Morfina

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
O Ministério da Saúde adverte:
Este artigo contém receitas e drogas que não devem ser usadas em hipótese alguma!
Procure um veterinário, aqui não é o SUS!
O uso dos medicamentos e produtos mencionados pode causar coceira no brioco e verminoses.

Estrutura atômica da droga.

Cquote1.png Você quis dizer: Vicodin? Cquote2.png
Google sobre Morfina
Cquote1.png Experimente também: Heroína Cquote2.png
Sugestão do Google para Morfina
Cquote1.png Eu tomo analgésicos... e estes são para mim, não para vocês. Cquote2.png
Dr House, para uma sala cheia de pacientes, sobre morfina.

NewBouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Morfina.

Morfina é uma droga idiótica do grupo dos opiáceos. É usada no tratamento sintomático da dor física e mental. Ela está presente no ópio. Sua fórmula é HOHOHOHOHO. Foi usada acidentalmente por Moisés que mascou pétalas de flores de papoula vermelha, achando que eram chicletes Trident, o que o levou a uma série de alucinações, descritas por ele no Velho Testamento. Somente na era moderna, se descobriu que se tratava de uma droga narcótica. Essa droga foi chamada de Morfina em homenagem à Morpheus, do filme Matrix que vivia mais dormindo do que acordado.

Com a invenção da agulha de seringa, mais e mais pessoas puderam sentir os efeitos mirabolantes dessa droga idiótica. Conta-se que os soldados americanos da guerra civil americana, resultou em 400.000 soldados viciados e chapados. Como a planta opiácea não vingava no solo americano, o governo dos EUA juntamente com a CIA, desenvolveu uma droga capaz de substituir o vício de morfina: o LSD.

Usos clínicos[editar]

  • Dor crônica: Dores de corno e Dor de Cotovelo por exemplo.
  • Dor aguda forte: dor de cabeça em pessoas acéfalas ou no parto de bebês com cabeça muito grande. Não se devem usar nas cólicas bilhares. Não é primeira escolha na dor inflamatória, como o chifre inflamado.
  • Na anestesia geral junto com gás anestésico em raves e para médicos cansados.

Mecanismos de ação[editar]

Em pessoas dotadas de neurônios, os opiáceos agem reprimindo-os momentâneamente. A substância ativa captura as células nervosas causando sua anestesia e depois alucinações celulares danosas. O uso de morfina causa idiotia química.

A reação do opiáceo nos neurônio também pode ser igual ao efeito de se tocar axé-music ou forró em uma festa com seres-humanos antes saudáveis: algumas pessoas se embebedam e começam a dançar enquanto outras vão embora para sempre. Este fenômeno foi noticiado por cientistas atuantes no campo da idiotização através de sons rítmicos e danças primitivas.

Administração[editar]

Jovem médico fazendo uso de morfina em horário de almoço

Pode ser administrada por administradores de drogas ou por automedicação. Via horal (de hora em hora), subcutânea (debaixo das pálpebras), intra-muscular (no pênis) ou diretamente na véia, se ela preferir. Nos doentes viciados sem dores, há efeito de sonolência, o Efeito Eduardo Suplicy. Nos doentes viciados que pensam sentir dores pode haver euforia e vontade incontrolável de falar Efeito José Genoino.

Não deve ser usada na gravidez feminina pois pode causar sonolência e lerdeza no desenvolvimento da criança. Há casos de crianças que levaram 22 meses para nascer, como é o caso do apresentador Gilberto Barros. O recém-nascido sofrerá de idiotia e sobrepeso mórbido.

Efeitos clinicamente úteis[editar]

  1. Sedação
  2. Sedação alegre
  3. Em conjunto com Maconha para formular Soro da Verdade
  4. Sonolência feliz
  5. Lerdeza física e mental.
  6. Anestesia euforica
  7. Alegria em ir ao hospital e beber xarope contra tosse

Efeitos adversos[editar]

Comuns:

  1. Alegria incontrolável, seguida de lerdeza profunda
  2. Sedação e lerdeza com alegria incontida
  3. Olhos dilatados
  4. Riso incontrolável idiótico
  5. Supressão da tosse: misteriosamente a pessoa para de tossir ou tosse vagarosamente e ou rindo
  6. Rigidez muscular, exceto no pênis
  7. Pele azulada
  8. Inchaço na face
  9. Ansiedade, alucinações, pesadelos, viagens.
  10. Ativação do modo idiótico, a pessoa irrita quem estiver por perto

Incomuns:

  1. Crescimento de pelos no peito, em mulheres. (Exceto as diagnosticadas com Síndrome de Erundina)
  2. Prolongamento do parto, que pode levar mais de 20 meses para a criança nascer.
  3. Idiotia violenta seguida de coma.
  4. Síndromes diversas como a Síndrome de Amaury Jr.

Efeitos tóxicos[editar]

Tang era o preferido das classes mais pobres

Os narcóticos sendo usados através de injeções nas véias, ou em doses maiores por via horal, podem causar grandes sufocos. A pessoa perde a consciência, fica de cor meio azulada, semelhante a um Smurf, porque a respiração fica muito fraca e a cabeça mais vazia do que o normal.

Literalmente centenas ou mesmo milhares de pessoas morrem todo ano intoxicadas por heroína ou morfina. A maioria médicos, DJs de raves, senhoras idosas, Smurfs e artistas de TV. No Brasil, há uma lista de medicamentos com morfina que têm matado e aleijado mentalmente, milhares de pessoas alienadas:

  • Tang® - contém altas doses de morfina que causam alucinações e lerdeza.
  • Vick Vaporub® - já foi proibido por seu efeito alucinógeno e idiótico.
  • Xô da Xuxa® - foi culpado pela morte mental de milhares de jovens e crianças no Brasil. O programa fazia comercial de todos os produtos listados acima.A apresentadora foi diagnostica como viciada mental em morfina, ou Síndrome de Amaury. Consiste de um estado mental semelhante à pessoas sobre efeito de morfina sem sequer ter usado a droga.
  • Xaropes antitosse, Mucosolvam – contém quantidades perigosas de morfina em sua formulação, sendo proibidos em alguns países como Holanda.

Outro problema com estas drogas é a facilidade com que elas levam à dependência, ficando as mesmas como o centro da vida das vítimas. E quando estes dependentes, por falta de dinheiro, param de tomar a droga, ocorre um violento e doloroso processo de abstinência, com diarréia, cólicas intestinais, caganeira, olhos ressecados, sorriso idiota, mãos frias etc, que pode durar até 8-120 dias.

Além do mais, o organismo humano se torna tolerante a todas estas drogas narcóticas. Ou seja, como o dependente destas não mais consegue se equilibrar sem sentir os seus efeitos ele precisa tomar cada vez doses maiores, fazer coquetéis de narcóticos e se enredando cada vez mais em dificuldades, pois para adquiri-las é preciso cada vez mais dinheiro. Como foi o caso de muitos artistas de TV como Nelson Ned, Xuxa, Raul Gil, Nelson Rubens entre outros.

Contraindicações[editar]

Gilberto Barros demorou 22 meses para nascer, devido sua mãe ser viciada em morfina.
  1. Hipertensão ucraniana.
  2. Pacientes dengosos.
  3. Gravidez.
  4. Acefalite.
  5. Idiotia patética.
  6. álcool, pinga, cachaça, vitaminas de ácido, maconha, LSD, Haxixe, cola de sapateiro, aspirina, doril e mucosolvam.

Enquanto droga de abuso[editar]

É mais frequente ser utilizada o seu derivado, a heroína. Ou em conjunto com heroína, LSD e Haxixe. É considerada droga já que é viciante. Causa alegria e bem-estar mas o viciado precisa de cada vez mais doses, o que é chamado de Tolerância Drogástica de Barros:

Gilberto Barros por demorar 22 meses para nascer, é totalmente imune aos efeitos da Morfina. Por mais que injete ar com morfina ou beba xaropes antitosse, ele permanece inalterado psiquicamente e fisicamente.

Recentemente, um médico acusou essa descoberta de inválida, já que Gilberto Barros não dispõe de neurônios suficientes para que estes sejam afetados pela droga. Outro médico explicou que um cérebro reduzido não significa que seja inexistente, logo, Gilberto sofre os efeitos da droga mas não reage da mesma maneira.

A Morfina produz dependência física e mental. A dependência física aparece depois de 6 horas e caracteriza-se pela Síndrome Adriane Galisteu, tremores, pêlos arrepiados (pele de frango), suores, riso idiota, respiração ofegante e face congestionada. Os olhos ficam saltados e cheios de olheiras, o cabelo fica feio e quebradiço.

Usuários conhecidos[editar]

Marísia Letícia em estado morfético.

Poucas pessoas admitem o uso desta droga, preferindo se dizer adeptos do uso da Cocaína, para se mostrar com poder aquisitivo. Entre os prováveis usários de Morfina e ou Cocaína destacamos:

  • Marta Suplicy – Já esteve em clínicas re-habilitação, Chegou a comparar a uso de morfina injetável com o caos do transporte aéreo ao dizer que “depois você esquece de todos os seus problemas” .
  • Amaury Jr. – Portador de uma rara doença mental chamada de Síndrome Amaury, nomeada em sua homenagem. O enfermo apresenta fala atropelada e confusa. Perda de cabelos, estufamento da face e andar cambaleante. Além do riso idiótico típico de toxicômano.
  • Eliana – Típica usuária de morfina injetável. Apresenta comportamento típico de narco-dependente. Fala pausada, olhar vazio, rosto congestionado, mau-humor súbito e apatia idiótica.
  • Maísa - Usa a droga desde que entrou na SBT,especialmente antes do Bom Dia e cia.
  • Angélica – a insípida apresentadora faz uso de morfina desde os 10 anos de idade. Apresentava traços de intoxicação como face amortecida, olhar vazio, cabelo feio e quebradiço, pele azulada, convulsão mental e obesidade. Após misturar com pó-de-mico, agora não se apresenta mais obesa.
  • Romero Jucá – Quando fazia filmes pornográficos obscuros, o “Juca Porn” confessou ter usado cocaína e morfina que foram introduzidas analmente pelos outros coadjuvantes dos filmes. Re-habilitado, Romero Jucá agora é senador e marido de Teresa Surita, a irmã de Emílio Surita.
  • Marisa Letícia – A primeira-dama fumava maconha com Nescau desde os 5 anos de idade. Depois se viciou em morfina injetável com Tang, o que têm lhe atríbuido a apatia idiótica, olhar e cabeça vazios, mau-cheiro, lerdeza seguida de riso idiótico, erupções na pele, pele levemente azulada, inchaço na face e varizes. Marísia esteve internada em um manicômio com coma idiótico por 16 vezes.

Na cultura popular[editar]

  • O termo morfético foi usado erroneamente para descrever pessoas com Morféia, mas na verdade pode ser usado para viciados em Morfina;
  • Em 1983, Gilberto Gil escreveu uma música que retrata os efeitos da Morfina misturada com KI-Suco Uva no início da música "A novidade”:U-u-u-u-u-uuuuu Aiaaaaaaaaa..."
  • Xuxa escreveu várias músicas sobre seu vício em Morfina, com refrões como “Eu sou feliz, eu sou feliz” e “Eu to feliz, eu tô alto-astral, tô sorrindo à-toa...”
  • Eliana tinha em seu programa um robô tosco que era uma alusão à máquina de hemodiálise que ela teve que usar devido seu vício em Morfina.

Ver também[editar]