The Fornications of Middle-earth

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Não ESSE tipo de fornicação!

The Fornications of Middle-earth (título não disponível em português) é o décimo-quarto livro da coleção The History of Middle-earth, série de livros compilada por Christopher Tolkien a partir de notas que seu pai, J.R.R.Tolkien escrevia em qualquer pedaço de papel que ele encontrava.

The Fornications of Middle-earth é o último volume da série, após The Peoples of Middle-earth, o décimo-segundo volume da série. Por superstição, não foi publicado o décimo-terceiro volume.

Segundo Christopher, na Introdução (tradução livre, feita de forma amadorística):

Com o lançamento dos filmes do Senhor dos Anéis surgiram boatos de que a relação homossexual entre Frodo e Sam, e entre Legolas e Gimli refletia a relação homossexual entre meu pai de C.S.Lewis. Este livro, que contém os contos eróticos da Terra Média, mostra que meu pai, um heterossexual convicto, não tinha nenhum problema com a sua sexualidade saudável, descrevendo de forma objetiva todas as formas de perversões sexuais típicas de qualquer mundo de fantasia, assim como um antropólogo que descreve uma tribo canibal não tem necessariamente de provar a carne humana

Segue um pequeno resumo das divisões do livro

Capítulo I: Os filhos dos Valar[editar]

Tá, se você acha que esses são os textos de Tolkien falando das putarias dos Valar, pode tirar o cavalinho da chuva. Este é uma colagem de textos sobre a língua Quenya, na qual Tolkien disserta sobre lenição, declinação e outras merdas que só um linguista entende. No meio de um monte de palavras incompreensíveis e dissertações chatas, tem a putaria: são os nomes que os Elfos de Valinor usavam para referirem-se aos filhos que os Valarim tinham com os animais. Sim, porque os Valar eram zoófilos (e botanófilos), e esta foi a origem dos Orcs, das Águias falantes e, quando eles faziam sexo com árvores, dos Ents.