Catarina de Aragão

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Inquisicaoespanhola.jpg

¿¿¿Porque no te callas???
No robe los picassos de Catarina de Aragão o la Santissíma Inquisición lo mandará para el colo del capeta!!!

CristoHumor.jpg E nomine patris et filii et spiritus sancti!

Este artigo foi criado por um cristão devoto. Ele vai à igreja todos os domingos com o intuito maior de tomar vinho louvar o SENHOR. Se você vandalizar, Javé Deus te mandará sem hesitar para o inferno!

CarlosMagno-coroacao.jpg
Cruz-3.jpg

Este artigo fala sobre coisas medievais!


Tenha respeito ou vais encarar a guilhotina!

Catarina de Aragão, Rainha Com Azar Consorte da Inglaterra e Princesa da Espanha
Catarinaaragãoport.jpg
A Rainha Chifruda
Nascimento 16 de Dezembro de 1485
Madrid, Espanha
Morte 7 de Janeiro de 1536
Cambridgeshire, Inglaterra
Ocupação Chifrada oficial de Henrique VIII
Olhos Azuis
Cabelo Supostamente Ruivo

Cquote1.png Estava demasiado velha pra mandar matá-la, mesmo. Cquote2.png
Henrique VIII sobre Catarina de Aragão
Cquote1.png *Vou roubar seu lugar, sua mocreia, sua velha acabada!* Cquote2.png
Ana Bolena pensando sobre Catarina de Aragão
Cquote1.png Na União Soviética, Catarina de Aragão chifra Você!!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Catarina de Aragão
Cquote1.png Essa santa foi uma mártir nas mãos desses hereges! Cquote2.png
Vaticano sobre Catarina de Aragão
Cquote1.png Para ter tanto chifre, essa devia ser mais feia que o Monstro do Lago! Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Catarina de Aragão
Cquote1.png Seu marido era um exemplo de fidelidade. Cquote2.png
Capitão Sarcasmo sobre Catarina de Aragão
Cquote1.png Olhe, Catarina, já estou cansada de ouvir suas rezas! Você já esgotou a infinidade da minha paciência! Cquote2.png
Virgem Maria sobre Catarina de Aragão
Cquote1.png Faça uma plástica, mulher! Vai ver que assim o Rei vai querer pegar você! Cquote2.png
Clodovil sobre Catarina de Aragão
Cquote1.png Ela teria sido uma grande fã minha. Cquote2.png
Adele sobre Catarina de Aragão


Catarina de Aragão foi a primeira esposa de Henrique VIII e uma cristã alienada devota, que ficou conhecida como a mulher mais chifrada na História da Inglaterra, e era conhecida como "A Rainha Chifruda". Ou não. É mãe da Rainha Maria I de Inglaterra, que seguiu seus passos na alienação cristã.

Primeiros Anos[editar]

Catarina vendo Henrique VIII chifrando nela forte e feio.

Catarina nasceu na Espanha, filha de Reis alienados católicos devotos, e era descendente da realeza britânica, e como tal, prima em terceiro grau de Henrique VII, seu futuro sogro num Casamento incestuoso. Ainda uma Guria retardada, e já acompanhava seus pais por viagens pela Espanha, para expulsar os Mulçumanos, já que a dança do ventre era um atentado ao Catolicismo.

Foi educada por um Padre, que lhe ensinou coisas sem qualquer utilidade e que só serviram para alimentar mais seu fanatismo religioso, e ainda aprendeu a falar e escrever Latim e Grego, duas línguas mais que mortas naquele século. Também aprendeu costura, bordado e dança, que nunca lhe viriam a ser úteis, uma vez que seria Rainha e ficaria com o cu alapado no trono todo o dia.

Quando tinha três anos, ainda nem paelha comia, e já estava noiva do herdeiro ao trono inglês, Artur Tudor, Príncipe de Gales. Portanto a mocreia tinha andado nessa conversa de Casamento desde que nascera, sempre alimentando suas fantasias de que seria Rainha de Inglaterra. A Princesa e o Príncipe casaram-se por correspondência a Maio de 1499, e trocavam cartas em Latim, e Artur, inglês, não percebia um caralho do que a espanhola escrevia. O fato dela ser mais feia que o Monstro do Lago também não ajudava. Só quando o Príncipe completou quinze anos é que se casaram numa cerimónia, pois já tinha entrado na Puberdade e, consequentemente, já podiam transar. Catarina chegou a Londres com seus escravos africanos, que foram considerados um luxo pelos ingleses, habituados a loiras e branquelas.

Casamento com Artur Tudor e Viuvez[editar]

Catarina em sua actividade favorita: rezando prá Virgem Maria.

Catarina e Arthur Tudor casaram-se a Novembro de 1501 e foram viver pró País de Gales. Os dois não se conseguiam entender, já que Catarina falava tão bem o inglês quanto Cristiano Ronaldo mas lhe faltava toda a beleza da Irina Shayk. Catarina acendeu vela prá Virgem Maria e passava seus dias rezando, pró seu marido entender o que ela falava. Mas os santinhos trocam o pedido e mandaram doença sobre os dois. Artur virou presunto em Abril de 1502, deixando Catarina viúva.

Viúva, a espanhola ficou na merda. Havia perdido tudo e nem mesmo seus pais a queriam de volta na Espanha, e Henrique VII não sabia o que fazer com a guria, agora com dezasseis anos, pois Castela estava nas mãos da irmã louca da mesma. Ninguém queria ficar com ela, e Catarina teve até de vender parte da sua colecção de terços de Prata, Ouro e Diamante, para poder sobreviver na Inglaterra, juntamente com suas damas de companhias. Pois até na pobreza, não dispensava a criadagem, e preferia não ter o que comer, do que ter de se vestir a ela própria.

Em 1507, seu pai lá lhe arranjou um tacho como embaixadora espanhola na Inglaterra, fazendo dela a primeira mulher embaixadora na Europa. Entretanto, o seu casamento com Henrique, o filho mais novo de Henrique VII, e agora herdeiro ao trono, foi pensando e a mocreia jurou por todos os anjos e santos no Céu que não transara com Artur Tudor, portanto ainda era pura e santificada como sempre fora, mas Henrique ainda era demasiado novo para se casar.

Casamento com Henrique VIII[editar]

Os preparativos para o casamento com Henrique foram fodidos, pois a Igreja proibia um homem de casar com a mulher do irmão, mas a Espanha era a miguxa favorita do Vaticano e conseguiram a autorização em 1505.

Passados seis anos da morte de Artur Tudor, Catarina casa-se com Henrique VIII, agora Rei de Inglaterra, pois seu pai já estava a fazer de tijolo no cemitério. A população britânica demonstrou grande entusiasmo em relação ao casamento real, mas Catarina de Aragão não fazia ideia da praga fodelhona e chifruda que haveria de aturar nos anos seguintes.

Seu casamento foi um inferno, por mais que passasse seus dias rezando. Estava com 23 anos quando se casou com Henrique, que tinha 18 na altura, que só por si já é sinal de azar, e ainda fizeram a procissão de casamento no dia 23. Segundo os babacas da Numerologia, isso estava destinado a dar merda.

Ao todo, teve seis filhos com Henrique VIII, mas apenas uma menina chegou à idade adulta, Maria I de Inglaterra. O Rei andava se espumando por Catarina não ser capaz de lhe dar um herdeiro ao trono, e transava constantemente com as aias da Rainha, que era mudadas sazonalmente por razões desconhecidas. Bem mandada, Catarina aturava todo esse chiframento em silêncio, mas rezava todos os dias para que o Rei parasse de a chifrar com suas aias e fazia simpatia pra que sua maré de Azar acabasse, mas não caminhava pra nova e até a Virgem Maria já estava farta dela.

Reinado[editar]

Tou velha, mas ainda tou pronta pra mais! Me dê uma change, Henrique!

Enquanto Rainha Com Azar Consorte, suas maiores prioridades foram de catolizar a população, fazer clubes de rezas e caridade. Também investiu muito na educação do país, esbanjando dinheiro nas Universidades. Reza a lenda que Catarina de Aragão conseguiu fazer licenciatura em todos os cursos da Universidade de Oxford por correspondência. Ou não. Mas para Henrique VIII, sua esposa deveria estar a rezar para que nascesse um filho varão e não andar a brincar de antecessora de Madre Teresa de Calcutá.

O fodelhão ficou paranóico, achando que o casamento estava amaldiçoado pelo fantasma de seu irmão mais velho e que era essa a razão pela qual Catarina não lhe conseguia dar um herdeiro. Tentaram contactar uma antepassada da Mãe Diná, mas foi em vão. Catarina de Aragão já estava velha, seca e cansada de rezar, já não havia Macumba que salvasse.

Divórcio[editar]

Em 1526, o fodelhão de seu marido conhece Ana Bolena, mas se Catarina pensava que seria mais uma de suas conquistas passageiras, estava muito enganada. Com a obsessão de ter um filho varão e de conseguir foder a gostosa e muito mais jovem Ana Bolena, Henrique VIII faz da anulação de seu casamento com Catarina de Aragão a sua prioridade. E todo esse negócio foi tão mediático na altura quanto o divórcio da Lady Di. Afinal, já estavam a entrar na Renascença.

O Vaticano se recusava a anular o casamento, devido à sua miguxice com a Espanha, e Catarina de Aragão se recusava a entrar pró Convento ou a se afastar do trono. Ela se sentia como a única Rainha da altura, mesmo que o Rei já tivesse cagado nela há muito tempo. Catarina não ia abdicar de sua fortuna nem direito de mandar nos ingleses, que também gostavam de ser mandados por ela e odiavam Ana Bolena. Então, Henrique VIII, quebrou geral e criou uma nova religião, assumindo-se como líder religioso supremo da Inglaterra, expulsando a espanhola do palácio.

Cquote1.png Nevermind I'll find another King like you... Cquote2.png
Catarina de Aragão deixando o palácio

Mas nenhum outro rei quis casar com Catarina de Aragão, que já estava com um pé na terra e outro no caixão. Mesmo sob ameaça de deportação, Catarina de Aragão permaneceu na Inglaterra e continuou a exigir ser tratada como "Rainha" pelos seus servos, ainda que seu posto já estivesse a ser ocupado por outra. Com essas manias de puta fina, esgotou a paciência do Rei, que só a tratava como "Princesa de Gales" e já vai com muita sorte, e proibiu qualquer tipo de contacto com a filha de ambos, Maria Tudor. Ainda que as duas trocassem correspondência, para mandar macumba prá Ana Bolena.

Morte[editar]

PoR-Death.gif Catarina de Aragão já morreu!

Beijinho, beijinho, tchau tchau!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno


Por volta de 1535, já Catarina de Aragão tinha esgotado suas prezes de voltar a ser Rainha e o comprimento de seus chifres já chegavam à América, que ainda nem havia sido achada pelos Europeus. Claro que o peso dos cornos em sua cabeça começava a debilitar sua saúde. Sentindo que a Morte vinha a caminho para a levar para o Céu, escreveu um testamento onde pedia ao Vaticano para lançar as sete pragas bíblicas sobre a Inglaterra. No seu recalque, mandou beijinho no ombro numa carta ao Rei, dizendo que o perdoava, e que esperava que Deus o perdoasse também. No fundo, Catarina queria era que Henrique VIII fosse morar pró pé do Capeta.

Quando a velha faleceu, em Janeiro de 1536, Ana Bolena sambou em cima do caixão, roubou as jóias da falecida, e ainda foi vestida de amarelo pró velório, para choque de todos. Henrique VIII não compareceu ao funeral e proibiu sua filha, Maria Tudor de ir ao enterro da mãe. E Catarina de Aragão tanto se quis armar em Rainha, que recebeu um funeral de Princesa por causa das merdas.

Afiliados[editar]

Precedido por
Isabel de Iorque
Rainha do Reino Unido da Inglaterra, índias Orientais, Austrália, Canadá e Ilhas Falkland
1509 - 1533
Sucedido por
Ana Bolena
Danger stick man.jpeg Sai de perto, tu é o azar em pessoa!

Este artigo traz relatos de uma criatura azarenta que só se estrepa no dia-a-dia.

Se você quiser ajudá-lo de alguma forma, tome cuidado pra não se ferrar junto.

Este artigo é relacionado à história.

Ele conta o que aconteceu desde a pré-história até os tempos quase atuais.

Batmanhieroglifo.jpg