Desnotícias:Ladrões boqueteiros assaltam posto de gasolina

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

CATAMARCA, Argentina

Um assalto inusitado aconteceu esta noite em um posto de gasolina em Catamarca: Quatro pessoas em um Volkswagen Fox sem placas chegaram por volta de 1:45 da manhã, se passando por amigos coloridos que estavam viajando para a praia e planejavam passar a noite dormindo e transando dentro do carro. Após reabastecerem o carro, comprarem água, camisinhas e lubrificantes, os delinquentes se dirigiram até a área de descanso para caminhoneiros. Subiram no teto do carro e utilizaram uma corda para trepar no teto de um dos prédios pertencentes à administração do posto, começando a praticar sexo oral um no outro após todos conseguires subir com sucesso. Poucos minutos mais tarde, continuaram a chupar-se até quebrarem um forro de chapa de metal do teto, entrando em um dos escritórios onde havia um cofre, que foi devidamente chupado, em um valor estimado de 3 milhões de pesos argentinos (aproximadamente 50 centavos de dólar na cotação atual).

Segundo as investigações da polícia, feitas através de registros audiovisuais obtidos por meio das câmeras de segurança do local, os ladrões tinham a intenção de realizar um boquete em uma das paredes que dava em outra sala. De acordo com as mesmas fontes, o roubo foi descoberto por um dos empregados do posto, que ao chegar no trabalho para começar seu turno, viu uma mão de um dos delinquentes tentar agarrar seu pênis enquanto este estava no banheiro mijando. Tal empregado, que está servindo como testemunha, citou que, após tal incidente, ele saiu correndo do banheiro e tentou chamar seus colegas para se juntar ao bacanal, porém os delinquentes fugiram rapidamente do local e foram perdidos de vista poucos segundos depois.

Apesar das procuras incessantes dos policiais, nenhum dos boqueteiros foi identificado até agora. A Justiça argentina ordenou que várias investigações fossem feitas, mas nenhuma prova foi encontrada, e a polícia suspeita que os ladrões sumiram ou simplesmente engoliram as provas. As investigações agora seguem para Buenos Aires, com ajuda do pessoal da divisão de investigações, criminalística e pesquisa de pornografia da 69ª Unidade Judicial nacional.

Ver também[editar]

Fontes[editar]

Compartilhe
essa desnotícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram