Paulo Afonso

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Va-a-merda-porra-(Luiz-Carlos-Alborghetti).gif Este artigo pretende ser ofensivo!

Se você não se sentiu ofendido, edite-o até se ofender.

E se se sentiu ofendido, VÁ A MERDA, PORRA!!!
Nova Bandeira da Bahia-Desciclopédia.PNG Colé moral, essi negoçaqui é da terra do dendê. O tio qui feiz issáqui é cuncerteza baiano, intõ, sinhá disgraça de lá do sul da minha caceta, num méxi nas porra daqui nã, vu? Ô vô rumaladsgraça e inda chamo a barrêra pá ti pancá, seu comédia.


Paulo Afonso Terra do avestruz, da tilápia, do caprino Boer, dos aposentados e dos moto-taxistas
Pauloafonsogay.jpg
Bandeira
Ad Aurum Per Bandidorum
Hino Póim Póim Póim
Local link={{{3}}} Bahia 25% do território na Bahia, 25% em Sergipe, 25% nas Alagoas e 25% em Pernambuco
Idioma O mesmo falado nas bocas de fumo do Nordesta
Geografia
Clima Agradável para bares, beiras-de-rio e consumo de drogas
Locais de referência 57 Praças super-faturadas
Economia Inexistente
Produtos exportados Vagabundo, malouqueiro e cheira-cola
Política
Governo
Nuvola apps core.png
Dinastia "de Deus" representada pelo doutor Carequinha
Atual prefeito
Nuvola apps core.png
Doutor Carequinha Também Conhecido como Santo Anilton DEM
Vice-prefeito
Nuvola apps core.png
O véio gagá Também Conhecido como Jujuruga
Mídia
Cidadãos ilustres
Crystal Clear action bookmark.svg.png
Marreta You Planeta
Esporte símbolo Empino de moto
Santo local São Francisco dos Animais
São Toninho, abençoa esta cidade!

Cquote1.png Você quis dizer: Nova Glória Cquote2.png
Google sobre Paulo Afonso
Cquote1.png Pau de quem?! Cquote2.png
Falcão sobre Paulo Afonso
Cquote1.png Se eu pudesse eu matarra mil! Cquote2.png
Jeremias sobre Pauloafonsinos
Cquote1.png Se o mundo fosse um cachorro, Paulo Afonso estaria bem próximo ao rabo! Cquote2.png
Paulo Francis sobre Paulo Afonso
Cquote1.png Eu amo Salvador! Cquote2.png
ACM sobre Paulo Afonso
Cquote1.png Um dia vofêif ferão maió qui Nova Ióqui! Cquote2.png
Lula sobre Paulo Afonso
Cquote1.png Nunca vi tanta torre de energia! Cquote2.png
Turista sobre Paulo Afonso
Cquote1.png Só tem crente e vagabundo nessa porra, cacete! Cquote2.png
Dercy Gonçalves sobre Paulo Afonso
Cquote1.png E também moto-táxi e aposentado, caralho! Cquote2.png
Dercy Gonçalves completando a sentença anterior
Cquote1.png Essa é minha colônia de férias! Cquote2.png
Capeta sobre Paulo Afonso
Cquote1.png Para mim, o Senhor está operando milagres nesta cidade. Cquote2.png
Edir Macedo sobre Paulo Afonso
Cquote1.png Lugarzinho bonito, bem urbanizado mas de gente medíocre e sem futuro. Cquote2.png
Doutor Roberto sobre Paulo Afonso
Cquote1.png Eu não sou de lá. Cquote2.png
Eu sobre Paulo Afonso
Cquote1.png Eu não sei. Cquote2.png
Pauloafonsino quando perguntado sobre a importância do seu lugar
Cquote1.png Eu sou de lá. Cquote2.png
Pauloafonsino quando perguntado sobre a Copa-Vela
Cquote1.png Eu vou pra lá trepar muito e curtir a Copa-Vela! Cquote2.png
Pagodeira de outra região demonstrando que já ouviu falar de Paulo Afonso
Cquote1.png tXiRaA UmA FoTxInHaA MiNhAa NuU BoNdXiNhOo PrOo OrKut! Cquote2.png
Guria retardada sobre Paulo Afonso
Cquote1.png Eu num sô daqui, nem vim pa ficá. A rente somos de Maceió e tomo indo pa lá. Cquote2.png
Caninha sobre Paulo Afonso
Cquote1.png Vou-me embora pra São Paulo. Cquote2.png
Pauloafonsino desempregado
Cquote1.png Vou-me embora pra Aracaju. Cquote2.png
Pauloafonsino secundarista sobre seu futuro estudantil
Cquote1.png O ensino daqui não perde em nada para o ensino das capitais. Cquote2.png
Professor do Colégio Sete de Setembro ludibriando o autor do comentário acima
Cquote1.png Delmiro deu a ideia, Apolônio aproveitou. Getúlio fez o decreto e Dutra realizou. Cquote2.png
Luiz Gonzaga citando os culpados pela existência da Paulo Afonso atual
Cquote1.png Se eu soubesse que ia surgir uma cidade como esta, eu nunca que assinaria decreto nenhum. Nenhum! Cquote2.png
Getúlio Vargas no pós-vida e arrependido por ter assinado o decreto que engendrava o aproveitamento hidroelétrico do São Francisco
Cquote1.png De boas intenções o inferno tá cheio, meu caro! Cquote2.png
Capeta consolando o ex-presidente após o comentário acima

Paulo Afonso é uma cidade localizada no verdadeiro cu do mundo e é esquecida por Deus e pelo Diabo. Localizada no nordeste baiano é famosa por não produzir nada.

Pré-História

Alguns historiadores afirmam que a história de Paulo Afonso tem início com o início do Universo quando Deus resolve criar também um inferno. Milhões de anos depois, o lugar ainda não passava de um monte de pedras inúteis e esquecidas intencionalmente na Capitania de Pernambuco, já que ninguém não dava nem uma pataca de fumo pelas terras.

Mas um dia um incauto emigrante lusitano desembarcava no Brasil tendo como bem apenas uma jumenta. Esse ilustre chamava-se Paulo de Viveiros Afonso e se encontrou por acaso num cabaré de Hellcife com o Rei Marco Maciel da capitania, que, de saco cheio com a imprestabilidade (respeite o neologismo) daquelas terras, ludibriou o trouxa numa troca vantajosa: A futura Paulo Afonso pela jumenta!

Chegando às ermas terras, nosso incauto aventureiro batizou-a de Fourquilha, em homenagem a sua saudosa jumenta e fincou ali a primeira missão messalina do lugar, o Roda Viva, tendo como gerente a Velha Cavalcanti, e o Cobra Verde, gerenciado pelo famoso Chico Cego. Atividades complementares ao entretenimento masculino eram o plantio de mandioca, milho, feijão e maconha.

Depois de milênios exercendo a função de entreposto raparigal, o presidente Getúlio Vargas numa cruzada pela moral e pelos bons costumes anuncia que a Fourquilha seria bombardeada, a exemplo de quando Deus arrombou com Sodoma e Gomorra. Com a notícia, o velho Paulo de Viveiros Afonso morre. Mas Rei Toninho, o rei da Bahia, na época um rapaz de bom coração, intercedeu pelo lugar e o elevou à categoria de cidade batizando-a de Paulo Afonso, mas com a condição de que lá se construissem usinas hidroelétricas para iluminar sua mansão em Salvador. Então, sob ameaças de morte e de macumba, o presidente Vargas e o coronel Delmiro Gouveia iniciam eles mesmos com as próprias mãos a construção das usinas e assim começa a pujante cidade que se conhece hoje!

Geografia

A agricultura local.

Paulo Afonso está localizada no nordeste da Bahia, pois foi rejeitada por Pernambuco, por Alagoas e até pelo quintal da Bahia, Sergipe, contentando-se apenas em fazer divisa com estes Estados. Tem como povoados cidades vizinhas: ao norte a enigmática Nova Glória com suas perfumadas palhoças a beira-rio. A oeste, com a grande cidade de Rodelas, cidade natal do Capitão Nascimento, que lá foi registrado com o nome de Wagner Moura. A sudoeste, a supimpa Jeremoabo. E ao sul, a não menos famosa Santa Brígida, de onde vem de 90% das almas sebosas de Paulo Afonso.

Paulo Afonso está sobre um monte de pedras ao lado de um buraco do canyon do Rio São Francisco, que conduz a merda produzida pelas cidades ribeirinhas em suas águas, desde o interior de Minas Gerais e passando pelas fétidas e imundas Juazeiro e Petrolina. O lugar é conhecido pela exuberante fauna e flora, composta essencialmente de calangos e algarobas.

Dada a indisponibilidade do povo baiano para o trabalho, o solo local chegou ao seu período infértil, servindo apenas para a retirada de pedras e areia para a construção civil. É do exposto que surgiu a famosa máxima sobre a cidade de Paulo Afonso: em se plantando, nada dá.

Religião

Templo maior da IURD em Paulo Afonso.

Fugindo do exemplo do resto do Brasil, Paulo Afonso tem registrado uma taxa bem acima do normal de conversão ao crentismo. Sabendo-se que o ICF (Índice de Cornos e Frustrados) cresce em todo o Brasil, seria de se esperar que o IIC (Índice de Igreja de Crentes) acompanhasse este crescimento. Contudo em Paulo Afonso o crescimento é mais que exponencial, chegando a ser estrombótico: Há cerca de 5 Igrejas por habitante e 5 por metro quadrado! (Dados do IBGE).

Um fato curioso com relação ao crentismo da cidade é a gigantesca conversão de malouqueiros, vagabundos e cheira-colas ao protestantismo. Alguns estudiosos, como o célebre doutor Roberto, defendem que tal fato é a prova de que não existe personalidade forte naquele que se diz alternativo ou com atitude, pois em Paulo Afonso grande parte destes viram crentes. Inclusive foi levantado o dado que 95% destes undergrounds (metaleiros, punks e vagabundos em geral) falavam mal da menina pastora louca antes de virarem "sovacos santos". É daí que surgiu a lenda urbana de que em Paulo Afonso há um mosquito que transmite um vírus que causa a conversão das pessoas, o mosquito Aedes virarumcrenty. O mosquito persegue os fracos de espírito incautos até que os mesmos estejam bem sentados no banco de alguma igreja evangélica, tenham largado as amizades antigas, jogado fora todos os CD's pecaminosos e decorado toda a Sagrada Escritura para a satisfação do pastor. Mas, é claro, não passa de lenda urbana.

Economia

É fato que Paulo Afonso é uma grande potência em não produzir nada. Tentativas frustradas de criar avestruzes, tilápias e bodes suecos demonstram isso, ou demonstram a aptidão nata a falta de vontade dos políticos que representam a pujante cidade ribeirinha. Mas a cidade é grande importadora da maconha produzida no Vale do São Francisco, e da pedra e do vindos do sul maravilha.

Foram realizados os mais diversos estudos para se descobrir uma forma de ocupar a mente com o que preste algo com que Paulo Afonso se desenvolvesse economicamente, mas todos os estudos, teses, algoritmos e aconselhamentos convergiram para a profissão de moto-taxista, a qual o pauloafonsino médio tem-na desempenhado com o garbo e postura necessários à função.

No campo das exportações, a cidade também lidera o nordeste no envio de marginais para o resto do país, porém o índice de desemprego está na média aceitável da Bahia (em torno de 99%) e os empregos mais comuns na cidade são o de aposentado, fofoqueiro, administrador de lan house, soldado de polícia, balconista e o já citado moto-taxista.

Comércio em Paulo Afonso.

Cquote1.png Vamos transformar Paulo Afonso no maior criador nacional de avestruzes! Cquote2.png
Ex-prefeito Paulo de Deus empreendendo o futuro de Paulo Afonso

Cquote1.png Vamos transformar Paulo Afonso no maior criador nacional de tilápias! Cquote2.png
Ex-prefeito Paulo de Deus após o fracasso do empreendimento dos avestruzes

Cquote1.png Vamos transformar Paulo Afonso no maior criador nacional de caprinos boers! Cquote2.png
Ex-prefeito Paulo de Deus após o fracasso do empreendimento das tilápias

Cquote1.png Err... em time que está ganhando não se mexe! Cquote2.png
Ex-prefeito Paulo de Deus após o fracasso do empreendimento dos caprinos boers

Turismo

Sem dúvida é uma cidade com um potencial turístico imenso. O maior deles e talvez o único são as suas usinas hidroelétricas. São de uma beleza só comparável a de um prédio em construção ou a de um caminhão carregado de cimento. Há também as praças superfaturadas (uma delas custou a bagatela de mais de um milhão de reais), o Hiper-mercado G-Barbosa, que é o shopping center da cidade e o turista esperto e inteligente também não pode deixar de visitar durante a noite a praça do acarajé no centro da cidade para saborear um delicioso acarajé requentado enquanto desenrola alguma tese de sociologia acerca da ímpar juventude pauloafonsina.

Mas partindo do pressuposto que não há muito o que fazer em Paulo Afonso, o principal point jovem da cidade é o fumo-balneário Bico de Pedra, onde se pode fazer o que quiser e de graça pegar alguma parasitose.

Super-mercado G-Barbosa: o shopping center de Paulo Afonso.
Principais Pontos Turísticos
  • Usinas Hidroelétricas - Obras de Deus para seu filho.
  • Bico de Pedra - Fumo-balneário e berçário de inúmeras parasitoses.
  • Raio de Luar - Casa de entretenimento masculino
  • Belvedere - Criatório de mosquitos e motel-fumódromo.
  • Dique - Famoso "motel sereno" da cidade. Atualmente fechado para reformas.
  • Caldinho do Calçadão - Bar frequentado por parte da high society pauloafonsina, que adora saborear seus caldos "dumdiapruoutro".
  • Catarina's - Maior concorrente do Caldinho.

Cultura

André Marreta: O símbolo maior da refinada cultura pauloafonsina

Outra nuance desta pujante cidade é a sua agitada vida cultural. Há inúmeros bares no centro nos bairros também. A explicação para tal fato está no alto nível intelectual do jovem pauloafonsino médio, que prefere o ambiente sadio dos bares para as conversas construtivas e inteligentes, quase sempre sobre temas que envolvem física quântica, teoria dos números, mecância dos fluídos, sociologia do direito e política internacional. Porém, como diria o ilustre pauloafonsino André Marreta, "não só de estudos vive o jovem de Paulo Afonso, mas de toda moto de 125 cilindradas e de todo babado ocorrido no último pagode do Casquetinho".

A cultura de Paulo Afonso ganha aos poucos espaço no predatório cenário musical nordestino com o orginal conjunto Marreta You Planeta, capitaneado pelo já citado André Marreta, sex symbol da cidade. Marreta You Planeta é considerado a vanguarda do pagode e do punk rock pauloafonsinos, já que a cidade não tem representantes deste último estilo. O som é tão original quanto o nome da banda, pois mescla um batuque intelígivel com sons de sirene e efeitos psicodélicos de um teclado Yamaha com o visual extremamente gay dos integrantes da banda. Caetano Veloso elogiou a banda em entrevista à revista G Magazine:

Cquote1.png Um som tão contagiante, daqueles próprios à meditação, meu rei, pois é impossível pensar nos problemas quando se escuta Marreta You Planeta. Aliás, é impossível pensar em qualquer coisa quando o som deles começa a tocar, só dá pra pensar naquela coceirinha tão boa que dá no rego de todo baiano que gosta de pagode... Marreta é tudo, meu rei! Ou não. Cquote2.png
Caetano Veloso sobre Marreta You Planeta

A moda do jovem de Paulo Afonso.

Aliado a André Marreta, a gastronomia da cidade é representada pelos coquetéis limpos e higiênicos do famoso Miguel Baiano, detentor da arte milenar de fazer caip fruits e dono de um visual de parar o trânsito, sem camisa, descalço e com o odor de dez gambás. Suas bebidas são conhecidas na Bahia por capetas e as mais famosas são:

  • Cravinho - feita com aguardente e gasolina da Santana Quantum de Miguel, recebe ainda o tempero de suas mãos que acabaram de manusear em notas de dois reais e coçar o saco.
  • Xixi de moça - feita a base de conhaque e abacaxi, tem um toque faisandé pois a fruta é cortada com uma faca repousa no sovaco suado do intrépido barman.

Miguel Baiano representa Paulo Afonso em qualquer festa no planeta, deslocando-se para o local em sua Santana Quantum azul para vender seus saborosos drinques. Porém apesar de nascido na Rua D ele teima em dizer que é do Pelourinho.

Educação

Baluarte da educação na região, Paulo Afonso exporta estudantes para todas as regiões do país, pois sua educação incapaz é o móbil de tal ação.

No ensino superior destaca-se a FASETE, faculdade particular pertencente ao patriarca Gilberto, chefe do clã Sete de Setembro, que monopoliza o ensino na cidade. Há também uma tal de UNEB que ministra curso para pescadores.

Algumas questões do último vestibular para o curso de direito da FASETE:

Ver Também