Gurgel TA-01

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Confucio.jpg Pastel de flango, né?

Este altigo foi fablicado na China e pode queblar a qualquer momento. O autor plovavelmente luta Kung Fu e tem uma pastelalia. Não estlague este altigo, pois Jackie Chan está de olho.

Hoe.jpg Ordem para os pobres, progresso para os ricos.

Aí, mermão, este artigo aqui, ó, é brasileiro, tá ligado? Só fala de futebol, come feijoada, exporta diplomatas, puxa o saco dos EUA, paga imposto pra caralho e põe a culpa no governo pela dificuldade de atendimento médico.


Cquote1.png Você quis dizer: Carro chinês falseta com nome de nacional Cquote2.png
Google sobre Gurgel TA-01
Cquote1.png Quem copia quem agora?! Cquote2.png
Gurgel sobre China

Modelo com cabine fechada.
De olho no meio ambiente, a montadora tem testado conjuntos motrizes ecologicamente corretos.
Gurgel TA-01, lançado em 2004, foi o primeiro produto com a marca Gurgel desde 1994.
Fiat Fiorino, concorrente mais próximo.


O Gurgel TA-01 é um modelo de automóvel lançado em 2004, que reintroduziu a marca Gurgel no cenário automotivo nacional.

Especificações[editar]

Tem velocidade máxima de 60 km/h, graças ao espetacular motor Tramontini 1.2 de 20hp movido a diesel, com refrigeração a água por evaporação. Dizem que carrega 1200kg tranquilamente, embora não seja comprovado cientificamente que um modelo de 3 rodas possa carregar mais de 600kg. A concorrência (fabricas de carros-de-mão e afins) afirmam que o DENATRAN não permite que o modelo de capota fechada entre em produção, pois o risco de se ficar trancado dentro quando a parada pega fogo é muito grande.

Fábrica[editar]

Ao invés de ser fabricado em Rio Claro, como foram os outros modelos da marca, este passou a ser feito em Presidente Prudente, e depois em Três Lagoas (MS).

Motor e câmbio[editar]

O motor chinês ja foi substituído por um similar brasileiro talvez até de qualidade superior, mas o câmbio; por enquanto; continuará sendo importado da China.

Tuning[editar]

Foto "oficial" do Gurgel TA-01 feita pelo fabricante chinês que produziu as primeiras unidades e ainda fornece motor e câmbio.

Em função da mecânica pouco elaborada do modelo e acabamento excessivamente rústico até mesmo para um utilitário, a maioria dos proprietários recorre ao tuning para deixá-lo mais "civilizado".

Como tem freios apenas nas rodas traseiras(e a tambor) alguns proprietários adaptam na roda dianteira um disco ou outro tambor pra dar mais poder de frenagem. Para evitar a fadiga decorrente das excessivas trocas de marcha necessárias em virtude do pouco torque, embora o motor seja a diesel, há quem adapte um sistema de embreagem automática.

Para compensar a mesma falta de torque algumas opções são turbo (solução adotada pelo Hospital Sírio-Libanês em sua UTI móvel), aumentar a vazão da injeção (mecânica), rebaixar o cabeçote ou até mesmo em casos extremos recorrer à troca do motor por algum que preste, refrigerado a ar ou a água com circuito selado (eventualmente alguns proprietários fazem gambiarras para adaptar radiador no motor original do TA-01). Um escapamento decente, além de ajudar a melhorar a circulação dos gases, reduz o altíssimo nível de ruído.

Para compensar a falta de capota, portas e cintos de segurança, uma opção comum é adaptar cabines de fibra de vidro semelhantes a uma guarita(talvez a única semelhança com os Gurgel originais). Para o motorista ter informações como velocidade e nível de combustível no tanque, tem que adaptar um painel decente. Antes do modelo passar a vir com um inútil horímetro ao invés do conta-giros, era comum ser adaptado o painel da Honda Biz, agora quem quiser conta-giros que adapte o da Honda CBX 250 Twister, Tornado, ou qualquer outra com conta-giros ou compre um daqueles usados por tuneiros...

Outra coisa que não poderia faltar é um sistema de som. Como um rádio automotivo com CD-player no Brasil não sai por menos de R$ 200,00, há quem opte por um rádio com toca-fitas de R$ 50,00 com um adaptador de R$ 20,00 para usar um Chipod de R$ 100,00 no lugar das obsoletas fitas cassete. Para não ter que gastar dinheiro com uma antena, que permitiria ouvir as rádios AM, alguns proprietários se dão por satisfeitos podendo ouvir as FM.

Para dar ao modelo uma aparência mais sofisticada, kits da TGPoli e similares são comuns, bem como manopla de câmbio e calotas comprados no Carrefour e volante Panther.