Indra

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
441-IndianElephant.jpg नमस्ते!

Este artigo é indiano, tic! Anda de elefante, joga cricket, é vegano, fala um inglês horrível, trabalha em um call center e adora incenso! Se vandalizar este artigo ou for paquistanês, você será incinerado pelas chamas de Agni! E nunca toque num Dalit!

Dhalsim meditando.png
Danger High Voltage.gif Este artigo é elétrico!

Ele manja da arte de colocar sal em polvo cru e vai dar choque no seu sistema. Se você vandalizar, vai receber um Choque do Trovão!

Desentrevistasminibox.PNG O Desentrevistas
possui uma entrevista com
Indra
Avatar Indra preparando o choque do trovão.

Cquote1.png Você quis dizer: Hydra Cquote2.png
Google sobre Indra
Cquote1.png Você quis dizer: India Cquote2.png
Google sobre Indra
Cquote1.png Esse era fodão! Cquote2.png
Raj Ananda sobre Indra
Cquote1.png Perdeu préboi! quem manda nessa porra agora é a gente! Cquote2.png
Vishnu e Shiva sobre Indra
Cquote1.png Meu senhor! Cquote2.png
Dhalsim sobre Indra
Cquote1.png Eu sei como se sente amigo! Cquote2.png
Cronos sobre Indra
Cquote1.png Quem manda trovão aqui sou eu rapaz! Cquote2.png
Thor sobre Indra
Cquote1.png Vai se fuder! Cquote2.png
Indra sobre citação acima
Cquote1.png Tome raio! Cquote2.png
Indra sobre Estado de São Paulo

Indra é o deus indiano da guerra, do trovão e das tempestades. Ele também era o mais foda dos deuses indianos, tipo o Zeus para o gregos, ou Thor para os Vikings.

Sobre Indra[editar]

Ele era o líder dos Devas e defensor dos fracos e oprimidos e defendia a terra das forças malignas do Esqueleto. Mas hoje em dia, Indra não faz mais porra nenhuma, pois ele perdeu seu cargo de fodão para vixi nu Vishnu e Shiva. Antes ele costumava a ser o deus do sol, já que ele sempre queria ficar perto sol pra pegar um bronzeado, porém ele gastava muito em protetor solar, então ele decidiu ser o deus do trovão, o que lhe causou alguns probleminhas de direitos autorais com o Thor.

Agora o Kamehameha.

Mas no final, Indra não teve que pagar nada ao Thor pois conseguiu convencer o juiz de que não estava plágiando ninguém já que ele não era apenas deus do trovão, mas também, deus da guerra, das tempestades e da dança do ventre (essa ele inventou pra enganar o juiz). Para fazer sua dominação do elemento ao qual ele era o deus, Indra usava uma arma conhecida como Vajra, o parafuso relâmpago, o que causava muito medo aos seus inimigos, afinal, quem é que não tem medo de um parafuso não é?

Indra também aprendeu a arte do arco e flecha com o Arqueiro Verde, e a arte da rede e do gancho também com os pescadores do Pará. Além destes, Indra também tinha muitos atributos, pois Indra sabia: colocar ordem numa zona, mandar chuva onde não se tinha a muito tempo, criar uma plantação em locais áridos, e podia também ressuscitar os mortos sem usar de esferas mágicas.

Sua fisionomia era descrita como sendo de um homem de pele de cor tomate avermelhada e com dois ou quatro braços muito longos (humm, isso já ajuda muito na hora da punheta). Seus pais eram o deus do céu, Dyaus Pica Pita e a deusa da terra, Prthivi. Indra passou um bom tempo na casa dos pais, até que ele comprou um palacete que custou uns 2 trilhões do dólares indianos, e logo após a compra, Indra levou seu cafofo para as nuvens pra não ser obrigado a escutar aquelas músicas indianas barulhentas.

Vida[editar]

Indra sempre estava preparado pra tudo nesse mundo, tanto que ele até nasceu adulto e armado com a faca AK47, perfeita pro combate. Se ele já sabia se defender e era um homem feito também, então só faltava ele arranjar uma mulher, e foi isso mesmo que ele fez. Sua esposa era Adriane, nascida em Itapissuma e mudou-se para a India por conta do marido. Após o casamento, Indra contratou uns impregados pra fazer uma faxina na casa, aos quais Indra os chamou de Maruts (Mercenenários Arrumadores Usuários de Tonalizantes Sabios). Seus filhos com Adriane foram: Jayanta, Midhusa, Nilambara, Rbhus, Rsabha, Sitragupta, e Arjuna. Cuidar de todos esse filhos dava trabalho pois eles não nasceram crescidos como o pai, então quando Indra queria reunir suas forças, ele fumava de uma maconha chamada Soma, ao qual lhe dava disposição e potência sexual. Como todo indiano gosta de elefante, Indra não é diferente e então comprou um pra ele; bom, na verdade esse elefante era um presente de aniversário pra um dos filhos dele, mas Indra gostou tanto do elefante que decidiu ficar com ele e o chamou de Airavata.

Indra tendo seu passeio interrompido por um idiota.

Tudo estava ocorrendo normalmente na vida de Indra até ele escutar sobre um noob chamado Asura Vritra que roubou toda a água do mundo. Indra não ligou muito pra isso no começo, mas depois ele ouviu que o tal do Vritra roubou a água só pra ele, ele ficou puto já que Indra não tinha comprado nem uma piscina ainda, e do nada vem um cara e rouba toda a água do mundo pra ter uma piscina particular. Então, nosso bravo herói Indra partiu em direção as 99 fortaleza do filho da puta do Vritra (entendeu porque o cara é um filho da puta?), e o derrotou após tomar espinafre soma. Como resultado da derrota de Vritra, toda água do mundo volta e Indra vira o fodão dos deuses.

Mas você pensa que a história acabou por ai? não, mas não acabou mesmo. Indra inda teria que escapar de uma deusa ninfomaníaca que saiu das tripas de Vritra. Como Indra não sabia lidar com mulheres ninfomaníacas, ele foi pedir ajudar a Brahma, que o ajudou, porém depois Indra teria que pagar uma penitência, pois ele matou Vritra que um broxa brâmane e não se podia matar um brâmane, então Indra teve que ir para o cantinho da consciência e refletir sobre seus crimes. Essa história de Indra ter pedido ajudar a Brahma pra resolver um problema com mulher vazou graças a um programa fofoqueiro da televisão aberta, e Indra perdeu vários fiéis e também a fama, passando apenas a aparecer de vez em quando na tv e nas novelas.

Ver também[editar]