Dégel de Aquário

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Francia d.JPG ALLONS EN₣ANTS DE LA PUTARIE!!

Este artigo è ₣rancês! Ele não toma banho, come camembert e faz biquinho. O autor já mendigou na Avenue Champs-Elysèes e è xenofòbico.

Lembre-se de quem perdeu todas as guerras para a Inglaterra.


Pinguins.jpg Este artigo é GELAAAAAADO!

Mamutes vigiam o artigo, então vá pra casa, coloque um casaco e beba um chocolate-quente. Cuidado com o Yeti e não lute contra Sub-Zero!


Dégel

Dégel de Aquário 99.jpg

Classificação Cavaleiro de Ouro
Cavaleiro
Deus a que serve Athena
Armadura Aquário
Golpes Pó de Diamante
Círculo de Gelo
Execução Aurora
Esquife de Gelo
Perfil
Nacionalidade Bandeira da França França
Local de Treinamento Sibéria
Nascimento 12 de fevereiro (Aquário)
Frase Favorita Cquote1.png É muita insolência sua, sair assim diante da minha presença Cquote2.png


Cquote1.png Você quis dizer: Camus de Aquário Cquote2.png
Google sobre Dégel de Aquário
Cquote1.png Apenas... Busque conhecimento! Cquote2.png
E.T. Bilu sobre Dégel de Aquário
Cquote1.png Meu melhor amante amigo Cquote2.png
Kardia de Escorpião sobre Dégel de Aquário
Cquote1.png HAHA! NERD! CU DE FERRO!!! Cquote2.png
Ex colegas de escola sobre Dégel de Aquário
Cquote1.png Você é meu amigo de fé, meu irmão camarada! Cquote2.png
Rei Roberto Carlos Unity de Dragão Marinho sobre Dégel de Aquário
Cquote1.png Esse verme insolente viu por debaixo da minha saia! O único que tem esse direito é o Hades-sama Cquote2.png
Pandora sobre Dégel de Aquário
Cquote1.png Também não é uma Brastemp Cquote2.png
Merchandising sobre Dégel de Aquário
Cquote1.png Não é tão foda quanto eu... Cquote2.png
Camus de Aquário sobre Dégel de Aquário
Cquote1.png Pelo menos eu não morri pelas mãos de um mero Cavaleiro de Bronze, conhecido por ter feito troca-troca com o Shun na Casa de Libra! Cquote2.png
Dégel de Aquário ownando Camus de Aquário


Armadura de Aquário.jpg

Dégel de Aquário foi o Cavaleiro de Ouro de Aquário (caso o nome não tenha deixado isso claro). Ele era o CDF do Santuário de Athena, no período de 1700 e galinha tinha dente. Apesar de toda a confusão que a Guerra Santa estava causando, Dégel de Aquário se manteve mais calmo e frio do que o Hyoga uma geladeira, sendo que ele apenas estava interessado em correr atrás de dois boiolas guerreiros, que eram os seus melhores amigos, chamados Kardia de Escorpião e Unity de Dragão Marinho. Porém, apesar dessa viadagem aparente, no fim, Dégel de Aquário acabou mostrando que é realmente macho, pois se congelou dentro de um esquife de gelo junto de Seraphina, que era a boneca da Pópis o corpo provisório de Poseidon.

Vida gelada[editar]

Dégel, Unity e Seraphina quando crianças, mostrando que qualquer um pode aguentar o frio de geladeira que faz em Bluegard.

Assim como o seu sucessor, Camus de Aquário, Dégel de Aquário nasceu na França, porém, ainda criança, se mudou para a Sibéria, um país que o Sol está procurando pela localização até hoje. Logo que chegou nesse fim do mundo, Dégel se dirigiu para Bluegard, a maior cidade daquelas bandas (que dirá então a menor), que seria o local definitivo de seu treinamento, ou não. Chegando lá, Dégel conheceu Unity, que tinha sangue nobre, pois era filho de Robert Garcia Garcia, o governante de todas aquelas terras abandonadas. Além de ter conhecido Unity, Dégel também conheceu Seraphina, que era a irmã gostosa de Unity, e que estava sempre sorrindo. Só de ter tido essa bela vista, Dégel ficou extremamente motivado, e, mesmo com o frio de geladeira de Bluegard, ele jurou que iria se tornar muito forte, para algum dia se tornar um cavaleiro e proteger à todos.

Dégel e Unity, em um momento de descontração (só assim mesmo para esquecer que estão vivendo em um país que fica lá onde o vento faz a curva).

Com o objetivo em mente, Dégel começou o seu treinamento no meio dos pinguins, sempre tentando aperfeiçoar o seu Execução Aurora. Porém, o treinamento de Dégel tinha um diferencial: Além dele treinar fisicamente, ele também recebia aulas teóricas, ministradas pelo grande professor Garcia (sim, o governante de Bluegard também era professor... Bem, em uma terra de meia dúzia de habitantes, podemos dizer que Garcia também era o médico, o carteiro, o carpinteiro, o parteiro, etc, etc, etc). Bem, o que importa é que, por conta dessas aulas, Dégel, diferentemente dos outros cavaleiros do Santuário, que são analfabéticos funcionálicos, se tornou extremamente inteligente, sendo que ele conseguiria vencer até mesmo o Quico em um quiz.

Após alguns anos, Dégel já tinha se tornado extremamente forte, ou não, e já estava bastante inteligente, sendo que ele já sabia decor quanto que era 1 + 1 (coisa que você está tentando aprender até hoje). Com esse conhecimento e força, Dégel percebeu que ele, finalmente, estava no mesmo nível de um cavaleiro de ouro. Então, para se tornar um cavaleiro de Athena, Dégel se dirigiu ao Santuário Grego.

Chegando no Santuário, Dégel dizia que era poderoso, porém, como ele tinha uma baaaaaaita cara de nerd, o Mestre do Santuário achou que Dégel era apenas mais um jogador de Tibia que ficava sonhando em ter super-poderes. Então, obviamente, o Grande Mestre tentou expulsar Dégel do Santuário, porém, a Armadura de Aquário protegeu Dégel, e o reconheceu como o verdadeiro Cavaleiro de Aquário. Vendo que Dégel agora era o verdadeiro Cavaleiro de Aquário, o Grande Mestre mandou Dégel ir proteger a Casa de Aquário, pois essa era a função dos Cavaleiros de Ouro.

No princípio, Dégel ficou bastante decepcionado, afinal, ele pensava que iria usar os seus poderes de cavaleiro para proteger o mundo inteiro, e não ficar apenas trancado em uma casa velha. Porém, em muito pouco tempo, Dégel se acostumou com a sua nova vida, sendo que, na maioria do tempo, Dégel trabalhava como o bibliotecário do Santuário, e, nas horas vagas, ele era amante de Kardia de Escorpião o Cavaleiro de Ouro de Aquário.

O melhor amante amigo, Kardia[editar]

Kardia de Escorpião, o cavaleiro de cu coração quente, é o melhor amiguxo de Dégel. Note também que ele é parente do Dunha.

Em um belo dia de Sol, ou não, Kardia de Escorpião, que estava descansando tranquilamente em sua casa, percebeu que estava com muita febre, sendo que o seu calor corporal estava maior que o calor do sertão do Ceará. Como o corpo humano não aguenta temperaturas extremamente elevadas, Kardia começou a, praticamente, morrer, pois, enquanto as suas células estavam queimando que nem ovo frito, ele não sabia o que fazer para diminuir a temperatura.

Como o Mestre do Santuário é uma pessoa muito sábia, ou não, ele mandou que Dégel de Aquário fosse ajudar Kardia, afinal, o seu ar de geladeira poderia diminuir bruscamente a temperatura de Kardia, salvando-o (ou o transformando em um picolé). Quando chegou na Casa de Escorpião, Dégel foi rapidamente tentar tratar de Kardia, porém, o fogo do rabo coração do Cavaleiro de Escorpião era tão alta que Dégel nem sabia direito o que fazer, afinal, nunca antes na história do Santuário, uma pessoa tinha ficado com uma febre tão alta.

Antes de usar o seu ar gelado, Dégel perguntou para Kardia de onde estava vindo todo aquele calor. Foi então que Kardia, em um momento um tanto quanto suspeito, disse que o calor estava vindo de seu coração pois ele estava apaixonado por Dégel. Mesmo sendo macho [carece de fontes], Dégel ficou sensibilizado com essa declaração de amor, e, utilizando o seu Pó de Diamante, ele conseguiu baixar a febre de Kardia, deixando-o com uma temperatura corporal de menos -8000 °C -24°C. Bem, seja como for, Kardia estava salvo, e, estando agradecido, Kardia se tornou o melhor amante amigo de Dégel.

Primeira aparição na cronologia canônica[editar]

Dégel de Aquário, a prova viva (ou nem tanto), que o movimento nerd já chegou até mesmo no impenetrável Santuário de Athena.

Após Doucu de Libra ter morrido, ou não, Tenma de Pégasus estava furioso, sendo que ele queria conseguir poder à qualquer custo, nem que para isso ele tivesse que dar a sua vida que não vale muita coisa. Porém, Tenma não sabia para onde ir, afinal, quase todos os Cavaleiros de Ouro já tinha ido para o saco, e não podiam lhe dar treinamento.

Enquanto Tenma estava se lamentando pela sua fraqueza e pela morte de Dohko, Dégel apareceu na Casa de Libra, e disse para Tenma parar de ter aquele ataque emo, pois não iria resolver porra nenhuma. Então, Dégel disse que, se Tenma quisesse se tornar mais forte, ele teria que ir para a Ilha de Kanon, que ficava localizada lá na fronteira do Acre com a Casa do Caralho, bem próximo do Raio que o Parta, pois nessa ilha, existia um homem que se chamava Deuteros de Gêmeos, e que era um dos mais poderosos cavaleiros de Athena desconhecido, e que, de acordo com as lendas, gostava muito de comer a carne de criancinhas, mas que, de vez em quando, ele também comia velhinhas e velhinhos como petisco.

Dégel de Aquário andando calmamente em sua casa, pouco antes de ser enviado por Athena para uma missão suicida importante em Bluegard.

Como Tenma não tinha outra escolha, ele resolveu ir, e seja o que Deus Athena quisesse. Após Tenma partir para a Ilha de Kanon, Dégel volta para a sua casa, querendo ficar mais algum tempo apreciando a leitura de livros super-interessantes, como por exemplo, sobre física quântica. Porém, Athena resolveu trollar Dégel, e o chamou para a sua sala, querendo lhe passar uma missão importante.

Apesar de ter tido os seus planos interrompidos, Dégel continuou com a sua aparência calma, e foi para a Câmara de Athena para se encontrar com a Deusa. Chegando lá, Athena disse que iria passar uma missão bastante simples para Dégel, sendo que, a única coisa que ele teria que fazer era peitar Poseidon, fazer com que ele concedesse parte de seus poderes, matar alguns espectros de Hades que aparecessem pelo caminho, e, por fim, matar qualquer General Marina que aparecesse. Simples assim.

Dégel contando o mais novo babado do Santuário para Kardia.

Apesar da missão ser bastante simples, Dégel resolveu que deveria pedir ajuda à algum outro Cavaleiro de Ouro. Obviamente, Dégel foi pedir ajuda ao seu amiguxo, Kardia de Escorpião, pois, além dos dois serem grandes miguxos, Kardia também era um dos poucos Cavaleiros de Ouro que ainda estavam vivos (até porque nem tinha lutado). Quando chegou na Casa de Escorpião, Dégel viu Kardia torturando um espectro de Hades, que tinha conseguido subir livremente pelo Santuário de Athena, até porque não tinham cavaleiros de guarda. Esse espectro que Kardia estava torturando era o velho conhecido Zelos de Sapo, o saco de pancadas oficial da série, que ressucitou ninguém sabe como, visto que ele tinha tomado um pisão na nuca de Kagaho de Benu. Bem, seja como for, Kardia estava interrogando Zelos, para tentar descobrir algum método de chegar ao Lost Canvas, porém, como bom inútil, Zelos não sabia de nada, e acabou morrendo sem abrir a boca.

Após essa pequena sessão de tortura, Dégel convidou Kardia para ir à Bluegard, para conseguir o poder que levaria Athena à vitória. No princípio, Kardia achou que seria mais uma daquelas missões entediantes e sem graça, porém, quando Dégel disse que o provável adversário seria Poseidon, Kardia logo ficou animado, e o seu cu coração se incendiou. Agora, Kardia estava de acordo em acompanhar Dégel em sua viagem para Bluegard.

Voltando ao fim do mundo de Bluegard[editar]

Após muito andarem (muito mesmo), Dégel e Kardia finalmente conseguiram chegar em Bluegard, ou não. Logo que chegaram, Dégel percebeu que tava errado aquilo, pois a antiga vila de Bluegard estava toda destruída, e parecia que tinha passado um furacão por ali. Como essa era a antiga morada de Dégel, ele resolveu que iria investigar aquilo mais a fundo, porém, quando ele deu um passo, mais de 8000 8 adagas de gelo vieram voando, em uma velocidade de mach 5.

Dégel e Kardia mostrando que, mesmo em fins do mundo, não se pode perder a pose.
Cquote1.png Putz, aonde é que a gente tá? Cquote2.png
Kardia de Escorpião
Cquote1.png Ah, sei lá! Só sei que estamos em algum lugar de Bluegard Cquote2.png
Dégel de Aquário

Logo após essas adagas serem lançadas, os inimigos, ou não, se revelaram: Eles eram os Smurfs Guerreiros Azuis, a maior força militar de Bluegard. Como eles tinham lançado as adagas de gelo com uma velocidade muito alta, eles pensaram que tinham matado os estrangeiros Dégel e Kardia. Porém, a vida é uma caixinha de surpresas, e, quando eles foram notar, Kardia e Dégel estavam atrás deles, em cima de um pau (ui!), apenas observando os guerreiros achando que tinham vencido. Então, achando que eram espctros de Hades, Dégel e Kardia atacam com força total, para mandar de uma vez os inimigos para o quinto dos infernos. Porém, antes que os Cavaleiros de Ouro matassem os sujeitos, apareceu Unity, que finalmente disse que aqueles eram os Guerreiros Azuis, e que estavam apenas protegendo o território. Após ter deixado tudo explicadinho, nos seus mííííííínimos detalhes, Unity convidou Dégel e Kardia para irem ao centro de Bluegard, que era onde ficava a Biblioteca de Alexandria Biblioteca de Bluegard, a maior biblioteca de todo o mundo.

Quando chegaram na biblioteca, o espírito nerd de Dégel falou mais alto, e ele ficou simplesmente fascinado com todos aqueles livros mofados. E, diferentemente de Dégel, Kardia achava que aquilo era apenas um monte de papel pra limpar a bunda, e que não servia para absolutamente nada. Apesar das diferentes reações, eles estavam apenas concentrados em seu objetivo, que era o de encontrar Poseidon. Então, Unity levou osa dois ao subterrâneo, e, quando eles chegaram, Unity mostrou os que Kardia e Dégel estavam procurando: A entrada para o local onde Poseidon estava dormindo selado. Ao acharem esse local, todo mundo foi chupado para uma dimensão paralela, em que o céu era feito de água, e que as casas estavam todas abandonadas. Essa civilização era Atlântida.

Ao chegarem em Atlântida, Unity queria ser o guia dos Cavaleiros de Ouro, porém, Dégel disse que não permitiria que um civil andasse em Atlântida, pois era muito perigoso (leia: Unity era um tremendo de um fracote inútil). Porém, Kardia disse que Unity poderia acompanhá-los, mas que, se ele morresse, seria tudo culpa dele mesmo. Sabendo das consequências, Unity decidiu seguir em frente. Após andarem muito tempo com o rabo entre as patas, eles finalmente chegaram ao Templo de Poseidon.

Troca-Troca com Radamanthys de Wyvern[editar]

Após entrarem no Templo de Poseidon, Dégel e Kardia tiveram uma surpresa: Pandora e Radamanthys de Wyvern apareceram, sendo que Radamanthys deu uma de Sesshomaru, e arrancou o coração de Unity, matando-o na hora, ou não. Os dois vilonídeos não estavam muito afim de deixar que Athena tomasse posse do poder de Poseidon, e estavam prontos para ir pro pau (ui!). Então, enquanto Pandora seguiu para a morada de Poseidon, Radamanthys ficou para fazer com que Dégel e Kardia peidassem para a muzenga.

Radamanthys de Wyvern, o espectro de Hades que já enchia o saco dos cavaleiros de Athena desde a Idade da Pedra Lascada.

Assim, a batalha começou, e, como Dégel não estava com muita vontade de perder tempo, ele usou a sua Execução Aurora, e transformou Radamanthys em picolé. Porém, Radamanthys, mesmo congelado, disse que aquilo era só uma marolinha, e, com apenas um peido, ele conseguiu se livrar do congelamento, e estava pronto para torturar em matar Dégel de uma maneira cruel. Porém, como que por bruxaria, todo o corpo de Radamanthys tinha sido... Furado! Quando Radamanthys foi perceber, ele viu que o responsável por aquilo era Kardia de Escorpião, que tinha usado a sua picadura de escorpião. Mas Radamanthys disse que Kardia era apenas um verme insolente, e usou o seu melhor (e único) golpe, o Máxima Precaução. Com isso, Kardia e Dégel foram parar lá na Casa da Mãe Joana, porém, não morreram. Muito pelo contrário: O sangue de Kardia começou a entrar em ebulição, e ele mal conseguia conter toda a sua felicidade, ao enfrentar um inimigo tão poderoso.

Mas Radamanthys não estava com muita vontade de ficar ouvindo histórias, e estava pronto para usar mais uma vez o Máxima Precaução, para, dessa vez, definitivamente matar os Cavaleiros de Ouro. Porém, quando Radamanthys foi usar a sua técnica, as picaduras de Kardia começaram a fazer efeito, e o seu lado direito ficou mais dormente do que pênis de broxa. Como Radamanthys estava sem um dos braços, Dégel conseguiu passar com ele com toda a tranquilidade do mundo. Após Dégel ter passado, Radamanthys ferveu (literalmente), e jurou que iria mandar todos os cavaleiros de Athena para a Casa do Caralho, de uma maneira que eles nunca mais pudessem reencarnar, e sofressem por toda a eternidade. Então, Kardia, que estava extremamente aceso, desafiou Radamanthys para um duelo. E o resultado foi... Não interessa pra você, palhaço! MWAHAHAHAHAHA! [1]

Finalmente, Seraphina Poseidon[editar]

Unity de Dragão Marinho, a biba perseguidora.

Apesar de, provavelmente, Pandora já ter conseguido o poder de Poseidon, quando Dégel entrou no Templo de Poseidon, ele foi andando bem calmamente, como se nada esstivesse acontecendo. Depois de caminhar por algum tempo, Dégel viu uma coisa bastante interessante: Era Pandora, que estava nocauteada, e mais hentaística do que nunca, visto que ela estava com o cu as pernas para cima, mostrando "aquilo" para quem quisesse ver. Ao ver isso, Dégel deduziu que isso era obra de Poseidon (Sério? Nem fazia ideia que era isso). Mesmo sabendo que podia virar pudim quando se encontrasse com o Deus dos Mares, Dégel continuou indo em direção à sala de Poseidon, até porque ele não tinha outra escolha.

Dégel de Aquário e toda a sua preocupação, quando se encontrou com o mais poderoso (e único) General Marina de Poseidon.

Chegando lá, Dégel viu que a urna de Poseidon ainda estava onde deveria estar, e que o Deus dos Mares ainda estava completamente selado. Ao ver isso, ele elaborou uma inteligente teoria, que dizia que Poseidon não tinha atacado Pandora, e que o inimigo era algum Marina (ou algo parecido). Antes de pensar em mais alguma coisa, Dégel percebeu que tinha um corpo de uma mulher gostosa na sala, que estava repousando. Essa mulher era Seraphina, a sua velha namorada amiga. Após Dégel notar isso, apareceu na sala o Marina de Dragão Marinho, dizendo que Dégel poderia conseguir o poder de Poseidon para levar à Athena. A única coisa que Dégel precisaria fazer era retirar o selo da urna, que iria liberar Poseidon, deixando-o possuir o corpo de Seraphina, e permitindo que ele aniquilasse todas as pessoas do mundo, inclusive Athena. Claro que Dégel não aceitou, e soltou um Pó de Diamante bem na cara do Marina. Quando fez isso, Dégel teve uma verdadeira surpresa: O Marina de Dragão Marinho era Unity, que tinha dado uma de Jesus e ressucitado. Como Unity era um Marina, ele iria fazer o que fosse necessário para que Dégel retirasse o selo de Poseidon, e deixasse que o Deus dos Mares andasse livremente por aí novamente.

Cquote1.png Esquife de Gelo!! Cquote2.png
Dégel de Aquário, pouco antes de se congelar junto de Seraphina, e ficar com ela por toda a eternidade

Assim, a batalha começou, sendo que Unity mostrou que tinha habilidades altamente purpurinadas. Para ser mais preciso, ele podia produzir livremente corais altamente coloridos. Mas isso não era lá grande coisa, pois, com apenas um golpe, Dégel conseguiu destruir tudo. Após ter quebrado todos os corais, Dégel, perguntou por que diabos Unity tinha virado um Marina de Poseidon, pois isso não fazia nenhum sentido, afinal, no passado, Unity era bem emo sentimental, e adorava o mundo. Então, Unity disse que já não aguentava mais morar em um país que ficava mais londe do que o Acre, e que queria que a glória chegasse ao povo de Bluegard. Além disso, Unity disse que tinha dado uma de Suzane von Richthofen, e tinha matado o seu próprio puai pai, Garcia. Ao ouvir isso, Dégel, que mantinha a calma em todas as situações, ficou extremamente nervoso, e jurou que iria mandar Unity para o inferno, sem escalas.

Com isso em mente, Dégel usou o seu Execução Aurora, e derrotou Unity com tanta facilidade que nem merece comentário. Porém, Unity ainda ficou vivo, e, ao invés de morrer e jurar vingança, como fazem todos os vilões, ele usou alguma força mágica misteriosa, e fez com que a gigantesca estátua de Poseidon andasse, e atacasse. Porém, Dégel não tinha medo dessas bobagens, e, após alguns golpes de geladeira, ele conseguiu destruir a estátua e ainda conseguiu derrotar Unity de uma vez por todas, ou não. Após ser derrotado, Unity disse que estava feliz (???) que Dégel tinha o derrotado, pois ele sóm tinha feito isso porque a sua irmã, Seraphina, tinha morrido de um resfriado quem mandou não tomar Benegrip?. Quando a Seraphina morreu, Unity tinha ficado sozinho na mundo, e, como ele não aguentava mais a solidão, ele resolveu que iria cortar os pulsos vender a alma para Poseidon, para assim ele conseguir se mudar para algum lugar que tivesse Sol. Ao ouvir isso, Dégel ficou mais arrependido do que o Cão Arrependido, e pediu perdão, ou não, para o seu velho amigo. Para tentar se redimir da cagada besteira que tinha feito, Unity deu para Dégel (ui!) o Orichalcum, que era a pedra que tinha todo o poder de Poseidon, e que mantinha Atlântida de pé.

Ao receber a pedra, Dégel agradeceu o seu antigo miguxinho, e estava pronto para voltar ao Santuário de Athena. Porém, antes que Dégel percebesse, Pandora apareceu (sim, ela não tinha morrido, como todos pensavam, até porque vaso ruim não quebra), e pegou o Orichalcum de Dégel. Como não podia permitir que aquela pedra caísse nas mãos de Athena, Pandora destruiu o Orichalcum. Isso parecia uma boa ideia, mas...

Mas a vida é uma caixinha de surpresas!![editar]

Como que por bruxaria, todo o poder que estava preso no Orichalcum se dissipou, e entrou com força no corpo de Seraphina, que se tornou... Poseidon! Agora sim é que a coisa tinha começado a feder (literalmente). Seraphina (ou Poseidon, sei lá!), estava doida, e estava pronta para altas confusões na Terra. Porém, Dégel não estava com vontade de desperdiçar todo o esforço e o sacrifício de Kardia de Escorpião (sim, ele morreu na luta contra Radamanthys, mas também levou o juiz do inferno junto).

Pensando em tudo isso, Dégel decidiu que iria fazer o seu último golpe: Queimando todo o seu cosmo, Dégel criou um enorme Esquife de Gelo, e se congelou junto da hentai girl de Seraphina, sendo que os dois iriam ficar juntinhos pelo resto da eternidade. Além dessa maravilha, Dégel ainda iria ficar eternamente livre dos assédios sexuais de Unity.

Cquote1.png Sortudo... Cquote2.png
Você sobre Dégel de Aquário

Dégel de Aquário em diversos momentos de sua vida[editar]

Técnicas[editar]

Cquote1.png Execução Aurora!! Cquote2.png
Dégel de Aquário usando o seu melhor golpe para congelar Anônimo.
  • Crack Pó de Diamante: Essa é a técnica de gelo básica, que qualquer um que tenha tido pelo menos o treinamento básico na neve consegue executar. Diferentemente de Hyoga de Cisne, que fica dançando balé quando vai soltar o Pó de Diamante, Dégel solta o golpe sem muita frescura, apenas concentrando o ar frio em suas mãos e soltando no inimigo.
  • Círculo de Gelo: Essa é uma técnica que ninguém viu, porém, de acordo com a Wikipédia os gurreiros do Santuário de Athena, é uma técnica que cria diversos anéis de gelo, que prendem o inimigo. Essa técnica também apareceu em Dragon Ball, sendo que ela serviu para Gotenks prender Majin Boo.
  • Execução Aurora: A técnica que só pode ser usada com o zero absoluto, que congela até os fundos do inimigo, sendo que, se ele não estiver acostumado com o gelo, ele morre de hipotermia. É a técnica mais poderosa de Dégel como se as outras técnicas fossem grande coisa.
  • Esquife de Gelo: Congela o inimigo de uma forma tão congelante que ele nunca mais consegue se livrar do gelo. Nem mesmo os Cavaleiros de Ouro tem poder para destruir o esquife como se os Cavaleiros de Ouro fossem grande coisa. Essa foi a técnica que Dégel usou para se prender eternamente com Seraphina.

Referências[editar]

  1. Se você for muito curioso (coisa que eu tenho certeza que é), clique aqui e veja o resultado dessa luta

Ver também[editar]


PoR-Death.gif
Dégel de Aquário já morreu!

Dona Morte cumprindo sua cota diária...

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno


Cavaleirospredef2.jpg