Cat Grant

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Outlet12 01.jpg Este artigo se trata de uma Hentai Girl

Ela é gostosa, mas nón ecziste. Ela participa de algum desenho, jogo ou quadrinhos e usa biquíni do tamanho de um dedal.

"Qualê Clark, não quer provar minha rosquinha?"

Cquote1.png Bota "CAT" nisso... Cquote2.png
Clark Kent sobre Cat Grant
Cquote1.png Já peguei. Cquote2.png
Steve Lombard sobre Cat
Cquote1.png Também. Cquote2.png
Perry White
Cquote1.png Eu também... Cquote2.png
Maggie Sawyer
Cquote1.png Mas só EU comi! Cquote2.png
Morgan Edge
Cquote1.png Rapariga! Cquote2.png
Lois Lane
Cquote1.png Isso é uma infeliz! Cquote2.png
Supergirl

Catherine "Cat" Grant é uma repórter fofoqueira que vinha de uma cidade chamada Hollywood (nunca ouvi falar...) que foi morar em Metrópolis pra trabalhar no Planeta Diário e dar o cu mais audiência pro jornal com suas fofocas, além de ter fugido do sacana do ex-amante dela. Depois disso, ela saiu do Planeta Diário após tomar muita "cachaça, carai!" e foi trabalhar no Sistema Galáxia de Telecomunicações, onde foi ganhando o respeito (sem trocadilho com os "peitos" dela - ou não) e se tornou influente pacas lá. Passado uns anos, ela voltou pra sua terra, só voltando recentemente pra Metrópolis e pro Planeta Diário, onde ela insiste em seduzir o Perry White pra virar a editora-chefe do jornal.

Seu comportamento é de vadia rapariga puta e quenga ao extremo: já deu (mas foi dar EM CIMA, não dar mesmo) pro Clark Kent, Jimmy Olsen, Vincent Edge, Jose Delgado, Steve Lombard, Morgan Edge (o filho do Vincent, e no caso desse ela deu DE FATO). Até pra Lois Lane ela tentou dar, sem sucesso, pois esta, ao contrário da Maggie Sawyer, nunca gostou de saboeira. Além disso, ela bebe pra caralho, já ganhou uma disputa até mesmo com o Caninha.

História[editar]

Com uma roupa dessas você jura que a profissão dela é outra.

Moradora de Hollywood, desde cedo ela sabia que sua carreira era pra puta repórter: adorava assistir A Casa É Sua com as fofocas da Sônia Abrão. Escrevendo pra diversas revistas de fofoca, logo chegou a TV, após dar pra vários diretores de lá.

Se apaixonou por um policial corrupto chamado Joseph Morgan e com ele ela acabou gerando um pirralho irritante chamado Adan Morgan, que no final de muitas brigas, principalmente causadas porque Cat curtia as vezes fazer umas orgias com atores de filmes famosos e com isso Cat acabou tendo que sair da cidade meio que fugida e sem conseguir a guarda do muleque, que ficou com o pai. Só que o pai do pirralho era um fdp do caramba e se envolveu com a máfia, levando-o pouco depois a perder a guarda do pentelho.

Cat foi pra Metrópolis e logo com seu charme conseguiu emprego no Punheta Diária, fazendo matérias em festas da RAITI SOSSAITI, sempre com roupas extremamente provocantes e cheia de uísque e vinho do posto. Ela deu logo em cima do Clark Kent, impressionada com a montanha de músculos do caipira. Mas como o Clark era o típico nerd pé-no-saco, ela o deixou pelo pimpolho sardento do Jimmy, que era bem mais a fim de pegar uma gostosa, já que a irmã da Lois, Lucy, andava com a cabeça nas nuvens à época.

Assédio sexual + pedofilia = 20 anos de cadeia.

A bronca é que esse tipo de procedimento é crime (pedofilia - sim, o Jimmy ainda era um pirralho na época) e isso levou ela a brigar muito com tudo e todos, e beber pra caramba, pois não sabia mais como é o amor. Todo aquele drama que todos conhecemos bem de mulher besta. Pois bem, Catherine se irritou com todo mundo e decidiu pedir demissão do Planeta Diário.

Sem ter pra onde ir, Cat acabou pedindo arrego na SGT, emissora de TV de um bandido safado mafioso chamado Morgan Edge. Na emissora ela logo conseguiu ainda mais fama e notoriedade, principalmente pelos servicinhos extras que ela prestava pro seu patrão. Mas foi justamente num desses servicinhos que ela descobriu o impensável: Morgan era o chefão da Intergangue, uma quadrilha super poderosa da cidade que traficava leite em pó e armas de brinquedo. Indignada, ela decide dizer pra Lois e pro Clark pra ajudarem na investigação do amante, e ela consegue desmascarar o sujeito (é, ser gostosa tem lá suas vantagens).

Ainda no SGT, ela começou a ser defendida por um guarda-costas que pagava de herói, o Predador. Mas sua atração por homens fortes e musculosos voltou justamente nesse momento e ela começou a namorar com o cara. Mas o namoro não deu muito certo: o velhote safado pai do seu último amante Vincent Edge, que havia se tornado dono da SGT, começou a querer catar a mina. O Predador, como um azarado eterno, levou uma galha mais uma vez e acabou picando a mula de Metrópolis.

Depois da morte e ressurreição do Superman, Cat poderia ser uma qualquer coadjuvante naquela época, não fosse um drama que apareceu do nada, criado por Glória Perez: o ataque fatal do Homem dos Brinquedos sobre seu filho Adam, matando-o com uma facada no pênis. Após conseguirem prender o sujeito, a Cat quase o mandou pro inferno, mas desistiu, pois tinha ganhado uma promoção e se tornado a editora-chefe do SGT. Mas essa função pra ela era entediante, pois ninguém tinha coragem de cair nas seduções dela com medo de tomar um processo por assédio sexual e com isso ela saiu da cidade por uns tempos, indo trabalhar de secretária do então presidente dos EUA Lex Luthor (até ele, Cat?).

Voltou alguns anos depois pra investigar se o Superman usava por baixo da calça uma calcinha no lugar da cueca (que ficava por cima das calças até um tempo atrás). Logo estava já em ação, dando pro Steve Lombard, seduzindo o Clark Kent, irritando a Lois Lane e... fazendo fofocas, ok ok. Se tornou a inimiga nº 1 da Supergirl ao inventar histórias sobre ela dizendo que já conhecia a Kara Zor de outros calçadões onde elas trabalharam juntas...