Jean Michel Jarre

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

{{#logotipo:http://image.uncyc.org/pt/6/69/Oxypedialivre.png}}

FrancesAutentico.jpg ALLONS EN₣ANTS DE LA PUTARIE!!

Este artigo è ₣rancês! Ele não toma banho, come camembert e faz biquinho. O autor já mendigou na Avenue Champs-Elysèes e è xenofòbico.

Cuidado! A qualquer momento um alemão pode invadi-lo!

Arband.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!

NewBouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Jean Michel Jarre.

Cquote1.png Detesto Cquote2.png
João Barone sobre Jean Michel Jarre
Cquote1.png Autor da música Carruagens de Fogo Cquote2.png
Rede Bandeirantes sobre Jean Michel Jarre
Cquote1.png Ele é um serial killer do amor Cquote2.png
Isabelle Adjani sobre Jean Michel Jarre
Cquote1.png Só comi... Cquote2.png
Jean Michel Jarre sobre Isabelle Adjani

Recado de Jarre para seus fãs argentinos e suas ex-namoradas.

Cquote1.png Comi muuiitoo... Cquote2.png
Jean Michel Jarre sobre Charlotte Rampling
Cquote1.png Jean Michel Quem ? Cquote2.png
Vendedor de qualquer loja de CDs sobre Jean Michel Jarre
Cquote1.png Jean Michel Quem ? Cquote2.png
MTV Latrina sobre Jean Michel Jarre
Cquote1.png Jean Michel JARRA Cquote2.png
Yuri Luzhkov (ex-prefeito de Moscou) sobre Jean Michel Jarre
Cquote1.png Ele devia passar o réveillon com a mãe Cquote2.png
Ziraldo sobre provável show de Jarre no Rio
Cquote1.png Eu passei com a tua! Cquote2.png
Eu sobre Ziraldo
Cquote1.png Um cara boa pinta, que na malandragem aperta várias teclas e botões, num concerto do barulho pra ninguém botar defeito! Cquote2.png
Narrador da Sessão da Tarde sobre concerto de Jarre
Cquote1.png Nunca vi nada parecido em toda a minha vida... Cquote2.png
Stevie Wonder sobre show de Jarre
Cquote1.png Eu também não... Cquote2.png
Ray Charles sobre show de Jarre

O dublê de músico e mímico de teatro Jean-Michel André Jarre nasceu dia 24 de agosto de 1948 no distrito de Prexeque, na cidade de Lyon, Planeta Thundercats.

É conhecido como "Mago dos Teclados" no Brasil, por esconder seus teclados (vai saber onde) durante suas performances. Ele é mais lembrado pelos shows chatíssimos que passaram na Globo e na Manchete. Como castigo, a segunda se ferrou faliu.

Jean Michel também é lembrado quando toca músicas em: elevador, formatura, consultórios dentários, corrida de São Silvestre, caminhões de gás, filmes de foda, supermercados, parada GAY e de propaganda de cursinhos preparatórios pra vestibular em rádio AM.

Sua música mais famosa é o tema da propaganda do Tênis Pé Baruel nos intervalos da programação da Rede Bandeirantes de Televisão.

Seus espetáculos de pulgas música possuem defeitos de raio laser, projeções de imagens subliminares e uma quantidade gigantesca de fogos de artifício, causando assim, o aumento geral no efeito estufa da Terra.

Início da Desgraça Carreira Musical[editar]

Jarre é filho de Jarre. Jean-Michel Jarre é filho de Maurice Jarre Ravel, compositor de trilhas sonoras de cinema tão chatas quanto as músicas do filho (mas apesar disso, ganhou um Oscar pela trilha de um filme sem som). As mais conhecidas são a trilha de Dr. Divago , Lourenço Dá O-rábio e Bhost - O Cocô Atolado da Vida. O resto é lixo. Jarre (o filho) estudou piano clássico na sua infância, mas abandonou os estudos assim que percebeu (ou alguém o convenceu) de que era ruim pra bedel. Inconformado Dessa forma, Jarre (o pai) largou a família e emigrou para tocar punheta nos Estados Unidos. Na adolescência, Jean Michel criou sua própria bunda banda de mendigos chamada "Mysère IV". Um grupo vagabundo do teatro francês invejou e criou a peça "Les Miserables". Ai a banda de Jarre faliu. Posteriormente ele criou outra trupe: The "Justbichas" , que também faliu. Sendo assim, resolveu seguir em carreira solo.

Os anus Dreyfus[editar]

No início dos anos 1970, Jarre trabalhava de padeiro mas o dinheiro não dava pra farinha que consumia nem pra realizar seu sonho de conhecer Los Angeles. Gravou então barulhos do moinho de Dom Quixote, inverteu a rotação da fita e assim gravou seu primeiro single: "L.A. Cake". Em seguida, incomodou um dos clientes da padaria que era dono de gravadora, o Sr. Francis Dreyfus, para que ele lhe desse uma oportunidade. Entretanto o disco foi lançado como "La Cage", pois não existia a letra K nos tipógrafos da gravadora.

O primeiro disco lançado mundialmente foi "Oxygene", que obteve grande sucesso, embora tivesse só uma música do início ao fim, dividida em 6 partes. (Mesmo que o disco se chamasse "Oxygene", seus shows deveriam se chamar "Monoxy d'Oxygene" devido ao volume de fumaça proveniente dos fogos de artifício).

"Equinoxe" foi o segundo disco, mais dinâmico chato. Era novamente uma só música, dessa vez dividida em 8 partes. Nessa mesma época fez o seu primeiro show, no dia da Queda da Bastilha, na Place de La Concorde em Paris, onde graças a uma greve dos motoristas de ônibus, conseguiu juntar cerca de um milhão de cabeças, pois a música de Jarre enfeitiçou os capatazes de plantão que gilhotinaram o público presente, entrando assim, no Guinness Book of Records.

Jarre sofrendo um ataque laser Jedi.

Em 1981, foi convidado a fazer rituais apresentações na China a fim de ressuscitar Darth Mau Tsé-tung. Os dirigentes do Partido Comunista resolveram promover um espetáculo que mostrasse aos jovens como era decadente e entediante as músicas capitalistas e escolheram a dedo no cu o artista a se apresentar. Para a sorte de Jarre, Pedrinho Matar, Guilherme Arantes e Frank Aguiar ainda não existiam.

Em 1983, Jarre gravou um disco chamado "Music for Supermarkets" que, de tão horrível, vendeu apenas uma cópia. Nem a sua mãe quis comprar o disco. Em seguida, inventou-se um leilão onde essa única cópia foi arrematada por 10.000 libras. Músicas deste disco foram recicladas e depois relançadas em discos PETs futuros para os trouxas fãs. Monseiuer Phillipe D´aputta, comprador que pagou as 10.000 libras, entrou no Alec Guinness como o bobalhão cidadão que pagou o valor mais caro por um único LP.

Já em 1984, Jean Michel Jarre gravou "Zoolook", que foi descrito por ele como "uma tentativa de chegar a uma linguagem anal universal". Para isso, o artista usou gravações de vozes em várias línguas bem conhecidas, como o aromático, afegão, árabe, au-au, balinês, buhundi, drack, carioca, esquimó, húngaro, indiano, japonês, klingon, malaio, pigmeu e sumô. Mas foi só uma tentativa.

Líder da NASA ao som de Jarre.

Dois anos depois, a NASA e a cidade de Houston o convidaram para comemorar o aniversário de 150 anos da NASA e 25 anos de Houston... Ou era o contrário???? Bem, não importa... Os Nasistas e a cidade texana convidaram Jarre para celebrar os dois aniversários. Para este show estava programado um han solo de chatosofone de um astronauta a bordo da Challenger, o que seria a primeira música tocada do espaço, mas a nave explodiu mandando o astronauta pro caralho espaço antes.

Foi gravado o disco "Rendez-Vous" e realizados os shows de Houston e Lyon, este último com a presença do Papa João Paulo II. Foi ai que surgiu o hit "O Papa é Pop". Em ambos os concertos foram utilizadas gigantescas projeções de imagens e laser além dos peidos fogos de artifício que aumentaram catastroficamente o efeito estufa em Houston, dando origem ao deserto do Texas, além de matar o caminhoneiro BJ e aquele macaco idiota chamado Urso.

Showrrasco de Jarre em Houston. Observe a fumaça da picanha mal passada.

Em 1988 ele gravou o disco "Revolutions" e também fez dois shows em Londres. Para evitar ser agredido pelos hooligans e fãs do bom rock inglês, Jean Michel teve que tocar em uma balsa (que cobrava pedágio) no rio Tâmisa. Esse show foi assistido por 800 mil ostras e pela Princesa Diana (que vomitou a noite inteira, concebendo o Príncipe Harry Potter). Os shows foram embalsamados registrados no CD "Jarre Live".

Em 1990, Jarre entrou novamente no Guinness Book of Records por um show em La Defense em comemoração à Queda da Bastilha, com 2 milhões e meio de fios de alta tensão assistindo o show. No mesmo ano foi lançado o disco "Waiting for Cousteau", cuja capa é a orelha decapitada de Van Gogh e serviu de propaganda para uma empresa fabricante de cotonetes. O disco possui a mais longa música (44 minutos) do francês. Essa melodia também encerrou a discussão sobre qual a sua música mais chata.

No ano de 1992 realizou 2 megashows em Zemmart (Suíça) e Sun City (África do Sul) sendo que o primeiro foi presenciado por bambis torcedores do São Paulo Futebol Clube, num vale de silicio Suíço e o segundo para um bando de elefantes desgovernados. Jarre ficou envergonhado e nem apareceu no palco para estes eventos, ficando numa cabine telefônica controlando os defeitos visuais com música pré-programada.

Em 1993 foi lançado o disco "Chronologie" e com ele Jarre fez a turnê "Europe In Concert" com shows em estádios por toda a Europa, incluindo Bogotá, Quito, Saigon e Sidney. Dessa turnê, o show de Barcelona rendeu um VHS e o de Hong Kong (fica na Europa?) rendeu um CD duplo. Neste show os fogos de artifício foram proibidos pois as autoridades locais estavam cientes dos prejuízos ecológicos causados e temiam pela elevação do nível do Mar Egeu.

Com o relançamento de sua obra em CD (até então eram LPs e K7s), Jean Michel percebeu que seus primeiros discos vendiam bem mais que os mais recentes, então resolveu jogar fora todos os aparelhos novos, pegou a velharia do porão de sua residência em Misto Croissant Salada (próximo ao Castelo de Chantilly) e gravou "Oxygene 7-13".

Projeção da palavra Vodka na Universidade de Moscou.

Em 1997, Jarre fez um show em Moscou para celebrar os 850 anos da cidade, com um público de 3 milhões e meio de garrafas de Vódka. Este show é reconhecido como um marco na história da Rússia pois, após esse dia, muitas pessoas almejaram a volta da Perestroika peluda e de Ivan Dragon Ball Z (Rocky IV).

Já no ano de 1998, o músico francês realizou o seu melhor concerto até hoje: Electronic Night 98. Jarre percebeu que suas composições eram tão horríveis que resolveu chamar um grupo de Jedis DJs para remixar seus hits do álbum Oxygene 7-13, ou seja, nenhum. Sendo assim eles tocaram qualquer bosta coisa junto com ele num palco aos pés da Torre Eiffel em Paris.

No Reveillon de 1999 para 2000, Jarre fez um concerto próximo às Pirâmides do Egito para 120 mil múmias, entre elas: Dercy Gonçalves, Mumm-Rá e Oscar Niemeyer). Neste show foi permitido o uso de fogos de artifício, afinal de contas, o Perdigão Saara já é um cocô deserto mesmo... O espetáculo durou 2 horas e, pela manhã, Jarre voltou para acordar os fãs faraós com mais músicas de despertador.

Em 2000, Jarre lançou seu primeiro disco cujas músicas tinham letras, "Merdamorphoses". Este álbum serviu pra mostrar que ele é tão mal letrista quanto compositor. Para atenuar a mediocridade, Jean Michel convidou Laurie Anderson (que já havia furnicado participado em "Zoolook"), Natacha Atlas (a Perla belga) e Sharon Corr do grupo The Corrs.

Os anus AERO[editar]

Concerto de Jarre na fábrica de ventiladores da Dinamarca‎

Em 2002, Jarre fez um show na Dinamarca em uma fábrica de ventiladores gigantes. O público ficou confortavelmente atolado acomodado num pasto campo de fazenda. Mas como choveu durante todo o evento, o único efeito especial que funcionou foi "jogar merda lama no ventilador", dai que surgiu o termo "Dale lama". Dalai Lama, visitante ilustre do espetáculo, também foi arremessado ao ventilador.

Ainda neste ano lançou o CD "Sexus 2000" e no ano seguinte lançou "Geometry of Love" cuja capa era uma reprodução da Isabelle Adjani peluda de sua namorada. Em 2004 Jarre fez dois shows na Cidade Proibida, em Pequim, para os pequineses daquele país comunista pararem de latir pedir pelo capitalismo.

Neste mesmo período lançou um CD chamado "AERO", com um DVD 5.1 com as músicas e imagem dos olhos de sua namorada bizolhando a gente. Este DVD é utilizado hoje para tratamento de pessoas com transtorno bipolar (norte e sul).

Em 2005, Jarre fez um show chamado "Space of Freedom" em Gdansk - uma espécie de São Bernardo do Campo da Polônia - com a presença de Lech Wałęsa Camargo - uma espécie de Luis Inácio Lulla Marinha. No ano 2006 fez um show em Marrocos para uma fábrica de carpetes. Este show teve a presença do Príncipe da Pérsia.

Já em 2007, lançou o disco "Tico & Teca", que conta a história de Néo e Néa Trinity depois dos filmes Matrix, Matrix Reloaded e Matrix Revolutions. O destaque do disco vai para música "Beatiful Agony" que foi gravado com os gemidos sons da tua mãe sua mulher na hora do trabalho.

Ressuscitando a Caveira Drogada[editar]

Vai um trago ai?

Mesmo com a popularidade em baixa, por ser confundido com Roberto Carlos em um parque de Paris, o cover do Richard Claydman músico francês relançou em 2007, sua obra prima Oxygene em CD, PQP e DVD.

A capa é a mesma do original, com o nosso Planeta Terra sendo consumido por uma caveira, mas digitalizada. Grande merda, já que o Helloween fez uma capa muito mais maneiro com uma abóbora tragando um baseado.

Os extras do DVD já vem com câncer uma animação que realmente mostra onde é o cu do mundo, pois a câmera passeia pelo olho do cu da caveira, e sai nas vêntas do Planeta. Para quem só conhecia a boca do inferno, agora terá a oportunidade de conhecer o cu do mundo.

No CD musical vem a mesma cagada música da versão de 1977, somente para que os fãs babacões gastem mais grana. Porém, o antigo amante Manager de Jarre, Mr. Dreyfus, anda exigindo direitos autorais da obra por causa de uma calcinha preta que havia desaparecido do apartamento de Jean Michel.

Fase Homossexual Bichona[editar]

Jarre vestido de Pantera Cor de Rosa. Cadê o rabo ? Ele deu uai!

O pior aconteceu, Jean Bichel Jarre foi seduzido pelo lado rosa da Força. Nem mesmo sua poderosa harpa laser jedi pôde salva-lo. Já dizia a lenda que todo francês é viado. Mas Jarre não seria, pois somente passaria por uma fase de viadagem tentações. Porém isso não é motivo para preocupações, pois, segundo os adeptos de Campinas, Pelotas e São Francisco, o importante é ser meigo feliz.

A Rita Lee francesa!

Nos anos 1980 Jarre adorava desfilar o modelito rosa choque. Nos concertos de Houston e Lyon, por exemplo, ele usou um sobretudo rosa. Até ai tudo bem, pior foi durante alguns shows da turnê Oxygene Tour em 1997, onde Jean Michel resolveu atender a infeliz sugestão da vadia filha e pintou o cabelo de Cor-de-Rosa. A Loreal de Paris vendeu horrores.

O efeito rosa proliferou que nem praga, sendo que até esse lixo artigo foi afetado.

Vida particular[editar]

Jarre foi casado com Flore Gilliard (irmã do cantor brega), depois com a atriz inglesa Charlotte Rampling, que era demente. A prova disto foi que em 1995 Charlotte entrou em profunda depressão e teve que se submeter a tratamento de choque no saco (coisa que ela não tinha). Já em 1997 Jarre foi flagrado por Paparazzis com uma secretária eletrônica no Mediterrâneo. A revista Caras dedou noticiou que o romance começou quando ele fez uma serenata eletrônica com ringtones de Equinoxe 3.

Após a separação, Jarre entrou na fase Fábio Júnior da vida e teve mais de 3.000 namoradas, sendo a mais famosa a atriz francesa Isabelle Adjani , com quem ficou noivo, mas depois confundiu tudo e casou com outra atriz francesa: Anne Pollaroid, com quem vem andando na linha, para não queimar o filme.

Isabelle por se sentir traída mal comida chegou a solicitar ao presidente francês François Mitterrandedonocu que cancelasse o concerto de Jarre da China em 2004. O então presidente a mandou pra casa do caralho descansar.

Jean Michel JARRA in natura, sem maquiagem e antes das plásticas.

Jarre tem três filhos:

  • Emilie, filho dele com a primeira mulher da Tia Anastácia.
  • David, filho dele com a segunda mulher de Ronald Golias.
  • Barnabyé Southcombe, filho da segunda mulher sem ele e 100 vergonha.

Frases de Efeito[editar]

  • Quando disse: "Mercy Beaucaup"

Quis dizer: ""Vão tomar no cu"

  • Quando disse: "I hope to see you again in 150 years"

Quis dizer: ""Espero vê-los novamente no Inferno"

  • Quando disse:""...frogs likes rain!"

Quis dizer: ""Mijou sentado não é sapo. Tô comendo, porra!"

  • Quando disse:""...Brazil is a country very dificult to deal with..."

Quis dizer: ""No Brasil só tem filha da puta!"

A Relação Sexual com os Fãs[editar]

Os fãs de Jean Michel Jarre, são conhecidos como arrombados JARREFUCKS (do francês Les Enfants de la Putaire). São mal organizados, barulhentos, vivem reclamando da vida e que não tem dinheiro pra nada porra nenhuma. Geralmente os pseudo-machos possuem nomes escrotos bichisticos como SanSan, Octávio Augusto e William da vida.

A maioria dos fãs mora em Pelotas (RS), e o restante nunca viaja para o Rio Grande do Sul, pela falta de homens lá. Ué. Já viu macho no Rio Grande Chê ? Nem eu. Preferem lugares na Rússia,como Roskov, pois assim podem esquenter a própria.

Torcem em geral para o Bostafogo e alguns membros fundaram a torcida desorganizada "JarreFogão". Não aceitam qualquer tipo de críticas ao Jarre, a quem consideram quase uma divindade azul celeste. Azar dos torcedores do Inter colorado.

Aceitam qualquer coisa que ele toque duble, inclusive sons como "peido", "gemidos da genitora mãe trepando" e "arroto", presente nos seus discos mais recentes: MERDAMORPHOSES, TICO & TECA e SEXUS 2000.

Para aqueles sem senso de humor[editar]