País em subdesenvolvimento

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Alficina.jpg Esty artygo é dy pobry!

Esty artygo é sobry koyzas dy póbry, peçowas póbrys y o dono
taméyn dévy dy sê un pobretãwn do karáy!

533px-Pangaea continents.png Este artigo é relacionado à geografia.

Cuidado com as placas tectônicas!

A bela vista de uma metrópole de um país em subdesenvolvimento.

Os países em subdesenvolvimento, também listados como países do taxa de desenvolvimento negativo e conhecidos carinhosamente como shitholes é uma categoria de países que, embora já sejam incrivelmente ruins, favelados, decrépitos, ainda conseguem piorar ainda mais a cada ano que passa. São países que servem para comprovar a tese de Einstein de que a ignorância humana não tem limites.

O índice foi criado pelo Programa das Nações Unidas para o Subdesenvolvimento com o objetivo de humilhar segregar do resto do mundo os países que são montanhas de merda. São países do globo que já foram subdesenvolvidos um dia, mas regrediram tanto que perderam tudo o que conquistaram e terão que melhorar (e muito) para chegar ao mesmo patamar de outrora. Esta é uma categoria de países criada por vários líderes mundiais em 9 de Julho de 2015, durante uma convenção do BRICS, realizada uma semana após a reunião do Mercosul, que havia decidido pela adoção internacional do modelo, afim de destoar da lista adotada pelos americanos e pela Organização das Nações Unidas, acusados de imperialismo pelos líderes destes países.

Descrição[editar]

Os gringos adoram visitar os países em subdesenvolvimento pra conhecer essa tal de pobreza.

Estes países são conhecidos pelos ambientes inóspitos propiciados a seus habitantes, tipo morar num cenário de filme de ação, guerra e tragédia, mas da vida real. São lugares onde a corrupção está prevista na Constituição (ou em casos mais disfarçados, há códigos penais de 3000 páginas garantindo direitos a corruptos), crises financeiras são cíclicas (geralmente uma começa quando a outra termina) e principalmente, o governo costuma meter a mão em tudo, resultando cargos como para cuidar da pesca, por exemplo. Nestes países, seus povos se consideram diferentes do restante do globo, mais evoluídos, enquanto na realidade são o contrário. Neles incluem-se também "restos de guerra" como a Síria, Líbia, Sudão do Sul e outras nações construídas sobre resto de construções bombardeadas.

Um dos líderes de país em subdesenvolvimento que criou a nomenclatura, e que cada dia também deixa seu país mais sub-subdesenvolvido

Os países em subdesenvolvimento são verdadeiros cenários de filmes de ação, tragédia, terror e guerra, os quatro gêneros num filme só. No Super Trunfo mas mazelas regionais, estes países são as cartas mais poderosas. Os filmes realmente usam esses países em subdesenvolvimento como cenários, quando precisam de uma cenografia autêntica de tristeza; poderiam usar efeitos especiais pra simular a assolação de um lugar bem inóspito e feio para o filme ficar bem assustador, mas usando o cenário vivo de um país em subdesenvolvimento, além de economizar centenas de milhões de dólares, também deixam o filme bem dramático, sem falar dos atores, que além de ganharem uma graninha fazendo aparições em eventos porcos organizados por esses país, ficam também dando autógrafos para a população local, que se encanta até com moscas esfregando as mãozinhas, imagina então a felicidade ao ver um ator de Hollywood. Essa situação do último período é outra coisa que descreve bem a população desses países. A população é meio bitolada, e se encanta com qualquer merda. É bem comum, nesses países, que as atrações artísticas sejam tão trágicas quanto à pobreza do local.

Pessoas que conseguem se salvar destes buracos, normalmente costumam ir para países desenvolvidos com os Estados Unidos e a Europa, onde agem como os nativos afim de esconder sua origem real e não serem deportados. Alguns conseguem fugir desses buracos e ir pra China, pois é melhor trabalhar dezesseis horas seguidas sem horário de café ou lanche do que continuar a viver num país em subdesenvolvimento.

Criação[editar]

Mapa dos grandes buracos do planeta. Estes locais são conhecidos pelo turismo de alto risco. Neste, o masoquista que visitar estes lugares aceita passar por todo o tipo de humilhação, desde ter de aguentar o mal cheiro inerente a estes locais, até ser vítima de pequenos furtos, de sequestros ou mesmo da Dona morte. Esse mapa está desatualizado no momento pois mais países entraram no buraco do sub-subdesenvolvimento, tal qual a Nigéria do Boko Haram.

A ideia surgiu a partir de uma convenção da Mercosul realizada em Porto Alegre, em 2015, e que contou com a participação de vários déspotas como o então democrata da Venezuela Nicolás Maduro, o estatizador Evo Morales e a anfitriã, a ditadora Dilma Rousseff, que posteriormente enviaram sua ideia para o Programa das Nações Unidas para o Subdesenvolvimento.

Neste evento, a presidente sugeriu levar ao congresso anal da ONU, algo além de uma cesta com vários Mulher sapiens (subespécie da manihot esculenta nomeada por ela), levar a ideia de estabelecer grupos de países que fossem adeptos de uma ideologia criada por Evo[carece de fontes] e que ao mesmo tempo não simpatizassem com o que eles chamavam de imperialismo do presidente Michel Obama.

Na ONU, a presidente discursou por cerca de 35 minutos, onde fez a defesa da tese que nenhum país nasce pobre, torna-se um.

Cquote1.png [...] Venho aqui dizer que... de maneira sistemática, não iremos permitir que coloquem como um país pobre, um país que tirou duzentos milhões da linha da pobreza, um país que é potência mundial, um país que sediou a copa das copas e trazida pelo ex-presidente Lula (aplausos) [...]
Rousseff Dilma sobre em discurso defendendo a criação de mais uma subcategoria de países subdesenvolvidos

Após aval do secretário-geral da ONU, Bankemon, em 2016 finalmente foi estabelecida a lista de países em subdesenvolvimento.

Características[editar]

Os países em subdesenvolvimento compartilham características, tanto visuais, quanto financeiras e, muitas vezes, até aquele aroma de morte e enxofre. Os políticos nesses países são os mais corruptos por metro quadrado, as constituições desses países são as mais emendadas, a poluição do ar e das águas é a mesma em todas as nações em subdesenvolvimento, há um grande desmatamento, as ruas são esburacadas, enfim, só coisas que fazem a população desses locais jogar a vida no modo Hell (acima do modo Expert).

Educação[editar]

Cquote1.png Puts, foram destruir a escola logo hoje que era dia de educação física... Cquote2.png

Os países deste grupo costumam exportar mão de obra inteligente para os países desenvolvidos, mesmo não havendo existência de educação (formal e informal) nestes países em subdesenvolvimento. O nível nas escolas vai diminuindo com o passar dos anos, e há uma grande proliferação de pirocas desenhadas nas cadeiras das escolas. A educação dos países em subdesenvolvimento anda tão baixa que nem quando um cidadão esbarra num velho pede desculpa.

Moleque tomando um banhinho gostoso num rio de um país em subdesenvolvimento. ADORO ESSA VIDA!

Os jovens que estão em idade escolar, muitas vezes, nem vão à escola pois precisam vender picolé ou paçoca pra ajudar a casa. E quanto aos jovens que vão à escola, só têm interesse em merenda, usar drogas ou de transar no banheiro, sendo este nos países latrinoamericanos o maior dos interesses. Em países árabes, é trocado pelo interesse de fugir da guerra civil (ou destruir a Europa). Outros problemas recorrentes nas escolas de países em subdesenvolvimento são o vandalismo e a destruição.

Toda vez que o professor fala que será aula de matemática, alunos desses países usam como ábaco o dinheiro que conseguiu com a venda de pedras de crack na escola, enquanto que no ambiente escolar, alunos tiram o fuzil do bolso, alunas se prostituem nos corredores em horário de aula em troca de um módico, rebeldes desrebocando as paredes, etc.

Higiene[editar]

É comum a população destes locais encontrarem o primeiro poste para mijar ou o primeiro buraco para cagar. Nestes países, é comum a ausência de sanitários, apesar de não ser mandatório. Os lugares nestes países possuem ruas sujas e a completa ausência de lixeiras. Na verdade, para o restante do mundo estes países são grandes lixeiras.

Alguns países em subdesenvolvimento estão num nível tão alto de imundície que até os gambás, marsupiais típicos deses países, não consegue dar efeito ao seu cheiro, que é sobrepujado pelo próprio cheiro do país. Em certos locais, em rios ou lagos, pessoas vivas tomando banho dividem o mesmo metro com pessoas mortas boiando, além de uns iceberg de merda flutuando também.

Trânsito[editar]

Isso aqui não é montagem, é só um cena comum de trânsito num país em subdesenvolvimento, nem dia menos movimentado (provavelmente feriado)

Confuso e caótico, o trânsito nestes locais costuma ser dominado por motocicletas e carros de latão, onde uma simples batida pode ser fatal, dada a qualidade que os automóveis costumam ser produzidos. Vislumbrar o trânsito desses países até parece que se está presenciando vários milagres a cada hectômetro de rua. Quando o grande cientista Fernando Baleia Selvagem principiou a teoria que "dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo", ele havia esquecido do trânsito caótico dos países em subdesenvolvimento.

Se não bastasse esses problemas citados no parágrafo anterior, há também um grande número de atropelamento de velha e criança nas ruas desses países. Se o ambiente geral dos países em subdesenvolvimento é um filme de Hollywood, o trânsito certamente é o Carmageddon.

Cultura[editar]

É a pior possível. Esses países exportam a cultura da pobreza para o mundo, por meio de novelas, filmes porcos e filhos da puta em jogos online. No entanto, esse ambiente de pobreza, por incrível que pareça, atrai turistas do mundo desenvolvido, que querem saber o que é essa tal de pobreza que tanto aparece em filme. Alguns europeus pensam que pobreza é uma lenda mitológica grega, baseada no inferno de Hades; eles erram por pouco, pois nos países em subdesenvolvimento não tem o Hades.

Mais um dia comum num país em subdesenvolvimento cuja população está competindo com os coelhos pra ver quem trepa mais

Nesses países, dá-se mais valor ao futebol e à pornografia do que aos livros e estudos. Por isso os países em subdesenvolvimento também exportam jogadores para os países europeus. Junto com as commodities, jogador de futebol é o maior produto de exportação do mundo em subdesenvolvimento. Normalmente, quanto mais fodido um país é, mais craques ele revela. A exceção é a Índia que prefere exportar programadores.

Demografia[editar]

Os países em subdesenvolvimento também exportam crianças a outros países.

Demografia, que significa a "escrita do demônio" em turco, representa a quantidade de gente num local apertado, é coisa do diabo mesmo a forma como algumas populações de país em subdesenvolvimento conseguem fazer tantos filhos. Possivelmente devido à falta de locais de lazer adequados, a população acha no sexo sua forma de esquecer dos problemas da vida de morador de país em subdesenvolvimento. Devido a essa superpopulação emergindo, tais países são considerados bastante urbanizados; é que favelas também são consideradas urbanização.

Sendo praticamente outra coisa cultural e típica dos países em subdesenvolvimento, tal produção de filhos também é explorada economicamente por alguns desses país na margem da miséria, ou, em alguns casos, mais que na margem, alguns países já estão na foz da miséria, despencando pra algo pior. Esses países vendem filhos adotivos para pessoas europeias ou americanas, e em alguns casos, é uma das maiores parcelas do produto interno bruto desses países.

Como já sentenciou o geógrafo Josisvaldo Pinto Souto, quanto mais fodida economicamente um país é, mais foda também ocorre entre a população. O Bangladesh, um dos países mais fodidos do mundo em todas as estatísticas possíveis, está virando um formigueiro humano de tanta gente que anda saindo de vaginas ultimamente. A Nigéria, que consegue ser ainda mais fodida que o Bangladesh, deverá ser o quarto país mais populoso do mundo futuramente, e isoladamente o país mais ferrado de todos. Já a Índia, por sua vez, logo deverá ser o país mais populoso do mundo, com cerca de 60% da população mundial. Note, na imagem ao lado esquerdo, que é tanta gente dividindo o espaço que parece um monte de peça de lego.

Países[editar]

Aqueles países que são nivelados por baixo pela ONU, são:

Bandeira do Brasil Brasil Bandeira da Bolívia Bolívia Bandeira de Cuba Cuba Bandeira da Guiné-Bissau Guiné-Bissau Bandeira do Lesoto Lesoto Bandeira da Índia Índia
Bandeira do Peru Peru Bandeira da Venezuela Venezuela Bandeira do Equador Equador Bandeira do Haiti Haiti Bandeira do Zimbabwe Zimbabwe Bandeira da Suazilândia Suazilândia
Bandeira da Somália Somália Bandeira da Líbia Líbia Bandeira da Síria Síria Bandeira da Serra Leoa Serra Leoa Bandeira do Sudão Sudão Bandeira do Sudão do Sul Sudão do Sul (esse conseguiu ser bi-campeão)