Ipiaú

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: Piauí Cquote2.png
Google sobre Ipiaú
Cquote1.png Ipi oque? Cquote2.png
Você sobre Ipiaú
Cquote1.png Oxente meu rei, tu ta fazendo o que aqui em Ipiaú? Cquote2.png
Cidadão Ipiauense sobre citação acima

Ipiaú é uma pequena cidade localizada no interior da Bahia, e sua população por incrível que pareça tem uma população de mais de oito mil pessoas. A cidade é tudo mais ou menos, grande parte dela é só roça, plantações, gado e etceteras rurais, já a outra parte é no estilo mais paulista, cheia de sex shop lojas, motéis, e outras babaquices que não são comuns em cidades baianas.

História[editar]

Pequeno vilarejo que foi surgindo em algum momento incerto da metade final do século XIX, era na época, e não muito diferente hoje, reduto de foragidos, criminosos e aventureiros que se misturavam com índios analfabetos (chamados de tapuias os que não sabiam escrever em tupi). O primeiro pequeno núcleo rural urbano chamava-se Rapa-tição, que nada mais é que uma palavra em sotaque baiano da palavra em português "Repetição", em alusão que a pequena cidade era uma repetição de como surgiu qualquer outra micro-cidade do interior baiano.

Mas é no ano de 1912 que se registra a maior chegada de foragidos, baianos que viviam em Porto Seguro fazendo merda, que na preguiça de fugirem para muito longe, tipo Tangamandápio, ficavam com preguiça no meio do caminho e acabam servindo de boia-fria nas fazendas de cacau da região, que recebeu o nome de Ipiaú em homenagem ao Piauí, só trocaram as letras devido a direitos autorais.

É na década de 1990, com a chegada da mineradora Mirabela, que tudo muda radicalmente na região, o município de Itagibá, eivado de uma classe política mais proativa, fica com todos os royallties de exploração do solo, deixando para Ipiaú somente a parte relacionada a crescimento desordenado com favelização, aumento da população pobre e escassez pra não dizer nulidade da entrega de serviços públicos básicos.

A prefeitura até tem um Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano, mas é só um enfeite mesmo, porque nada é feito na prática e a cidade cresce desordenadamente sem qualquer estrutura, com piauienses chegando de todas as partes aos montes para trabalhar na mineradora. As bucólicas paisagens dos seus arredores da cidade já foram substituídas por favelas, ruas de terra, esgoto correndo em valas na terra, avenidas, lojas de porcarias e muitos bares. No auge, você poderia um dia passar por um local bonito repleto de uma frondosa mata silvestre e no dia seguinte descobrir que ali já virou um novo bairro inteiro gozando de nenhuma infra-estrutura, só um amontoado de gente.

Geografia[editar]

Ipiaú está localizada mais ou menos no fim de mundo sul da Bahia, entre Jequié e Ilhéus, diz o IBGE que é numa tal de Região da Cacaueira, já que tem muito cacau por lá.

A cidade é forçada a tomar banho a cada enchente banhada pelo Rio das Contas, que recebe esse nome em homenagem ao cidadão local que paga suas contas em dia. Um pouco mais distante, o Riacho do Smigol serve para criar a fronteira faz fronteira com o município de Barra do Rock enquanto o Riacho da Preguiça serve para marcar a fronteira com o município de I tá com fubá.

Clima[editar]

O clima é quente pra caralho e chove ao mesmo tempo que faz sol e neva, que depois cai granizo e faz sol novamente, típico de uma cidade baiana, é muito normal você ver crianças andando peladas pelas ruas, o que deve ser uma alegria pra algumas pessoas.

Economia[editar]

As únicas coisas que sustentam Ipiaú são o cacau e o café, que são produzidos aos montes por lá. A atividade minera não rende 1 centavo, pois as minas são todas de Itagibá e Ipiaú fica só com a parte miserável do reflexo da explosão populacional da região.

No setor de serviços o que mais se destaca é a venda de cachaça, pois lá tem muita roça (ou chácaras) nas quais são produzidas muitas canas-de-açúcar, como tem muita cachaça lá, é muito comum você ver velhos cachaceiros andando pelas ruas.

Sem contar na putaria que rola solta, sexo grátis 24 horas. Se você chegar no Bairro Novo ou no Pau d'Arco vai notar negrões com grandes pênis de veias salientes querendo te foder por 2 pedras de crack. Com o crescimento das invasões irregulares, aumentaram a prostituição e a carência do povo acostumado a receber esmola do governo.

Destaque para Japomerim, que é um distrito de Ipiaú Itagibá, de onde é exportado um grande números de ninfetas, em sua maioria da roça e mão de obra barata.

População[editar]

Cidade de quase 50 mil habitantes, quase tudo mineiros (não de Minas Gerais, mas de mineração mesmo), os ipiauenses natos são baianos como outros qualquer, falam Oxente, Meu rei, tem um dos sotaques mais escrotos fodões do mundo, de causar inveja em qualquer paulista, assistem muito a TV Aratu, são preguiçosos, gostam de acarajé e andam quase pelados pelas ruas. Sem falar na quantidade de nóia, puta e viado.

Segurança[editar]

População de Ipiaú se mobiliza para um passatempo cada vez mais popular: Fazer aglomerações em torno de cadáveres estirados na sarjeta. Vai entender o gosto dessas pessoas...

Uma cidade super pacifica, apenas há mortes violentas todos os dias, mas um problema pequeno, nada que um tiro na cara não resolva.

Cultura[editar]

O nível de cultura de Ipiaú é level 10. É possível ver crianças com pendrives em caixas de som fazendo a festa ao som de Sidney Magal e um bom PaGoDauM.

Os ipiauenses também são adeptos da maior rede anti-social do mundo, o Facebook, onde 99,9% da população tem um perfil, desde cachorros até as vovozinhas da Assembléia de Deus.

Lazer[editar]

A cidade não tem porra nenhuma para se fazer, então a maioria das pessoas passam o tempo em budegas enchendo a cara, curtindo um som do automotivo ao ritmo de Silvano Sales, Estes bares são frequentados em sua maioria por homens em busca de relacionamentos extraconjugais. O cu A cidade é infestada de trailers de hambúrguer, barraquinhas de salgado e acarajé para satisfazer o desejo por gordura da população obesa de barrigas de pochete e cerveja.

Um grande números de vagabundos filhinhos de papai invadiram o único o centro da cidade para praticar uma de suas vagabundagens prediletas, andar de skate e acabar com o único asfalto da cidade.

Outra opção é uma seresta localizada na saída da cidade pra Ibirataia, onde rola muitas profissionais do sequiço, muito pó, e claro, muita seresta e doenças venéreas.

Turismo[editar]

Vale a pena conhecer a cidade de Ipiaú e dar um rolê nas praias paradísicas da cidade e conhecer por exemplo um lindo lago cheio de gonorreia e AIDS, também nadar no Rio de Contas que não tem contas e sim sífilis e sexo gratuito. Outra atividade que vem se tornando comum é ir se aventurar em minas e escutar explosão. Na cidade tem mina e explosão, gente feia e explosão, sexo gratuito e gente bonita querendo transar e cheirar pó atrás do posto.

Tem a Praça do Cinquentenário que é um acervo de ninfetinhas de todos os tipos, a putaria rola solta por lá, desde venda de drogas até pedofilia. Já a praça Rui Barbosa tem muitos playbozinhos e patricinhas que em sua maioria não passam de filhos de empregada doméstica e moram em barracos, tem também uma equipe de vendedores de pizza e cachorro quente, se estiver afim de defecar, é só dar uma passada em um desses estabelecimentos e consumir um dog com a salsicha de molho a mais de duas semanas.