas cidades que é desenvolvida no Tocantins. A aeronave tinha acabado de decolar e acabou caindo em um monte de mato onde tinha alguém soltando o barroso em plena paz. Inspirados no voo da Chapecoense, eles não chegaram ao destino, só que se superaram, porque mal na metade do caminho eles conseguiram sobrevoar.

O time de Vila Nova não é burro e nem nada e já ganhou um pouco mais de destaque lamentando a morte das 6 vítimas, com no fundo comemorando porque no próximo jogo não vão ter um goleirão no time adversário para pegar os chutes. Posso afirmar que eles, do time Palmas Futebol e Regatas, foram burros por usarem um avião paraense com todo o material, motor e produção 100% indígena, além do combustível ser etanol, mas não chega a ser este o problema. A construtora da aeronave que eles utilizaram não tinha autorização para fazer táxi aéreo. Na verdade, esse avião tinha sido comprado a pouco tempo pelo ex-presidente do time Lucas Meira já tava saíndo da vida e fazendo merda?. No entanto, o time preferiu mentir (ou não) dizendo que o avião não estava fazendo esse tipo de serviço, deixando mais uma controvérsia na cabeça de quem era para estar chorando ou sorrindo, vai saber o quão psicopata você é por conta do desastre.

Fontes[editar]

Compartilhe
essa desnotícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram