XML

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
30970048.jpg >Este artigo é coisa de NERD, portanto, seja bem-vindo._

>Aqui se aborda coisas as quais você pode se interessar, como RPG e computador. Caso você seja um valentão, não leia este artigo!_


XML

O que é XML?[editar]

XML é a abreviação de EXtensible Markup Language (Linguagem extensível de formatação). Trata-se de uma linguagem que é considerada uma grande evolução na internet. Porém, para quem não é programador ou não trabalha com o uso de linguagens e ferramentas para a Web, é quase imperceptível as vantagens do XML. Este artigo se dispõe a tornar isso mais claro.

O XML é uma especificação técnica desenvolvida pela W3C (World Wide Web Consortium - entidade responsável pela definição da área gráfica da internet), para superar as limitações do HTML, que é o padrão das páginas da Web.

A linguagem XML é definida como o formato universal para dados estruturados na Web. Esses dados consistem em tabelas, desenhos, parâmetros de configuração, etc. A linguagem então trata de definir regras que permitem escrever esses documentos de forma que sejam adequadamente visíveis ao computador.

Diferença entre o HTML e o XML[editar]

O HTML e o XML tem lá suas semelhanças, sendo a principal o fato de utilizar tags (palavras-chaves e parâmetros). Em ambas as linguagens, cada tag consiste em duas partes, uma que inicia e outra que fecha o comando. No entanto, em muitos casos, se uma tag é aberta no HTML e não é fechada, a página é exibida mesmo assim. Já no XML, se houver qualquer erro desse tipo, a aplicação simplesmente para, sem jogar uma NullPointerException, mas dando aquele avisinho de merda do Exploder, que diz, FAIL. Percebe-se com esse exemplo, que o HTML é uma linguagem mais tolerante, enquanto o XML é altamente rígido. Isso pode até parecer uma desvantagem, mas se for, é compensada pela extensibilidade do XML. Para um melhor entendimento, veja o seguinte fato: no HTML, a tag

indica o início e o fim de um parágrafo. No XML, as tags são usadas para definir blocos de dados. O que isso quer dizer? Quer dizer que,

podem significar qualquer coisa que o programador desejar. Por exemplo,

podem significar peso, pessoa, nome, endereço, classe, carro, enfim, o que o usuário quiser que represente. Por essa característica, o XML é até considerado por muitos uma linguagem capaz de gerar outras linguagens, visto que quem define os comandos e suas funções é o programador. A praticidade é tanta que torna-se possível um usuário criar uma coleção própria de tags e aplicá-las nas páginas e documentos que desejar.

DTD[editar]

Você pode estar se perguntando: se cada usuário pode criar sua própria linguagem, não seria uma grande confusão usá-la, uma vez que só o criador conhece a linguagem? Não. Quando o programador utiliza suas próprias tags, é adicionado ao arquivo uma espécie de glossário, chamado de DTD (Document Type Definition). No DTD é possível definir, por exemplo, que na tag <cadastro> existam mais 4 tags: <nome>, <idade>, <profissao> e <sexo>. Além do DTD, há também o XML Schema, que tem a mesma função, porém conta com mais recursos.

Veja no quadro abaixo, um exemplo de código para que você entender o melhor o XML. O texto em azul representa as tags:

<email>
<de> Nerd Punheteiro </de>
<para> Outro Nerd Punheteiro</para>
<assunto> Playboy de Junho </assunto>
<mensagem> hey cara ! você viua gostosa que sai na playboy desse mes ? 
a gostosa da mulher melancia!! veio to loco pra baixar as fots dela peladona!!!!
se tu baixar antes me manda. </mensagem>
</email>

O exemplo acima não mostra nem um décimo da capacidade do XML, mas permite visualizar a sua importância, principalmente porque empresas e instituições poderão usar a linguagem conforme sua necessidade. Entre as funções principais do XML, tem-se:

  • descrever dados;
  • apresentar dados em algum formato, como HTML;
  • transportar dados;
  • trocar dados de forma transparente entre plataformas diferentes.

A extensibilidade do XML é tanta, que muitas corporações vêm adicionando funções XML em seus produtos, como a Microsoft, Oracle, IBM, Google e Sun. É uma linguagem que tende a alcançar um sucesso cada vez maior, não só no segmento de comércio eletrônico, como vem acontecendo, mas em praticamente todas as áreas da Web.Até porque, né, esmola grande o santo desconfia, aumenta a portabilidade, só que o peso do arquivo vai para a PQP.