Associação Atlética de Altos

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Associação Atlética de Altos
Escudo do Altos.png
Brasão
Hino '
Nome Oficial Associação Atlética de Baixos
Origem link={{{3}}} Piauí- Altos
Apelidos Time dos Carambolos
Torcedores Chico do Belo, Franquim Evangelista, Luiz Junior, Abel Babão, Verminal, Cabral e Autistas
Torcidas 100% composta por gays
Fatos Inúteis
Mascote Carambolo (lagartixa)
Torcedor Ilustre Chico do Belo
Estádio Ninho do Carambolo
Capacidade 5 pessoas sentadas e 10 em pé
Sede Estádio Felipão (Ninho do Carambolo)
Presidente Cabeça de Peta
Coisas do Time
Treinador Indeterminado, pois o time troca de treinador a cada derrota.
Pior Jogador da história Nuvola apps core.png
Melhor Jogador da história Crystal Clear action bookmark.svg.png
Patrocinador Cabaré da Fifia, Cabaré da Bethet Flocos de Milho, Bar do Zé Bedeu, Supermercado D' Lemos e Cardoso LTDA,
Time
Material Esportivo
Liga Campeonato Piauiense
Divisão Série A
Títulos
Ranking Nacional Penúltimo colocado, só não é mais ruim do que o Tabajaras Futebol Clube do Caceta e Planeta
Uniformes



Associação Atlética de Altos é um time de curta existência do Piauí, e apesar do nome da equipe, não jogam nele nenhum Peter Crouch ou Jan Koller, na verdade no time só tem uns baixinhos de aparência desnutrida... A origem do nome do time talvez se deva a presença em campo de uns degenerados bêbados e drogados que estão sempre em altos, porque só isso justificaria alguém jogar nesta equipe de bom grado.

História[editar]

Fundação[editar]

Em 2013 chega na cidade de Altos, no interior do Piauí, a primeira bola de capotão da história da cidade, trazida pelo fantasma de Charles Miller em pessoa. O povo local se maravilhou com o objeto, embora ele não pudesse ser comido, ele podia ser chutado, e assim um grupo de cachaceiros tinha algo para fazer nos fins de semana para continuarem longe de suas patroas desdentadas e gordas. Dali surgia um time de futebol amador, e que assim o permaneceria.

Temporada de 2015[editar]

A equipe do Altos se profissionalizou em 2015, apenas devido ao fato de que o estado do Piauí, carente de tudo, é também carente de diversidade de times de futebol, então qualquer porcaria pode facilmente se profissionalizar e ir jogar o campeonato estadual, o que foi o caso do Altos.

Através de uma determinação esdrúxula, a Federação de Futebol do Piauí decidiu naquele ano criar a segunda divisão estadual, mesmo que na primeira divisão jogassem apenas meia-dúzia de times, tudo para dar falsa impressão de que havia variedade de times no estado. O Altos, como era time estreante, começou na segunda divisão do Piauí (sim, isso existe), e apesar de na primeira fase conseguir façanhas memoráveis como o fato de perder duas vezes para o Olheiras AC, o time classificou-se para a final e subiu de divisão.

Na final venceu o favorito time do Picas na primeira zebra de sua história, com vitória de 2x0 no jogo em casa com público recorde de 150 pessoas, e depois empate por 1x1 na casa do Picas.

Temporada de 2016[editar]

Após passar o restante de 2015 só treinando em seus campos de várzea, o Altos estrearia na primeira divisão piauiense em 2016, onde jogaria contra times de tradição secular, como o Flamengo do Piauí e o Ríver do Piauí, que na prática são times tão falidos e acabados quanto o time do Altos, o que tornou os jogos realmente equilibrados.

Devido à completa inexistência de times no Piauí, e ao fortuito fato do Ríver estar na Série C, o Altos conseguiu ser um dos representantes piauienses na Série D de 2016 mesmo estando longe do título estadual. Times carniça do Piauí todavia não se desanimaram, times semi-falidos como Altos costumam desistir da vaga na Série D, pois já sabem que sair-se bem no torneio é virtualmente impossível, mas o Altos surpreendeu a todos e manteve sua vaga, com a contratação de 6 burricos de carga para conseguir encarar as viagens pelo Brasil para disputar o torneio.

Torcida[editar]

O Altos é um clube sensação do Piauí, especialmente devido à sua fanática torcida e a capacidade de reunir em seus jogos públicos estrondosos, para os padrões piauienses, de 200 pessoas.

Títulos[editar]

  • Campeonato Piauiense - 2ª Divisão (sim, isso existe): 1 vez (2015)