Boomerang Boomer Kuwanger

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Hotsuma.JPG Este artigo é sobre um ninja!

Se você vandalizar, ele e os outros ninjas
do dojô irão matá-lo!

Boomer Kuwanger comungando com a natureza.

Cquote1.png Você quis dizer: Cutman? Cquote2.png
Google sobre Boomer Kuwanger

Boomer Kuwanger é mais um da primeira leva de Mavericks que se voltaram contra a humanidade, sendo mais especificamente uma espécie de besouro ninja. Sua espécie no Brasil é conhecida como vaca-loura, que nada mais é do que aquele escaravelho medonho com dois chifres espinhosos que você já deve ter visto no quintal da tua mãe. Obviamente, ele foi um dos 8 primeiros animais mecânicos que ergueram-se no mundo para perturbar a paz da sociedade. Diferentemente de Chill Penguin, Flame Mammoth e Storm Eagle, Boomer Kuwanger é uma péssima escolha para noobs ou iniciantes, uma vez que essa desgraça se apropria de vários Jutsus de movimentação rápida e arremesso de chifres que ferram com a vida de qualquer um que tente se movimentar na lata de sardinha que é a sala onde você o enfrenta. Caso você não tenha conseguido roubar o canhão de míssil perseguidor do Launch Octopus, é melhor que nem tente lutar contra esse miserável, pois você não vai dar nem pro cheiro.

História[editar]

Boomer lendo um livro de Stephen King para seu irmão antes de dormir.

Boomer Kuwanger e seu irmão Gravity Beetle foram encontrados por um padeiro quando crianças. Seus pais tinham acabado de virar comida de um pássaro robô que estava passando pelas redondezas e decidiu persegui-los, dando tempo apenas para que eles escondessem seus dois filhos numa lata de lixo. Porém, como não queria ter sua vida sugada pela responsabilidade de cuidar de dois pirralhos chatos e que provavelmente dariam muito trabalho, o padeiro despachou os dois para o primeiro orfanato que achou pelo caminho. Para o azar dos dois, o orfanato pertencia a um velho resmungão que odiava crianças, e como consequência disso, Boomer e seu irmão eram tratados como o lixo no qual foram encontrados. Eram obrigados a realizar todo tipo de trabalho escravo, e caso não o fizessem, costumavam apanhar de chicote. Certo dia, após uma série de denúncias, a polícia arrombou o lugar e meteu chumbo na testa do dono, numa sorrateira manobra de invasão de domicílio.

Uma vez que o dono da propriedade tinha batido as botas, o lugar não poderia mais ser mantido, e assim o orfanato acabou fechando. Como não poderiam deixar que os órfãos fossem para a rua, até porque já era um problema ter que lidar com a grande quantidade de mendigos e sem-teto já existente por aí, os policiais decidiram procurar lares para as crianças. Assim, eles pegaram todos eles e levaram para uma feira no centro da cidade, onde organizaram um grande leilão com as crianças destinado a casais estéreis. O momento mais triste da vida de Kuwanger aconteceu quando seu irmão, Gravity Beetle, foi comprado por um astrofísico de Harvard por 10 dólares, o que teria resultado numa separação que gerou muitas lágrimas e crises existenciais.

Boomer ensaiando um novo passo de dança inspirado em Seiya de Pegasus.

Boomer, que teria sido vendido por 9 dólares (um pouco mais barato, já que era mais magrinho que seu irmão), foi adotado por uma conservadora família japonesa, que seguia à risca todos os rituais e tradições da cultura do seu país. Como consequência disso, Boomer era obrigado a comer sushi todo santo dia, e caso ousasse comer qualquer coisa de garfo e faca, era castigado sem dó nem piedade, levando uma coça memorável de seus pais. Se por um acaso se esquecesse de tirar o calçado antes de andar pelos cômodos de sua casa, era punido com um mês sem sobremesa e sem direito a assistir ao Jaspion no final da tarde.

Assim que atingiu a idade necessária, seus pais adotivos decidiram ingressar Boomer nas artes milenares de sua família, e dessa forma iniciou seu treinamento para samurai. Por mais desastrado que fosse, seu pai queria de qualquer jeito que seu filho se tornasse um guerreiro de valor, para assim, honrar a linhagem de sua família. Entretanto, por mais que tentasse, de nada adiantava, e Boomer continuava sendo um completo fracasso.

Certa noite, Boomer não conseguiu dormir e decidiu levantar da cama e ligar a TV em busca de algum documentário da Discovery Channel para resolver seu problema de insônia. Porém, Boomer havia se esquecido que estava no Japão, e naquele horário costumavam passar as maiores depravações que se podia imaginar na face da Terra. Dessa forma, ele acabou tomando conhecimento de inúmeros programas grotescos: filmes de terror com parasitas genitais, shows ao vivo de bandas de J-Rock, maratonas de Animes e pornôs da Xuxa. Dentre esses programas, estava o terrível Naruto, que passou a ser o seu preferido. De tanto assistir Naruto escondido de seu pai pela madrugada, Boomer chegou a conclusão de que não queria ser samurai, e sim ninja, e dessa maneira, dá início a um árduo treinamento. Após anos fazendo cursinhos de artes marciais pela Internet, Boomer finalmente consegue seu certificado oficial, e finalmente decide revelar para seu pai que tinha se tornado Ninja. Seu pai, compreensivo como ninguém, fica tremendamente emputecido da cara, e considerando aquilo como traição, além de deserdar Boomer, lhe dá um pé na bunda, expulsando-o de casa.


Juntando-se a rebelião[editar]

Boomer Kuwanger após utilizar a técnica da fusão com seu amigo Janemba.

Uma vez lançado nas ruas da amargura de novo, Boomer decide mandar o mundo se ferrar e partir em busca de seu adorado irmão na América, de quem tinha se separado ainda na infância. Dessa vez não tinha com o que se preocupar, já que estava bem crescido e devido as suas técnicas ninjas, poderia nocautear qualquer vagabundo que ousasse atacá-lo. Porém, o problema não seria esse mais especificamente, e sim o fato de que não tinha dinheiro nem para comprar um acarajé na venda da esquina. Logo, se quisesse ir para o outro lado do continente, precisaria arrumar um emprego imediatamente.

Como nunca trabalhou na vida, Boomer não fazia ideia de como deveria proceder e nem qual rumo tomar. Então ele decidiu empregar suas habilidades ninjas em qualquer serviço que conseguisse arrumar. Utilizou suas técnica de movimentação rápida para trabalhar como guarda de trânsito, o que permitia imediatamente identificar uma infração e rapidamente se movimentar para o controle de massa, parando os carros que tentavam passar sorrateiramente pelo sinal fechado, salvando retardados que atravessavam a rua sem olhar para os dois lados e ajudando velhinhas acabadas a chegar do outro lado da calçada.

Posteriormente, vendo que a vida de guarda de trânsito não estava rendendo porcaria nenhuma, Boomer pede demissão, e decide procurar outro emprego. Acaba indo trabalhar como cobrador para uma loja de materiais. Basicamente, sua função era a de localizar velhacos, trambiqueiros e outros caloteiros e impedir que os mesmos fugissem sem pagar o que deviam. Pode-se dizer que Boomer foi muito feliz nesse serviço, uma vez que suas técnicas de teletransporte permitiam chegar até o picareta antes que o mesmo tivesse qualquer chance de escapatória, o que obrigava o dito cujo a pagar na marra, e caso não o fizesse, receberia uma intimação sob ameaça de processo judicial. Entretanto, Boomer desistiu do emprego, já que a quantidade de trapaceiros era gigantesca, e aquilo o deixava completamente esgotado ao término do dia.

Então, Boomer finalmente acha o emprego perfeito, que pagava bem e ainda lhe permitia ter um pouco de descanso ao término do dia: funcionário de um restaurante. Suas técnicas ninjas eram de muita utilidade para os donos do restaurante, pois com elas ele conseguia lavar os pratos dos clientes com extrema rapidez. Além disso, todas as noites Boomer fazia shows de exibição no lugar, exibindo suas técnicas milenares e conquistando cada vez mais a clientela. Por fim, com ele a seus serviços, o gerente não precisou mais pagar motoboys para fazer as entregas, já que ele conseguia chegar aos endereços corretos na metade do tempo e sem precisar de qualquer meio de transporte para tal, apenas na corrida. Como bônus, os donos ainda deixavam que Boomer passasse as noites no porão do estabelecimento, já que o mesmo não queria gastar o dinheiro que estava guardando com aluguel.

Boomer treinando umas acrobacias para aprimorar suas habilidades ninjas, e quem sabe, conseguir um emprego no circo.

Após finalmente conseguir a quantia necessária, Boomer compra passagens para a América no primeiro avião, e finalmente parte em busca de seu irmão. Mas um imprevisto acontece durante sua viagem: o avião em que estava sofre um atentado terrorista de um grupo extremista islâmico liderado pelo na época vivo Osama Bin Laden, e acaba caindo no meio do nada, e a única coisa de que Boomer se lembra é de ver tudo ficando escuro. Mas para sua sorte, foi apenas um desmaio, pois Boomer continuou vivo. Assim que acorda, se vê no meio de um deserto escaldante, sendo ele o único sobrevivente. Como estava pouco se lixando para a humanidade, ele nem perde tempo avisando as autoridades e parte do lugar, deixando os defuntos lá pra virarem comida dos urubus.

Após andar horas sem rumo, Boomer se depara com uma pequena aldeia, onde bate na porta em busca de água (ou talvez graxa, seja lá o que robôs bebem pra matar a sede). Ele então é recepcionado por um grupo de aborígenes, e finalmente se dá conta que seu avião tinha tombado na Austrália. Aparentemente, os nativos ficaram curiosos com a presença dele, e rapidamente eles se tornam amigos. Em troca de ajudá-los a caçar coalas para a janta com suas técnicas rápidas, eles o ensinaram a arte do bumerangue, e Boomer agora teria se tornado um ninja completo, pois só o que lhe faltava era o manuseio de uma arma branca aleatória.

Anos mais tarde, Boomer passou a competir em campeonatos mundiais de bumerangue, tornando-se rapidamente a maior referência no assunto. Após assisti-lo pela SporTV, Sigma acredita que alguém com as habilidades dele seria de extrema utilidade para a sua rebelião, e dessa forma, o convida para juntar-se a ele, prometendo que se ele aceitasse, o ajudaria a reencontrar seu irmão perdido. Boomer era tremendamente racional, já que teve um treinamento baseado em pura disciplina, e decide unir-se a Sigma, tanto para reencontrar seu irmão, como por odiar os humanos, ao se lembrar do trabalho escravo no orfanato e da surra que levava dos pais adotivos sempre que saía da linha. Assim, após ter um reencontro emocionante com seu irmão por meio do Programa do Gugu, Boomer volta sua atenção para seu novo objetivo: tocar o terror na humanidade.


Derrota[editar]

Boomer usando o seu Shunshin no Jutsu contra um noob qualquer que veio enfrentá-lo sem a arma do Launch Octopus.

Em virtude de sua personalidade racional e fria, Sigma designou Boomer, que agora era parte da 17° Unidade de Elite, para tomar conta de uma torre-fortaleza na cidade, alegando que ele seria perfeito para a missão em virtude de suas habilidades. Bem, na verdade, o fato é que Sigma andava com falta de pessoal, e todos os lugares interessantes já estavam sob os cuidados de outros Mavericks. Como não tinha mais nenhum trouxa pra ficar naquele lugar entediante que nem mesmo o próprio Sigma visitava (às vezes ele até se esquecia de que essa torre velha existia), ele acabou mandando Kuwanger mesmo pra cuidar do lugar, só pra dizer que tinha um guarda-costas eficiente em cada canto daquele mapa que aparece.

Boomer não tinha muita coisa pra fazer naquela torre, e como era um lugar deserto e inacessível, quase nunca recebia visitas. Para passar o tempo, ele costumava praticar bumerangue nas próprias paredes do lugar e jogar xadrez consigo mesmo. Sigma até tentou ajudar a melhorar um pouco o clima enfadonho para Boomer, enviando pra ele uma TV portátil em preto e branco que ele tinha herdado de sua tataravó, mas não adiantava de muita coisa, já que só pegava a Globo, o SBT e o Canal do Boi, e Kuwanger já não aguentava mais assistir ao Programa do Ratinho, aos leilões de bois zebu e A Lagoa Azul na Sessão da Tarde.

Certo dia, enquanto assistia ao Chaves, o alarme da torre toca, e seu sistema de defesas é acionado, o que indicava que havia um intruso na área. Boomer imediatamente levanta do sofá, animado, pois teria uma luta em eras. Em pouco tempo, eis que seu oponente, um robô azul conhecido como X, chega até o ponto mais alto da torre, e Boomer finalmente faz sua entrada triunfal, que teve muito tempo pra elaborar para quando fosse lutar novamente com alguém, uma vez que não tinha muito o que fazer naquela monotonia em que vivia. Assim, começa a épica batalha.

Boomer não perde tempo e já começa a movimentar-se feito um raio na direção de X, agarrando com seus chifres e o arremessando contra o teto. Sempre que X tentava atacar pelo chão, ele fracassava miseravelmente, pois com suas técnicas de teletransporte movimentação rápida, Boomer desviava facilmente dos tirinhos de almôndega amarela lançados pelo seu oponente, aparecendo bem na sua frente ou atrás do mesmo, enchendo-o de porrada sempre que podia. Em dado momento, seu oponente começou a ficar mais esperto, e passou a se agarrar nas paredes, evitando um confronto no chão. Mesmo que Boomer fosse um besouro, ele dedicou tanto tempo aprendendo técnicas ninjas, que se esqueceu de aprender a voar. Então, para conseguir alcançar seu oponente, ele se apropria de sua incrível habilidade esportiva com os bumerangues, e começa a atacar seu oponente na própria parede mesmo. Cansado de tanto apanhar, seu inimigo decide partir para a ignorância, e começa a lançar contra Boomer mísseis teleguiados. Como nunca teve qualquer treinamento especial para lidar com esse tipo de apelação, Boomer acaba encontrando seu fim, deixando seu bumerangue preferido de brinde para seu oponente miserável.

Fase[editar]

A fase de Boomer Kuwanger é uma espécie de fortaleza em forma de torre, mas até hoje pergunta-se qual a utilidade dessa espelunca. Aparentemente, nem mesmo Sigma dava muita importância para o local, e quando Boomer chegou lá pela primeira vez, só existiam umas escadas e um cômodo vazio cheio de teias de aranha no alto da torre. Para deixar o lugar um pouco mais apresentável, Boomer catou os restos de um ferro-velho da região e a implementou com um moderno sistema de defesa para abater noobs intrusos. Entretanto, a única pessoa que viu toda aquela parafernália funcionar foi X, já que antes dele ninguém jamais visitou o lugar, afinal de contas, quem é que perderia tempo visitando um lugar tão insignificante? Sem contar que boa parte das armas tinha enferrujado devido a ação do tempo, e bastava um sopro para que fossem destruídas.

A torre de Boomer Kuwanger, equipada com um sistema óptico de última geração e um moderno sistema de iluminação, muito eficiente para identificar inimigos no horizonte.

A fase em si, mesmo dispondo de tecnologia mais obsoleta que o computador da Positivo, ainda assim consegue ser um pé no saco de qualquer um. A primeira parte da fábrica consiste em uma escadaria, onde podem ser encontrados uma série de inimigos fracotes, tais como uns robôs verdes medievais e umas navezinhas do Strike Gunner acopladas à parede. Chegando ao topo dessa primeira parte, podem ser encontrados uns pedaços de metais voadores que não podem ser destruídos e que atiram raio laser sempre que você passa por uns riscos vermelhos no meio do cenário. Nessa mesma parte, descem uns helicópteros bochechudos do teto para encher o saco enquanto você desvia dos tais riscos.

Na segunda etapa da fase, tem mais escadas. Em cada patamar dessas escadas depara-se com umas máquinas de sorvete em formato de tartaruga que ficam atirando granadas de paraquedas em você. Uma vez passado por essas granadas, vem a parte mais irritante da fase, onde você é levado até uma parte mais alta da torre por um elevador de latão. Nessa parte, existem infinitos espinhos de titânio nas paredes e em plataformas flutuantes no meio do nada, que são suspensas no ar por magia negra. Como se já não fosse suficiente, ainda surgem do nada umas cabeças de demônio metálicas para te causar dano e fazer com que você não consiga desviar das tais plataformas.

Por fim, atinge-se a terceira e última etapa, que consiste basicamente em subir até o ponto mais alto da torre pela parte de fora da mesma, sem qualquer equipamento de escalada. Na parte de fora da construção, existem umas plataformas móveis equipadas com armamento bélico e umas escadas ocupadas por filhotes de Alien que ficam subindo e descendo feito uns débeis mentais. Por fim, assim que você entra no último nível da torre, surgem novas plataformas, dessa vez menores, sem espinhos e que ficam no ar com auxílio de cataventos na parte de baixo. Para utilizá-las, basta matar os robôs fracotes que ficam em cima dela. Basta fazer isso enquanto evita os tiros e as navezinhas do primeiro nível da fase que voltaram e você finalmente se depara com a sala do chefe, que estará lá te esperando para lhe dar uma surra.

Ver também[editar]