Esmeralda (Saint Seiya)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Taki03 2.jpg Este artigo se trata de uma Hentai Girl
Ela é gostosa, mas nón ecziste. Ela participa de algum desenho, jogo ou quadrinhos e trabalha na ordenha de touros.


Esmeralda

Sanctuarydesigneresmeralda.jpg

Classificação Personagem avulsa
Cavaleiro
Deus a que serve Guilty (o próprio pai)
Armadura Nenhuma
Golpes Idem
Perfil
Nacionalidade Bandeiradoinferno.jpg Ilha da Rainha da Morte
Local de Treinamento Nenhum
Nascimento Ah, sei lá
Frase Favorita "Oh, Ikki"


Cquote1.png Você quis dizer: A namorada de Ikki de Fênix? Cquote2.png
Google sobre Esmeralda (Saint Seiya)
Cquote1.png Você quis dizer: Gostosa que só aparece em flash backs? Cquote2.png
Google sobre Esmeralda (Saint Seiya)
Cquote1.png Experimente também: Eurídice, a namorada de Orfeu de Lira Cquote2.png
Sugestão do Google para Esmeralda (Saint Seiya)
Cquote1.png Ela é um anjo, é o amor que eu tanto quero, me fez viver um sonho lindo, sentimento verdadeiro! Cquote2.png
SBT sobre Esmeralda
Cquote1.png Esmeraldaaaaaaa! Cquote2.png
Ikki de Fênix sobre Esmeralda
Cquote1.png Ahhh! Para de frescura! Eu sei que tu tava atrás dela pra conseguir as Sete Esmeraldas do Caos! Cquote2.png
Guilty sobre Ikki de Fênix
Cquote1.png Mas essa não sou eu em corpo de mulher? Cquote2.png
Shum de Andrômeda sobre Esmeralda
Cquote1.png Pode até ser, mas ela é bem melhor! Cquote2.png
Qualquer um sobre a afirmação acima

Apresentação[editar]

Esmeraldapedra.jpg

Esmeralda Rubi Safira Pérola Maria, mais conhecida como Esmeralda (agora percebeu-se o porquê disso) é a escrava branca da série do anime yaoi Cavaleiros do Zodíaco, filha única (para o azar da pobre garota) do Cavaleiro da Deusa Athena Guilty. Seu local de habitação não era os dos mais requisitados para passeios turísticos, já que ela morava na assombrosa Ilha da Rainha da Morte, um lugar que muitos acreditavam se tratar apenas de um pequeno atalho para o inferno (ou mesmo de uma parte dele, perdida em solo terrestre), mas quando Seiya de Pégasus e os outros Cavaleiros de Athena desceram para enfrentar Hades no submundo, pôde-se perceber que a Ilha da Rainha da Morte é muito, mas muito pior do que aquilo.

A vida (se que é que pode chamar isso de vida)[editar]

Esmeralda bem alegrinha, indo receber sua surra matinal

Como já foi citado acima, Esmeralda era a filha única de Guilty, que era simplesmente considerado o dono de toda a Ilha da Rainha da Morte e, pelo visto, não tinha uma mãe (não uma que desejasse viver do lado dela naquele local horrível). O rosto de seu pai nunca foi mostrado na série (igualmente a máscara que nunca saiu da cara de Kakashi Hatake no anime Naruto), fazendo um enorme suspense de como é que afinal seria cara que a "máscara feliz africana" escondia. O pai dela tinha sido escolhido pelo próprio Mestre do Santuário (que nesse momento já era Saga de Gêmeos) para guardar a tal Ilha, e não permitir que os mais de oito mil variados Cavaleiros Negros Afro-Descendentes, que alí se encontravam exilados por serem um bando de fracos mesquinhos, arrogantes e só desejavam realização pessoal, saíssem daquele local macabro e voltassem a tocar o terror em toda a Terra.

O pai de Esmeralda, Guilty, todo sorrisos. Ele é a simpatia em pessoa

Foi escolhido por ser um homem machista e impiedoso, daqueles que não choravam por estar tirando sangue de algum inimigo. Porém, como se tratava de Saga de Gêmeos o Mestre do Santuário, acabou recebendo o Satã Imperial dele, fazendo com que o seu sadismo por sangue se agravasse, tornando um cara que somente descansava de bater nos outros quando dormia, isso quando dormia. Acordado, ele tocava o terror por onde passava, distribuindo porrada e machucando todo o mundo (que já não eram muitos naquela ilha), sendo que a sua filha era a única em que ele não metia a mão, e isso é perceptível pelo fato dela nunca ter aparecido machucada no anime, a não ser que os hematomas estivesse cobertos pela roupa dela, (ou não). Por ser um machista, não permitiria que sua filhinha ficasse sozinha, enquanto ele se ferrava na Ilha, resolveu levá-la consigo, afim de obrigá-la aos piores trabalhos possíveis na localidade (mas pelo menos ele não batia nela).

Esmeralda nunca reclamou do árduo trabalho que tem que fazer na Ilha (e também nunca reclamou o fato de só ter uma peça de roupa)

Nesse local em que Esmeralda morava mal nascem algumas ervas daninhas. Rios de lava correm por todos os lados, o ar que lá se respira é insuportável, a população é formada majoritariamente por emos sadomasoquistas e só havia uma única mulher em toda a localidade, que era justamente a dita-cuja da filha de Guilty. Por ser a única representante do sexo feminino que tinha por alí é que Esmeralda acabou virando a escrava de todos, não só no sentido de trabalhadora braçal (já que ela sozinha precisava lavar a louça, as meias e cuecas de todos que moravam na ilha, que eram aproximadamente 150 pessoas, todas idênticas, vestindo armaduras de fênix feitas de carvão vegetal e mais uns 6 ou 7 indivíduos diferentes) e ainda servir de boneca sexual para divertir os rapazes durante o seu árduo treinamento, mas Esmeralda não reclamava. Na verdade, ela não se importava, mesmo quando eles ficavam violentos. Ela até que gostava... gostava muito.

Ela vivia sua vida cheia de dor e sofrimento, mas, como uma boa sadomasoquista que era, sempre estava com um sorriso no rosto (ao melhor estilo kawaii), satisfeita com a situação em que se encontrava (talvez ela visse sempre o copo meio cheio). Mas um dia, tudo mudou. Foi quando chegou à Ilha um rapazinho rude, impetuoso, violento, com um fogo insaciável, que sempre queria mais, além de ser um total noob na arte de lutar... e neste dia, Esmeralda se apaixonou por ele. Ikki era seu nome.

Ikki, o novato[editar]

O (nada simples) treinamento de Ikki na Ilha da Rainha da Morte

Esmeralda via Ikki apanhar pra caramba, feito mulher de malandro treinar arduamente com o seu pai todo o santo dia, afim de conseguir a Sagrada Armadura de Bronze de Fênix (que eu nem imagino onde fica o bronze daquela armadura, mas tudo bem) e assim voltar para o lado do seu querido irmão afeminado Shun de Andrômeda. Esmeralda começou a se interessar pelo rapaz, pois viu como ele parecia gostar de apanhar tanto quanto ela era esforçado e se dedicava ao máximo em tudo que fazia (apesar de sempre levar um Especial de porrada de Guilty, que, dominado do jeito que estava por Saga, nem se importava com com o que Ikki sentia). A fim de passar mais tempo com seu amado, Esmeralda começou a folgar mais com os outros rapazes, não deixava mais a louça brilhando, por vezes esquecia de usar amaciante e as meias não ficavam muito confortáveis, dentre outras gafes. O jovem rapaz Ikki começava a perceber o interesse de Esmeralda para com ele, mas ainda não sentia nada, até um dia...

WTF? Shun e Esmeralda tem a mesma cara? Ou é muita coincidência ou muita falta de criatividade

Com o passar do tempo, Ikki foi reparando mais na garota, olhando o jeito com que sorria, brincava e, pricipalmente, como tratava dos seus variados hematomas pelo corpo. Mas a paixão só veio quando, olhando mais atentamente para ela, viu que Esmeralda não passava de um perfeito clone oxigenado de seu irmão, Shun de Andrômeda. E foi aí que começou o caso entre os dois, já que Ikki mantinha relações incestuosas com seu único irmãozinho, e desde que o tinha abandonado para treinar, ficou sem parceiro para suas atividades mais safadas. Esmeralda era a substituta perfeita, pois se ele usasse um pouco a imaginação, iria parecer que estava na verdade dormindo com seu irmão, e isso o reconfortava. Cansado do desleixo com que Esmeralda vinha fazendo suas tarefas, Guilty, o pai, resolveu descobrir o que se passava na cabeça da garota. Ao abrir a porta do seu quarto, viu a pouca vergonha que estava sendo feita no recinto, e agrediu a moça na frente de Ikki.

Ao se deparar com tal cena, Ikki se mete na frente e resolve atacar Guilty, para que o mesmo largasse Esmeralda e o enfrentasse (já que aquilo era uma covardia), mas ele ainda é tão fraco, se comparado com o pai da garota, que acaba recebendo uma bordoada simples na orelha, indo parar na "Conchichina" facilmente. Mas, como é mulher de malandro, Ikki não desistiu, e continuou a (pelo menos tentar) socar o seu mestre, mesmo que isso não adiantasse em nada, já que ele nem sentia esses fracos socos.

A morte de Esmeralda[editar]

O exato momento em que Esmeralda é ownada pelo próprio pai (quem sabe assim ela aprende a ficar no lugar dela e não se meter em brigas)

Guilty continuava a segurar fortemente Esmeralda, esganando-a. Ao ver isso, Ikki ficou assustado, pois pensava que ele estava maltratando Esmeralda... mal sabia ele que a garota estava é gostando e pedindo mais (em pensamento), esperando que batessem com mais força, que dissessem a ela que ela era má e precisava mesmo de uma boa disciplina. Quando esmeralda viu que Ikki iria tentar bater no seu pai de novo, ela aproveitou para entrar na frente, quem sabe com um pouco de sorte ela não apanhava de Ikki também, e com isso sentiria o maior prazer jamais imaginado, recebendo um golpe duplo de dois homens realmente fortes.

Mas o tiro acabou saindo pela culatra da garota. Infelizmente (ou não), Guilty acabou soltando-a, jogando-a para o lado, no chão. Ikki então o ataca com um (poderoso?) soco, mas acaba errando o alvo. Vendo uma brecha na defesa de Ikki, Guilty dispara o seu mais foderoso golpe (sem denominação), porém, Esmeralda, em um estado completamente emo e kamikaze (provavelmente ela havia cheirado alguns gatinhos antes dessa confusão toda), se joga na frente de Ikki para protegê-lo, recebendo o golpe bem no meio do peito seio esquerdo, próximo ao coração. Esmeralda então cai no chão, podendo somente dizer algumas palavras a Ikki.

Em seus últimos momentos de vida, Esmeralda falou com Ikki que essa era a melhor morte que ela podia querer o amava muito e que desejasse que ele encontrasse o irmão, podendo assim se satisfazer por completo (caso ela nunca tenha feito isso para ele, enquanto estavam juntos), quando ele violentamente pôs a mão em seu peito, pensando em fazer os primeiros socorros (ou simplesmente como um ato tarado), Esmeralda acaba morrendo. E esse foi o fim de Esmeralda, sendo que o seu rosto somente acaba aparecendo em flash backs a partir de agora (se bem que toda essa história foi um enorme flash).

A Revolta de Ikki[editar]

Esmeralda não aguenta essa "porradinha" que levou do pai e acaba morrendo!

Depois de começar a chorar feito um bebê, e gritar mais "Esmeraldas" do que em toda a saga do anime (ou pelo menos desde que chegou a Ilha da Rainha da Morte). Ikki se vê diante do assassino de sua namorada, que não passa do próprio pai dela, sorrindo com aquela máscara ridícula e se achando o fodão. Indignado de como um pai como aquele não pode simplesmente nem sentir um pingo de compaixão ao ter matado a própria filha, Ikki recebe na cara a pior resposta que poderia esperar de suas perguntas, a de que ela era uma puta que merecia morrer um Cavaleiro sempre vai se deparar com esses sofrimentos de perdas através da morte, mas que ele sempre ter que ser forte em sua vida e nunca cometer o erro de ficar demonstrando os seus sentimentos para os outros, pois isso quem faz são somente as mulheres (e alguns homens também, se é que podemos chama-los de homens).

Ikki vinga a morte de Esmeralda matando o próprio sogro (e acaba conseguindo). Essa foi a última imagem que Guilty viu em vida

Já não aguentando mais tanta baboseira ouvida da boca do assassino de sua gostosa namorada (clone de seu irmão Shun), Ikki se revolta totalmente e começa a socar pra valer (antes era tudo de brincadeira) o seu mestre, agora sem nenhuma piedade sequer, mostrando que, finalmente, virou macho. Guilty até tenta se desvecilhar do especial de porrada que está levando de seu pupilo, contra atacando com o seu próprio poder, mas Ikki acabou por superá-lo, desvecilhando-se de todos os seus golpes e continuando a atacá-lo (isso impressiona o mestre, que vê o seu fim nesse combate). Para finalizar toda essa briga (e tal humilhação para Guilty), Ikki apresenta o seu maior poder (conseguindo com o chakra cosmo da Armadura Sagrada de Fênix), o foderoso Ave Fênix. Com esse golpe, o mestre de Ikki não tem mais nenhuma chance, e acaba sendo (vergonhosamente) derrotado (que decepção, um cara perder para o próprio pupilo, sendo que ele que ensinou tudo pro moleque ¬¬)

Vendo que, no final, todo o treinamento de Ikki deu algum bom resultado (mesmo que tenha sofrido a perda de sua escrava particular filha, mas que pelo visto foi um "mal necessário"), Guilty se orgulha do trabalho que fez e o parabeniza bravamente, afinal, Ikki foi mandado para a Ilha da Rainha da Morte para se tornar o Cavaleiro Macho de Fênix (e não um morde-fronha, como acontecia sempre que um ia parar na Ilha de Andrômeda), que tem uma história de masculinidade por muitas eras mitológicas. Guilty elogia Ikki por tudo, dizendo-lhe que finalmente ele conseguiu se mostrar impiedoso e verdadeiramente merecedor da foderosa Armadura Sagrada de Fênix, entregando-lhe a caixinha que continha a armadura. Além disso, ainda deixa ele como responsável pela Ilha da Rainha da Morte (mesmo que Ikki não tenha recebido aulas de como administrar um Ilha Demoníaca) e acaba finalmente indo para a terra dos pés juntos, tornando-o o, agora sim, Ikki de Fênix.

Golpes[editar]

Diferente de qualquer um dos Cavaleiros ou das hentais Amazonas, Esmeralda não tem golpes (talvez por não ser nenhum dos dois). O que ela curte mesmo é receber os golpes dos outros, especialmente em certas regiões do corpo, quanto mais dor puderem lhe causar, melhor.

Esmeralda agora só é uma lembrança na memória de Ikki de Fênix

Curiosidades[editar]

  • Toda essa história é passada em flash back, mas o foco nem é Esmeralda e sim como Ikki acabou se tornando impiedoso e protegido pela armadura de Fênix;
  • Do começo ao fim o pai de Esmeralda nunca foi visto sem máscara (ocultando para sempre o rosto dele);
  • Diferente de Orfeu de Lira, Ikki não teve coragem de ir até o Inferno para tentar resgatar a sua amada Esmeralda (talvez ele não a amasse tanto assim, pelo visto);
  • Esmeralda pode ter suas falas no anime redulzidas a "Ikkis" e "gemidos de dor" ao apanhar;
  • Não se sabe se Esmeralda foi para o Inferno, o Céu ou o Purgatório, mas provavelmente não chegou em nenhum, já que não tinha moeda nenhuma para dar a Caronte de Aqueronte e atravessar o rio do inferno, o que impossibilita a sua passagem para o outro mundo. Pena!

Ver também[editar]




Cavaleirospredef2.jpg