Páris

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.svg Você quis dizer: Link? Cquote1.svg
Google sobre Páris

Cquote1.svg Esse é um filho da puta que sequestra mulheres indefesas! Cquote2.svg
Aquiles sobre Páris

Cquote1.svg Inveja dele? Que nada, é só boatos... É mitologia. Cquote2.svg
Perseu sobre Páris

Cquote1.svg Eu tava muito melhor com ele do que com o Menelau. Cquote2.svg
Helena sobre Páris

Cquote1.svg Ele disse que eu sou a mais gostosa das deusas, ele não é uma fofura? Cquote2.svg
Afrodite sobre Páris

Cquote1.svg Quem é esse? Cquote2.svg
Zeus sobre Páris

Cquote1.svg Ele me ajudou quando eu era um touro... Cquote2.svg
Ares sobre comentário acima

Cquote1.svg É cada figura que aparece nesse mundo. Tsc, tsc. Cquote2.svg
Alexandre Magno sobre Páris

A escolha mais difícil da vida de Páris: escolher qual deusa é mais gostosa.
A pivô e cúmplice de Páris.

Páris é um príncipe ou algo do tipo de uma terra muito distante Troia, que ficou famoso por causar a Guerra de Troia só porque teve que escolher uma entre três deusas para ser a mais gostosa (Afrodite, Hera e Atena) que, por sua vez, foi causada por Éris, a deusa da discórdia, que ficou irritada por não ir á um banquete e colocou uma maçã dourada na mesa e gritou "Qual é a puta menos feia?!".

História[editar]

Páris é filho de Príamo, rei de Troia, com a rainha Hécubo. Mesmo sendo um príncipe, ele tinha um pai adotivo de nome desconhecido; Páris também foi um pastor, e foi em bosques e pomares que ele aprendeu tudo o que sabe.

Ainda jovem, Páris deu de cara com Cebran, um deus rio, que lhe deu o dom da adivinhação (que Páris usava raramente), depois Páris se casou com uma puta qualquer e a transformou em uma esposa de emergência. Mas na verdade, Páris só a conheceu porque, quando saiu da barriga da mãe, a irmã mais velha dele, Cassandra, tentou avisar a todos que previu que Páris faria merda, mas Apollo amaldiçoou Cassandra com uma praga que fizesse que todos pensassem que ela estava lé-lé da cuca, então todos não tavam nem cagando e andando pro que a princesa dizia; mas aí, no dia do parto, Hécubo, mãe de Páris e dos seus 19 irmãos, teve uma visão dos gregos invadindo Troia, aí Hécubo mandou Páris para uma fazenda.

Anos mais tarde, Páris se casou com uma ninfa e fez juras de amor e prometeu nunca abandoná-la, porém Príamo colocou o filho de volta na corte troiana (o que fez Páris dar um pé na bunda da ninfa um dia depois).

Julgamento de Páris[editar]

As deusas Athena, Afrodite e Hera realizando o concurso de beleza.
Páris e Helena dando um passeio.

Para o casamento de Peleu e Tétis todos os deuses foram convidados, menos Éris. Ofendida, a deusa compareceu invisível e deixou à mesa um pomo de ouro com a inscrição “À mais bela”. As deusas Hera, Athena e Afrodite disputaram o título de mais bela e o pomo. Zeus não quis ser o juiz, para não descontentar duas das deusas, então ordenou que o príncipe troiano Páris, à época sendo criado como um pastor ali perto, resolvesse a disputa. Para ganhar o título de “mais bela”, Atena ofereceu a Páris poder na batalha e sabedoria , Hera ofereceu riqueza e poder e Afrodite ofereceu o amor da mulher mais bela do mundo pois queria se livrar dela para roubar seu marido, Menelau. Páris deu o pomo à Afrodite, ganhando sua proteção e o ódio das outras duas deusas contra si e contra Troia.

A Guerra de Troia[editar]

A mulher mais bela do mundo era Helena de Esparta (que nas hora vagas era uma cortesã), filha de Zeus e de Leda, rainha de Esparta.

Quando Páris foi a Esparta em missão diplomática, apaixonou-se por Helena e ambos fugiram para Troia (essa foi a primeira vez que o clichê "mulher oprimida" foi usado). Menelau se sentiu um verdadeiro otário, então chamou todos os manos gregos e caíram em cima de Troia.

Após toda aquela palhaçada de cavalo e tudo mais, Páris conseguiu a proeza (ou burrice) de acertar o calcanhar de Aquiles, mandando o grego pro reino de Hades.

Morte[editar]

Páris, após matar Aquiles, percebeu que Troia estava fudida então fugiu (e olha que nunca mais se teve notícias de Helena no final da guerra), mas Páris se esqueceu de matar Filoctétes, que foi o sortudo que matou Heitor, que foi atrás do príncipe troiano e, com dois tocos de bambu e quatro testículos de bode, matou Páris a quinhentos metros de distância.

Veja também[editar]