CSI: Miami

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Spoiler5.JPG ATENÇÃO! O texto abaixo pode conter (ou não) um ou mais SPOILERS!

Ou seja, além de deixar o artigo com mais pressão aerodinâmica nas retas e mais estável nas curvas de alta, ele pode revelar, por exemplo, que Astronema é na verdade a irmã perdida de Andros, Karone, ou que Italian Spiderman mata o Crocodilo usando um telefone.

Spoiler3.jpg
NewBouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: CSI: Miami.
Capa do disco da banda - No momento da foto, a temperatura em Miami era de 41º

CSI: Miami é a versão tropicalizada do mundialmente famoso enlatado americano CSI. Tal qual sua série originária, CSI: Miami utiliza-se de altíssima tecnologia para resolver os crimes, o que ocorre em 100% dos episódios, basta ver o final de cada um.

CSI: Miami é rodada em Miami, Flórida, Estados Unidos (não, o Disney World fica em Orlando, então, para aventuras eletrizantes com homicídios do Mickey Mouse e outros, favor ver CSI: Orlando). Por ser rodado em Miami, CSI: Miami tem a maior concentração de mafiosos cubanos da TV, o que faz o assassinato pelo uso de bituca acesa de charuto muito comum.

Personagens[editar]

As personagens principais de CSI: Miami são bem variadas, de acordo com o Ato de Diversidade Sexual-Televisiva de Miami, e encontramos uma loira burra gostosa, uma latina burra também gostosa, um musculoso metido a garanhão, um nerd metido a cool e um chefe particularmente particular.

Horatio Caine[editar]

Waldick Soriano Horatio Eu Sou Fodão³ e Ainda Sou Filho do Chuck Norris Caine nasceu no dia 31 de fevereiro de 1825 Iceville, Alaska, explicando, assim, o gosto que Caine tem em utilizar ternos pretos em Miami. Caine é o poderoso chefão de CSI: Miami, posto que ele consegiu fazendo um mestrado em Metodologia do Clichê Moderno pela Universidade Harvard. Para compensar os baixos salários pagos pela Polícia de Miami, Caine é cobaia de empresas de desodorantes.E como nessa próxima temporada não tinha mais a tinta vermelha que ele tingia suas madeixas, Horatio preferiu morrer a aparecer nas telas, com um visual black...

Horatio também apresenta poderes paranormais, bastanto olhar feio para alguém e soltar uma frase de efeito para decidir quem é o culpado pelo crime, no restante do episódo ele apenas espera botar o "suspeito" na sua mesa de vidro e fazê-lo confessar, simplesmente baixando seus óculos escuros e olhando feio.

Horatio é a única pessoa de Miami (E do mundo...) que respeita TODAS as leis vigentes nos EUA e na Europa, recusa-se a ficar exitado com mulheres (É conhecido pelo caso da praia de nudismo, onde só olhou para areia durante todo o caso), nunca bebe (só suco de laranja e ovomaltino), não fuma, doa seu salário para o salvamento de gatinhos, odeia bandas de Metal/Rumba/Samba e demais ritmos "de meliante". Nas horas vagas trabalha como bombeiro/dono de creche para órfãos/motorista de ambulância/guardinha com placa de PARE nas escolas. No restante de suas horas vagas dedica-se a reunir provas contra seu arqui-inimigo Fidel Castro na esperança de prendê-lo.

Alexx Woods[editar]

Alexx é natural de Mulamba, a capital de Guiné Equatorial. Alexx Woods veio para os EUA estudar cheiramento de gatinhos na filial da Estácio de Sá em Miami. Como muitos estrangeiros, Alexx ficou e tornou-se mais uma imigrante ilegal (por muito tempo Alexx foi colega de quarto da Sol (personagem)). Após conseguir seu Ph.D. em Cheiramento de Gatinho Siamês Aplicado, Alexx começou a trabalhar de faxineira na sede da Políca de Miami. Após anos recolhendo restos de cadáveres (e fazendo um cursinho de autópsia pelo Telecurso), Alexx foi promovida a gari-legista-chefe da Polícia de Miami.


Eric Delko[editar]

Eric dando um corretivo em sua irmã por namorar sem autorização dele e do cardeal de Miami

Delko representa a máfia, ops, comunidade cubano-americana. Ele é filho de Lênin com Juanita Perez, a filha bastarda de Che Guevara e Marilyn Monroe. Eric é um exímio mergulhador, graças ao fato de ter nadado de Havana a Miami aos cinco anos de idade! Delko também faz o papel de saradão de CSI: Miami. Para compensar os baixos salários pagos pela Polícia de Miami, Delko trabalha de stripper num asilo de aposentadas do Texas.


Calleigh Duquesne[editar]

É a loirinha indefasa chorona gostosa que quer da uns pega no cubano. Mesmo sendo loira não é burra.

Ryan Wolfe[editar]

Wolfe num dia sem grandes desastres

O nerd de CSI: Miami. Wolfe faz parte do programa de cotas para pessoas mentalmente interessantes da Polícia de Miami. Apesar de ter um problema de visão, Wolfe não tem nenhuma relação de parentesco com John Mirolha, tal problema foi causado pelo fato de Wolfe querer aplicar rímel em si mesmo com uma martelo e prego. Depois de destruir o arquivo que tinha as provas que levariam ao assassino de John Kennedy, Wolfe é demitido e passa a ser comentarista do Brasil Urgente do Datena. Depois de dizer que não havia provas contra Adolf Hitler no caso do sequestro de Dercy Gonçalves, Wolfe é reincorporado à Polícia de Miami. Foi demitido outra vez ao chamar um técnico para destruír vírus que estavam nos computadores.


Natalia Boavista[editar]

Natalia é uma informante, x9 do FBI que quer tomar o posto de gostosa da Caleigh. Não sabe atirar, recolher digital, examinar DNA, está lá apenas por causa dos melões que carrega.

Roteiro básico de CSI: Miami[editar]

  • Um assassinato ocorre num bairro extremamente caro de Miami.
  • Chega Caine e outros no local do crime e Caine solta um clichê
  • O pessoal de Caine faz uma varredura detalhada, utilizando-se dos últimos instrumentos em tecnologia da Microsoft
  • Todos os dados são cruzados com poderosíssimos banco de dados por via do Internet Explorer
  • O policial que chegou primeiro na cena do crime é ameaçado de morte e o Programa de Proteção a Testemunha transfere-o para um local totalmente seguro e sem bandidagem, o Rio de Janeiro
  • Depois de interrogar 26.368 suspeitos (50% negros, 50% latinos) o assassino é preso.
  • Embora cada investigação torre 2.987% do orçamento da cidade de Miami, o caso só encerrado quando o assassino confessa o crime
  • O crime sempre acontece depois que o Sol nasce, e o assassino sempre é preso no mesmo dia antes do Sol se por.

Temporadas de CSI: Miami[editar]

1ª Temporada[editar]

"O Crime Não Compensa"[editar]

Uma modelo é encontrada morta no elevador do prédio residencial Judge Nicolau dos Santos Neto (Lalau) Luxury Tower. Junto ao corpo, Horatio encontra um cheque e solta sua frase de efeito de início de programa:

Cquote1.png Aqui em Miami, o crime não compensa Cquote2.png
Horatio Caine segurando o cheque encontrado na bolsa Gucci da modelo

Recado de Horatio à Prefeitura de Miami pela negativa da compra de um clube de golfe para a Polícia de Miami

Alexx faz a autópsia na modelo, e aproveita para vender o silicone no mercado negro, e constata que a morte da modelo foi causada por asfixia, o que deixa os intrépidos agentes de CSI: Miami curiosos, ainda mais considerando que a área total de tecido do vestido da mesma não tapa nem uma narina da dita cuja. Ryan Wolfe ao coletar as impressões digitais no elevador, prende o nariz na porta do elevador. Eric faz um strip-tease para a síndica do prédio em busca de informações sobre a modelo, que se chama Paula Dentro, é guatemalca e quer ser modelo-cantora-atriz-e-apresentadora.

Eis que Calleigh lendo sua revista predileta Refrigerantes para Aquecer no Micro-ondas tem uma luz. Lendo um artigo sobre o aumento de flatulência devido ao consumo de H2OH a mais de 100°C, diz ter visto inúmeras garrafas vazias, e quentes, de H2OH. Ryan pega o Peidoscópio Laser UltraGold 3000 e coleta informações sobre a atividade gasosa do elevador. Eric pega o resultado do teste e rodá-lo no Registro Nacional de Ataques Químicos em Elevadores e descobre que o "terrorista" chama-se Brian Fartsburg. Brian confessa que peidou no elevador depois de ter levado um fora de Paula Dentro, ou seja, ofereceu um "presente" menor do que US$ 500/h, e que soltou o gás da morte com intuito de matar Paula Dentro.

"Ajoelhou, Vai Ter que Rezar"[editar]

Um importante jogador de futebol brasileiro é encontrado morto com um crucifixo enterrado em seu coração no meio da sala de jantar de uma espetacular mansão com vista para o mar e marina privativa na exclusiva ilha Millionaires' Port. Caine chega com seu Hummer e diz:

Cquote1.png Na minha cidade, o bandido que ajoelha, tem que rezar Cquote2.png
Caine comentando o fato de haver várias espigas de milho na cozinha

Calleigh e o cão farejador de CSI: Miami

Calleigh chega atrasada a cena do crime e chega com um bafo de Tang Maracujá quente. Eric mostra seu "charuto" para a vizinha da mansão do crime, que, apesar de não saber nada do crime, marca um horário para um "exame de corpo de delito" feito por Eric. Ryan descobre, após quebrar quinze vasos Ming sujos de sangue, que a casa pertence a importantes líderes religiosos evangélicos brasileiros de Miami (um casal de bispos). Caine faz um cruzamento bancário dos dados bancários do defunto e dos donos da casa, enquanto Calleigh descobre que as digitais pertencem aos donos da casa. Eric, ao deixar a dita vizinha fumar seu legítimo charuto cubano, fica sabendo que os donos da casa possuem um jaitnho patricular. Utilizando-se do seu helicóptero com bancos de couro, Caine e Companhia chegam ao Aeroporto de Miami e detêm o casal. Eles confessam que mataram o jogador pois o mesmo estava com o dízimo atrasado.

"Aqui Se Faz, Aqui Se Paga"[editar]

Um tiroteio acontece na elegante agência "private bank" do Banque Suisse dus Billionaires. Um rico empresário é deixado morto com um tiro na testa. Caine olha o corpo e diz:

Cquote1.png Aqui se faz, aqui se paga Cquote2.png
Ao pagar a parcela atrasada da hipoteca de sua casa

Eric passa um chaveco na gerente para ver se consegue um cartão de crédito do banco, um símbolo de status e poder, além de ser um poderoso imã sexual entre as Maria Gasolina de Miami. Ryan, ao tentar descobrir informações sobre o misterioso morto, transfere acidentalmente todos os fundos depositados na conta da Associação de Vítimas da Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiose para a conta secreta de Bill Gates em Mônaco. Calleigh, por sua vez, fica trancada na porta giratória do banco e desmaia com seu bafo de Mirinda Uva aquecidada no fogão a lenha.

Alexx faz a autópsia, e retira os dentes de ouro do cadáver (uma vez que no céu ou no inferno tais "pesos desnecessários" não serão usados, e descobre que a trajetória de entrada da bala aponta para a área de caixas automáticos. Entretanto, a equipe de Caine não tem com que trabalhar, já que o banco não utiliza câmeras de vigilância para não assustar seus clientes envolvidos em negócios honestos, decentes e totalmente dentro da lei.

A gerente da agência lembra-se de que um cidadão de [cor, digamos, um pouco mais diferente daquela que se diz ser comum na Noruega, estava no banco na hora embora ela deixe bem claro que o simples fato do banco não ter ninguém daquela cor não quer dizer que o banco tenha algo contra a tal dita cor. Ryan, ao ligar para sua mãe pela 12585ª vez pela manhã, percebe que trocou de celular e percebe que o vídeo mostra o rosto do atirador, embora muito desfocado. Calleigh passa o vídeo no Adobe VideoEnhancer Plus 1525.0 e transforma aquele vídeo de 300 pixels em um vídeo HDTV 1920x1200 px. Rodando a imagem do bandido no Live Search, descobre-se que o assassino se chama Mahatma Rajneesh e que estava trabalhando no Disque Banque Suisse dus Billionaires até estar recebendo uma reclamação do morto, que foi chamado de 05485984189700578 (número de sua conta, já que o banco tem políticas rígidas de privacidade). Então Rajneesh comprou uma passagem de 1ª classe até Miami e estava mirando na testa do morto enquanto estava atirando.

"Deus Ajuda Quem Cedo Madruga"[editar]

Juanita Marquez, apresentadora do Good Morning Miami (and Screw You, Fidel Castro) no Canal 6 é encontrada morta no seu camarin com inúmeros charutos cubanos em sua boca a apenas a meia hora do início do programa.

Horatio ao descer do helicóptero para gravar o episódio no Rio de Janeiro.

Cquote1.png Deus ajuda quem cedo madruga Cquote2.png
Caine falando com sua equipe que mal chegara de uma balada numa boate da moda em Miami (entrada: US$ 750 pax)

Ryan vai para a sala de segurança e, ao invés de mandar as imagens do corredor dos camarins, ele manda uma fita do filho do prefeito de Miami dando um tapa na pantera. Em represália, o prefeito cancela a licitação para a construção de um campo de golfe com 18 buracos na sede campestre da Associação de Policiais de Miami. Alexx faz a autópsia e descobre que há charutos em outros orifícios da srta. Marquez e Alexx já aproveita e tira uma foto dos referidos orifícios charutados para o Miami Hot Gossip.

Totalmente passada por uma overdose de Coca-Cola quente, Calleigh assume o lugar de Juanita Marquez, onde diz inúmeras bobagens do tipo: "não joguem as bitucas de cigarro na calçada", "dirijam de forma responsável" e outros papos nonsense de bêbados. Caine descobre que Marquez é filiada ao Partido Democrata e que deu altas contribuições para a campanha de Hillary Clinton. Eric dá uma cheirada nos charutos encontrados na vagina da morta e diz que estes charutos são os mesmos que Bill Clinton usou em Monica Lewinsky. Ryan acessa o sistema de câmeras de vigilância do aeroporto de Miami e descobre que Lewinsky está na cidade. Calleigh cruza os dados de cartões de crédito de todas as lojas de charutos em Miami e descobre que Lewinsky está comprando um Gran Cubano Habanita na elegante Gentlemen's Fumoir no chique Villa de los Ricos Shopping Mall. Lewinsky é presa e confessa que matou Juanita Marquez pelo fato dela ser gorda e de não aceitar concorrência no seu galinheiro.

Estatísticas sobre Miami[editar]

  • 99,98% dos homícidios em Miami ocorrem em bairros cujo salário médio anual é igual ou maior do que US$ 250,000
  • A probabilidade de um assassino em Miami de usar um BMW em seu crime é de 83,8228%
  • A Prefeitura de Miami estuda seriamente fazer uma licitação para trocar os antiquados Hummer por Ferraris, uma vez que o crime está sendo trocando seus carros por máquinas mais velozes

Homicídios por bairros em Miami[editar]

Homicídios em Miami em 2007
Bairro Homicídios Valor Médio das Residências Média da Renda Familiar Anual
Barrio de los Milliones 10 US$ 3,654,201.36 US$ 558,201.57
Upper Higherclassburg 25 US$ 4,518,557.66 US$ 570,114.55
North Money Beach 25 US$ 4,201,548.36 US$ 635,201.36
Noblemen's Quay 30 US$ 1,540,254.36 US$ 320,125.36
Millionaires' Port 30 US$ 3,548,699.36 US$ 458,014.22
Villa de los Ricos 31 US$ 3,975,214.36 US$ 597,841.01
Snobtown 33 US$ 2,999,824.36 US$ 400,253.09
Wealthyland 42 US$ 7,548,652.36 US$ 587,588.78
Outros bairros igualmente ricos e esnobes 47 US$ 4,102,548.36 US$ 652,358.36
South Money Beach 65 US$ 5,330,157.69 US$ 754,852.12