Fobos (satélite)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Fobos é uma das duas luas de Marte, e ao contrário do que se imagina, não possui formato esférico bonitinho, tendo um formato de amendoim mal mastigado. Possui em seu centro um furo que alguns afirmam ser uma cratera, mas não passa do umbigo do pequeno astro.

Exploração[editar]

Imagem obtida pela missão Mars Reconnaissance Orbiter.

Como já amplamente conhecido, os nerds norte-americanos são pessoas extremamente desocupadas, especialmente antes da internet ser evitada, portanto nem material para bater punheta eles tinham. Se não deprimidos, muitas vezes entediados, não é nenhuma surpresa que foi um norte-americano a descobrir o satélite marciano de Fobos, o astrônomo Asaph Hall. Esta honrosa e importante descoberta se deu no marcante dia de 18 de Agosto de 1877 às 09:14 do horário oficial da Universidade de Massachusetts de Visagismo, num momento em que as pessoas normais estavam trabalhando em algo útil ou pelo menos estavam fingindo que elas estavam trabalhando.

Devido ao seu aspecto peculiar de satélite perdido onde não deveria estar, Fobos jamais foi explorada, no máximo sendo alvo de algumas fotografias despretensiosas. Somente em 2011, os soviéticos lançaram um audacioso projeto de exploração de Fobos, a sonda Phobos-Grunt, que por ser feita totalmente de papel alumínio não resistiu à atmosfera de fósforo do satélite.

Órbita[editar]

Fobos é o satélite do sistema solar mais próximo de seu planeta, localizado a apenas 1000 metros do solo, pode ser avistado a olho nu mesmo possuindo apenas 11km de diâmetro. Acredita-se que sua órbita é o motivo da extinção da vida vegetal em Marte, pois sua proximidade com a atmosfera marciana gera uma abrasão que faz pó de pirilimpimpim cair em Marte e envenenar quem lá vivia. Em 50 milhões de anos cairá em Marte, embora açgumas pesquisas e simulações recentes digam que o satélite rachará e explodirá dramaticamente numa supernova criando um anel de purpurina em torno de Marte daqui a 50 milhões de anos.