Clipper

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

O que diabos é isso??[editar]

Outro clipe que presta pra porra nenhuma.

Clipper é uma espécie de ferramenta de programação que vive dando pau. Para poder utilizar qualquer sistema FDP feito em Clipper, você precisa no mínimo saber tudo do MS-DOS. Os dados são salvos em arquivos de texto que cada pouco ficam corrompidos e por isso precisa ter várias back-ups para não precisar ficar cadastrando tudo sempre que o sistema porcaria dá problema. Mas ao menos é um ótimo meio de desenvolver qualquer sistema para computadores 286, 386 ou até mesmo para 486.

Utiliza o banco de dados DBASE (Dados Banais, Adeus, se Estragaram) que costuma ficar corrompido assim que são inseridos dados extremamente importantes. Esta é uma funcionalidade nativa que não pode ser desabilitada. Foi uma das primeiras linguagens a empregar técnicas POG para tentar imprimir nas malditas impressoras matriciais que teimavam em desalinhar os campos de notas fiscais.

O Clipper foi utilizado por neandertais para criar sistemas arcaicos para padarias, locadoras, farmácias ou qualquer outro tipo de butéquim. Mas os programas em Clipper começaram a se espalhar e dominar o mundo. Em toda farmácia, padaria, na hora de pagar, lá estava o sistema registrando tudo o que você compra, bebe, faz.

Requisitos[editar]

Não é necessário mais do que 640KB de memória RAM, SO pode ser um MS-DOS ou WIN 3.11. Não é necessário rede, internet, cdrom, mouse, caixas de som, nada....nada mesmo. Somente um moderno PC IBM XT/AT com monitor fosforo verde (ou branco se preferir).

Nos dias de hoje ainda existe Clipper rodando em cativeiro. Não comem muita memoria (geralmente não tem muita fome). No sistema operacional linux convertido para Xhambour, junto com flagship, roda que é uma beleza, evitando a extinção de sua espécie que um dia já dominou o mundo.