Orpheus

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Nota: Essa história não tem nada a ver com a de outro Orfeu. Nem com outro Orfeu. Nem com outro Orfeu. Pera... ou tem?
HardyHarHar.jpg Credo, larga de ter azar!

Este artigo traz relatos de uma criatura azarenta que só se estrepa no dia-a-dia.

Faça bobagem neste artigo e mandaremos 13 lindos gatinhos pretos pra você cuidar.

Caralho Gaiman, como você é doente...

Orpheus é o nome ultra criativo do filho do Morpheus com Calíope e que é uma cópia carbonada que Niel Gamão fez do personagem original da mitologia grega. Só que com um aperitivo mais gore, como vocês terão o desprazer de ler mais pra frente nesse artigo.

História[editar]

Tal qual os outros Orfeus, esse era apaixonado por uma mina chamada Eurídice, só que esse chegou até a casar com a mesma. Só que seu "melhor amigo" (sempre esses fdps) chamado Aristeu (que nessa versão Neil fumou um beck violento e misturou com o ) tentou comer a noiva escondido do Orpheus, pra tirar a virgindade dela antes do maridão, mas dá em merda e ela acaba morrendo ao ver a feiura da cobra do Aristeu.

Desolado, Orpheus começa a tocar sua lira igual seu vizinho liga a porra do som do carro dele bem alto pra vizinhança inteira ouvir Pablo do Arrocha ou Nazareth e entender que ele virou um corno. Pede ajudinha pro papai Oneiros pra tirar a mina do mundo inferior, que se nega dizendo que "a fila andou, porra, vai catar outra mulher, não criei filho meu pra ser necrófilo" (ignorando que anos antes ele tentou enrabar uma rainha negra de nome Nada mesmo depois de ela se matar ao ver que ele era um branquelo feio do carai). Daí pede ajuda ao titio Olethros (que ainda não tinha se aposentado do cargo de Shiva do mundo dos Perpétuos), e ele manda o garoto pra casa da titia Teleute, que tinha um monte de móveis que ela descolou na última vez em que viajou pra caralho na maionese e com uma roupa de deixar Orpheus com cara de "WTF?". Bem, após arrumar a casinha, ela acaba concordando em dar a dica pro Orpheus ir pro Taenarum e assim por lá chegar ao mundo do Hades e Perséfone. Pede autorização pra levar Eurídice, cantando uma canção tão cabulosa, tipo "Você é luz, é raio, estrela e luar, manhã de sol, meu iá-iá, meu iô-iô" que até as fúrias choraram. Desesperados com a voz cabulosa do Orpheus, o casal de deuses consentem e o resto vocês sabem: Não pode olhar pra trás, blá blá blá, vá até a Trácia, mimimi, Orpheus curiosão olha hur dur "porra Orpheus, seu burro!" e SE FODEU!

Como eu disse acima no caput do artigo, tem um algo a mais nessa versão: Orpheus ao longo dos anos tenta se matar, em vão, pois que ficou amaldiçoado com a vida eterna, a mamãe se separou do papai, mas acabou por perder o filho, que tava mais emo que sua mãe ao descobrir que você passou a torcer pro Palmeiras ou pro Benfica, e acabou que as Irmãs do Frenesi, as bacantes, irmãs das fúrias, já de saco cheio de ouvir os lamentos do viadão e o comeram (em todos os sentidos), deixando dele só a cabeça viva para sempre.

Após anos perdido e vagando por aí como uma cabeça desmembrada, acabou indo parar na França, onde foi salvo pela Lady Constantine e pelo próprio canto (que era tão ruim ainda que deixou Saint Just e Robespierre com o cu na mão). Voltando para seu templo, ele ficou lá por mais uns dois séculos, até que o pai dele enfim aparece pra ver (que pai fdp) e pior, pra pedir um favor (caralho que pai fdp). Então Orpheus pede pro papi soberano pra enfim mandar ele pra morte em troca. Ele aceita, até porque Morpheus já tava de saco cheio da vida depois de ouvir por séculos o filho choramingando a falta da mulher.

v d e h
O incompreensível mundo do Universo D.C.