Senado Romano

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Romanopre.jpg ROMANI ITE DOMVM!!!

HÆC ARTICVLVS ROMANVM EST. LATIM LOQVÆBITVR. NON INTERLEGIT? HVMORIS PRIVATVS NON EST. MVITISSIMVS ENGRAÇATVS! SED ROLA MEAM VADE MAMARE! VADE FŒDERE CVM PORRIBVS NOSTRVM.

Spqrpre.jpg


Quem for a favor do aumento de impostos, não se manifeste. - APROVADO

O Senado Romano é a melhor instituição que o dinheiro pode comprar. Quando você lê SPQR, o Senado é o S.

Origens[editar]

Atribui-se o rei Rômulo a fundação do Senado Romano, juntando os mais veneráveis senhores e cidadãos de Roma num conselho consultivo. Como Roma foi fundada inteiramente com bandidos fugidos das outras cidades, os primeiros senadores eram literalmente uns ladrões e estelionatários.

O Senado viveu às turras com os reis de Roma, porque os ratos frequentemente roíam suas roupas, exigindo que os senadores aprovassem aumentos de orçamento.

Naquela época longínqua, o legislativo ainda vigiava o executivo. Foi o Senado que decretou o impeachment do último rei de Roma, Tarquínio Soberbo, por ter estuprado o Menino do MEP e proclamou a República Romana.

Votações[editar]

Senador entediado ouvindo atentamente os debates

As votações no senado romano se davam por maioria simples. Havia duas maneiras de votar:

  • VTI ROGAS, a favor, ou melhor, como queres
  • ANTIQVO, contra

Um Senador poderia discursar quanto quisesse antes de votar. Por isso as votações tinham potencial de serem longuíssimas. Como Roma frequentemente estava em guerra, ainda assim as votações eram rápidas, porque se não a vaca ia pro brejo.

Como virar Senador[editar]

Para virar senador, você não precisava de eleição. Bastava ser rico pra cacete e cair nas graças do censor, o magistrado que fazia o censo, a contagem dos cidadãos.

O cargo no senado era vitalício. O senador fica no senado até sua morte. O que podia ser muito breve, se estivesse no reinado de Tibério, Calígula, Nero, Domiciano ou Cômodo. Eventualmente o censor tirava algum senador, mas era raríssimo. Quase sempre a espada fazia o trabalho.

AAAAAAAH, e lembrando: o PAPAI NOEL É GAY. HOHOHO

A era de glória do Senado Romano[editar]

A República Romana, especialmente as Guerras Púnicas foram a época de glória do Senado. Os senadores eram honestos e havia um inimigo terrível para botar medo em todos, o povo obedecia e todos ficam felizes. Exceto os cartagineses.

Depois, a excesisva paz e o enriquecimento ilícito dos senadores nas guerras trouxeram só confusão e tumultos, como os Gracos, os mensaleiros, Sula e tantos outros

Como ganhar as votações do Senado[editar]

Errr... como tão razoavelmente demonstraram os soldados, creio que o Senado vota a favor da proposta...

Basicamente havia dois modos de aprovar uma medida no senado romano:

  • A maioria simples dos votos. Muitos, muitos discursos, boa política, alianças, propininhas aqui, acolá, casamentos arranjados, promessas de apoio, etc, etc, etc. Era o modo mais difícil
  • Uma legião armada até os dentes. Ah, nada como a persuasão política! Uma legião cercando Roma era sempre um argumento que os senadores entendiam. Assim Júlio César virou ditador vitalício. Assim Sétimo Severo conseguiu a deposição de Dídio Juliano. Historicamente este sempre foi o modo mais fácil e sempre deu certo. Comprovadamente!

Decadência[editar]

Cquote1.png ô raça destinada à escravidão!!! Cquote2.png
Tibério sobre Senado

Senador que acabou de perder o mandato

Desde o Augusto, os imperadores aprenderam que massacrar alguns senadores fazia muito bem para seu poder. Os bons imperadores ignoravam o senado, os maus mandavam matar diversos. Com o tempo, as grandes famílias nobres romanas desapareceram pela Guerra Civil e pelos massacres dos imperadores. E como estavam usando excessivamente as legiões para passarem por cima do Senado, não tinha mais graça, aliás era bem perigoso ser Senador. Finalmente Diocleciano deu o golpe final, e o Senado virou apenas a Câmara dos Vereadores de Roma

Grande escândalos do Senado Romano[editar]