Panelinha da Wikipédia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Escoteiro.jpg ESTE ARTIGO TRATA DE REPRESSÃO E DITADURA

Você deve aceitar calado(a) o que está escrito aqui sem duvidar de nada,
ou correrá o risco de sumir misteriosamente.

Desciclopédia: ame-a ou deixe-a!
Ditaduratumulo.jpg
Tomadinha do poder.jpg Panelinha da Wikipédia tem PODER!
E te levará para qualquer lado da Força


Saia daqui imediatamente! Este artigo não foi aprovado pela Wikipédia

Cquote1.png Isto non ecxiste! Cquote2.png
Padre Quevedo sobre Panelinha da Wikipédia

Cquote1.png VAGABUNDOS! VAGABUNDOS! VAGABUNDOS! Cquote2.png
Gilberto Kassab sobre Panelinha da Wikipédia

Cquote1.png Vocês traíram o movimento wiki, véio! Cquote2.png
Dado Dolabela sobre Panelinha da Wikipédia

Cquote1.png Corupto! Ladrón de quatro esquinas Cquote2.png
Hugo Chavez sobre Dirigente da Panelinha pego com a boca na botija

Cquote1.png Na União Soviética, VOCÊ se une contra a Panela! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Panelinha da Wikipédia

Cquote1.png O Adaílton é uma instituição da Wikipédia! Cquote2.png
Mschlindwein sobre o ex-burocrata, ex-adm, ex-checker, ex-sock[1] e ex-tudo.

Gravações secretas revelam o Mensalinho... Ou seria Mensalão? (clique para ampliar)

Na República da Wikipédia, a PANELINHA é um partido político de cunho conservador, corporativista e de ideologia de extrema-direita, que visa implantar o sistema totalitário e banir todos os IPs. É no entanto uma organização obscura, que poucos analistas políticos sabem como funciona de verdade.

Seus maiores aliados são o PD (Partido Delecionista, também chamado de Partido Pederasta[2]) e o P-BAN [3]. Seus membros são chamados de paneleiros. [4]

A Panelinha é o partido que possui o maior número de moderadores malvados entre seus filiados. Desde 2009, quando foi instituído o unipartidarismo, todos os partidos de oposição foram postos na ilegalidade.

Objetivos[editar]

Um dos maiores opositores da Panelinha, até ser acusado de envolvimento com socks. Exilado na embaixada da Desciclopédia, ele avisa que vai voltar.
  1. Eliminação de todos os artigos sobre bandas underground, todos os clubes de segunda divisão, todos os políticos de esquerda, todos os bairros pequenos, tudo o que não é gaúcho, e tudo o que não interessar aos membros do partido.
  2. A não adoção do Fair use
  3. O envio de todos os novatos para a Sibéria.
  4. O envio de todos os sock puppets para Campos de concentração (afinal, pra que precisam criar socks se já têm "amigos"?).
  5. Evitar todas as tentativas de mudança.
  6. Aumentar sempre mais a burocracia.
  7. Abusar sempre do "discordo"
  8. Indicar o máximo de cumpanheiros para os cargos eletivos da wikipédia.

Adversários[editar]

Seus maiores adversários sempre foram os radicais de esquerda do PI (Partido Inclusionista) e os candidatos independetes moralistaszinhos defensores da ética que não se metem em grupinhos. Durante diversas eleições, sofreram ferrenha oposição do candidato rapper MC Carioca, que na verdade era gaúcho. Com discurso radical, o MC dizia que jamais iria para negociações com os adversários políticos, a menos que fosse na Praia do Abricú (uma referência ao Check User).

Após muitas denúncias no plenário da Esplanada, MC desapareceu misteriosamente em 2009.

Outras lideranças surgiram, e disputaram com o funkeiro a condição de líder da Oposição. No entanto, nenhuma oposição jamais se firmou pois a maioria acreditava que formar qualquer tipo de oposição, seria formar outra panelinha.

Os poucos que não pensavam assim acabaram sendo envolvidos em denúncias de ter relações com lobbystas e sock puppets.

As denúncias[editar]

Pena que seu partido não pense da mesma forma né... (clique para ampliar)

Assim como qualquer organização de direita no Brasil, a PANELINHA nunca se assumiu, e portanto nunca foi combatida, permitindo-lhe crescer tanto a ponto de eleger congressistas que nem sabem terem sido indicados por ela.

Muitos não acreditam em sua existência, e acusam os seus opositores de serem adeptos da Teoria da Conspiração. No entanto em fins de 2009 surgiram denúncias de um Mensalão envolvendo membros da panela, que reagiram violentamente, tentando calar o que chamaram de "Imprensa Golpista".[5], e impedir a divulgação do dossiê que comprovaria de uma vez por todas a existência e o funcionamento desta organização política. Foi um curioso espírito de ordem unida baixou sobre a Rede Globo, a Editora Abril, a Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e outros. Ninguém fura o bloqueio da mudez, numa sinistra brincadeira de "vaca amarela".

Impedidos de fazerem suas denúncias, já que os moderadores foram todos comprados com panetones, os opositores buscaram auxílio na embaixada da Desciclopédia, onde receberam todo o apoio de seu presidente barbudo, Chuck Norris.

Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Panelinha da Wikipédia no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg

Ligações externas[editar]

Referências

  1. Ruy Puglyesi. Wikipédia:Pedidos a verificadores/Arquivo/2010/02.
  2. Mídia Independente.org. Demônio sim, Pederasta não!. Página visitada em 27/12/2009.
  3. Al Lemos (01 de março de 2008). Wikipedia:Política de Banimento. Arquivado do original em 01 de março de 2008.
  4. Dicionário informal. Paneleiro.
  5. Junius (27 de dezembro de 2009). Militante político da PANELA pede o fechamento de um jornal de oposição.