Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


●Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves
●Reino Unido de Portugal, Terra das Bananas e da Cocada Preta
●Portugal + Brasil + uns Trecos

Bandeira do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves.png
Bandeira
Mapa Reino Unido PBA.jpg
O mapa-múndi do Reino Unido, incluindo os pilantras que derrotaram o Brasil na Copa de 1950.
Capital Lisboa
Língua Portunhol
Tipo de Governo
Patrício D. Maria I a D. João VI
Moeda Cruzado Velho
População 4 milhões só no Brasil



Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves foi um arremedo político feito pelo futuro D. João VI pra poder participar de um clubinho chamado Congresso de Viena, já que à época, 1815, a família real de Bragança estava toda fugida do Reino de Portugal e tava lá no Estado do Brasil fazendo cera com medinho ainda das tropas de Napa de Leão. Então, a 16 de dezembro de 1815 o Príncipe-Regente decidiu elevar o Brasil a esse reino unido, que unido unido mesmo só ficou até 1822, quando as cortes portuguesas começaram a querer tornar o Brasil de novo à condição de colônia baba-ovo. Daí todos sabem né, em 7 de setembro às margens fedidas do Rio Ipiranga, de um povo heroico formado unicamente por D. Pedro I e seus sacripantas ouviram o brado retumbante: "EU QUERO MOCOTÓ!"

Ainda assim, mesmo os brasileiros dizendo-se independentes, Portugal relutou em aceitar essa balbúrdia, só reconhecendo em definitivo a independência brasileira após o Império do Brasil decidir assumir as dívidas de quarenta e dez trilhões de vinho do posto que os portugas deviam aos bretões, em 1825, ano em que o reino se extinguiu em definitivo portanto (é issaí, seus bestas, achando que a independência do Brasil foi só dar um gritinho e pronto, tamo livre? Vai nessa...).

Como surgiu?[editar]

Em 1815 Napa de Leão se fodeu ao tentar invadir o Império Russo em suas guerrinhas. Assim os europeus fizeram o Congresso de Viena pra dividir os pedaços da desgraceira feita pelo gordinho. Só que os regentes de Portugal não tinham mais um reino, porque tavam no Brasil. Sendo assim D. João transformou o Brasil em Reino do Brasil e assim pode mostrar que era enfim membro oficial de uma família real com um reino próprio. Mas aí, ao aparecer em Viena, ouviu uma piadinha assim:

Cquote1.png Eu seu que vocês portugas são meio burrinhos, mas tipo, não sabe nada de geografia não, velho otário? O Brasil é longe pra cacete da Europa e não é portanto europeu! Cquote2.png
Representantes dos outros reininhos sobre D. João

Percebendo a cagada que tinha feito, João então uniu os dois reinos (Brasil e Portugal e Algarves) em um só, pra poder enfim participar de boa do bagulho. E assim deu certinho. Os portugueses pensaram "ah, mas é só pro rei participar de boa do clubinho e jogar uma peladinha de críquete lá com os outros reis, daqui pra 1816 ele volta pra cá e de buenas". É né, mas aí passou-se os anos e nada. Claro, D. João VI descobriu os prazeres do banho e das índias e negras e mulatas, o que diabos ele iria fazer naquele país sem graça em que todo mundo invés de dançar samba rebolando a bunda era obrigado a dançar só fado?

Assim D. João VI começou a deixar a cidade do Rio de Janeiro toda gostosinha, além de juntar o estado incipiente de Cisplatina (futuro Uruguai) pro reino unido em 1816. Apesar das supostas melhorias na capital, os outros estados ficarem arretados, daí em 1817 rolou a Revolução Pernambucana, quando a capitania de Pernambuco se juntou com outras pra formar a Confederação Revolucionária de Pernambuco, mas que rapidinho deu merda. Depois foi a vez dos portugas cansarem dessa putaragem toda e pedirem o rei de volta, pois que ele tava, segundo eles, soltando demais as rédeas dos brasólias, ao quebrar o Pacto Colonial e assinar um decreto que abria os portos pras putas do mundo todo poderem ir até o Brasil prestar seus serviços, e isso também acabou permitindo vários zé ruelas brasileiros tentarem fazer parte do parlamento português, o que fez logo os deputados de lá começarem o projeto mordaça pra calar todos os advindos da República das Bananas e acabou levando pouco depois à cisão do reino, pois os brasileiros fizeram uma lavagem maçonal no Príncipe Real do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves D. Pedro, que logo proclamaria a independência do Brasil e em 25 de março de 1824 com a outorga da primeira constituição brasileira foi o fim definitivo (ou quase) do reino unido, que passou a se designar unicamente como "Reino de Portugal e Algarves", não sem antes se lançar numa briga pra não largar o queijão brasileiro, na Guerra da Independência do Brasil, que só terminou em 29 de agosto de 1825 quando num tratado assinado em Rio de Janeiro o Brasil aceitou pegar a bomba chiando das dívidas da antiga metrópole. Se fuderam!

Reis do Reino Unido[editar]

  • Maria a Louca (1815-1816): Que na verdade nem governou de facto o reino porque como o nome bem diz, nessa época a velhota estava mais louca que a tua mãe quando deu pro teu pai e te teve;
  • João VI de Portugal e João I do Reino Unido (1816-1822/25): O verdadeiro rei de facto e direito, criador dessa baderna, mas não foi bem aceito por ninguém, nem pelos brazucas que já tavam a fim de se livrar do povinho da terrinha; nem pelos lusitânicos, que já tavam putos de serem comparados aos então colonizados de quinta.

Ver também[editar]